Novak Djokovic: aquele 100% campeão de tudo

O título de Roland Garros do sérvio para muitos era impossível, para mim era inexorável, e finalmente aconteceu...

Novak Djokovic: aquele 100% campeão de tudo
Novak Djokovic: Aquele 100% campeão de tudo

Se um dia contarem a minha história, que digam que assisti  gigantes no tênis. Grandes tenistas vencem e caem como trigo, mais esses nomes jamais perecem. Que digam que vivi na época de Federer, o leão da montanha. Que digam que vivi na época de Novak Djokovic.

Hoje é um dia especial para Novak Djokovic e todos seus fãs, pela primeira vez na história o sérvio número um do mundo conquistou a 'Taça dos Mosqueteiros' e completou o Career Slam, que é quando o tenista ganha os quatro torneios do Grand Slam.

Comecei a torcer por Djokovic em 2007, quando comecei a acompanhar melhor aquele tenista de grande potencial que tentava buscar seu espaço no circuito profissional onde o domínio era amplo de Roger Federer e Rafael Nadal.

Vê-lo chegar naquela final de US Open em 2007 contra Federer foi sensacional. O título não veio, mas a certeza que uma história de sucesso estava apenas começando era bem nítida. Logo em Janeiro de 2008 o primeiro título veio, no Australian Open contra Tsonga.

Ver Djokovic conquistar seu primeiro Grand Slam foi ótimo para mim como torcedor, e a certeza que ele não iria até só até a ponte e voltaria era muito maior.

O sérvio começava a se tornar um verdadeiro campeão a cada ano. Veio o épico título de Wimbledon em 2011 onde o próprio comeu a grama, literalmente, e também o US Open logo em seguida.

Porém já dizia o poeta, nem tudo são flores. Roland Garros estava bem dificil de ser conquistado. Em 2012 depois de uma semifinal espetacular contra Tsonga numa virada heróica, a esperança de título era grande. Mas na final não deu para Djokovic, que perdeu para Rafael Nadal e adiou o sonho.

Em 2014 apesar de nova derrota para Nadal na final, continuei acreditando que o momento era inexorável, o título de Djokovic no saibro sagrado de Paris estava escrito e não poderia ser mudado.

Djokovic vencia a cada ano vários títulos, era o melhor do mundo, e na minha opinião o tenista mais completo de todos os tempos. Mas faltava algo. Como dizia Sinônimos de Chitãozinho & Xororó, no aroma de amores pode haver espinhos, é como ter mulheres e milhões e ser sozinho.

Roland Garros era um peso para Djokovic e todos seus fãs, não era possível ver o sérvio vencer todos títulos, menos a taça dos mosqueteiros. Em 2015, o melhor ano da carreira de Djokovic, o momento parecia estar muito próximo.

Apesar de ver Nadal decair, era extremamente empolgante a esperança quando ele venceu o espanhol nas quartas de Garros por três sets a zero. Vencer o maior campeão do torneio com autoridade era uma credencial gigantesca para a conquista.

A final foi contra Wawrinka, e a expectativa de título era enorme de todos seus fãs, incluindo eu. A pergunta que me fazia era a mesma de Galvão naquela corrida de F1: Hoje sim? Hoje sim?, mas hoje não.

Foto: Getty Images/ Rindoff/Charriau

Uma esquerda sobrenatural de Stan Wawrinka impediu o sonho mais uma vez. A saga de Djokovic em Paris parecia uma inspiração para Raul Seixas escrever Tente Outra Vez.

Como diria o próprio Raul, se é de batalhas que se vive a vida, então
tente outra vez. E o sérvio tentou. Dia 5 de Junho de 2016, Novak Djokovic acordou campeão de Wimbledon, do US Open, do Australian Open, menos de Roland Garros.

Andy Murray é um tenista espetacular, número dois do mundo com todo merecimento, e ver ele na final me gerou muito receio. Djokovic carregava 100 toneladas de peso nas costas. Se eu fosse ele com certeza me imaginaria com 70 anos numa fila de mercado vendo dois rapazes me apontando dizendo que fui um dos melhores de todos os tempos, porém nunca tinha ganho Roland Garros.

Foto: Getty Images/ Julian Finney

A derrota no primeiro set por 6/3 gerou muita preocupação, e mais uma vez ao receio de quase novamente. Mas o sérvio não desistiu, algo comum em sua personalidade. Novak Djokovic virou o jogo e finalmente conquistou o que lhe faltava, o título de Roland Garros.

Essa vitória de Djokovic para seus fãs foi igual para os fãs de Dragon Ball Z encontrar a sétima esfera do dragão, ou a sensação de colar a última figurinha no álbum, ou principalmente para os adeptos de Novak Djokovic, ver o sérvio vencer todos grand slams, e finalmente poder dizer que é campeão tudo.

Ver Novak Djokovic campeão de Roland Garros é a realização de um sonho como torcedor, um momento único, o qual Wesley Safadão diria: Você merece o título de melhor tenista do mundo.