Acusada de doping, Maria Sharapova é condenada a dois anos de suspensão

Russa ex-número um do mundo ficará fora das Olimpíadas Rio 2016; porém recorrerá à decisão

Acusada de doping, Maria Sharapova é condenada a dois anos de suspensão
Acusada de doping, Maria Sharapova é condenada a dois anos de suspensão/ Foto: Kevork Djansezian/ Getty Images

Nesta quarta-feira (08), a Federação Internacional de Tênis (ITF) condenou a russa Maria Sharapova a dois anos de suspensão por ter infringido o Programa Antidoping de Tênis. Desse modo, a ex-número um do mundo não poderá disputar as Olimpíadas Rio 2016, que acontecem em agosto. 

Em nota, a ITF informou: "Em uma audiência de dois dias, entre 18 e 19 de maio, o Tribunal Independente recebeu provas e ouviu argumentos legais das duas partes e, posteriormente, emitiu uma decisão neste dia 8 de junho. O tribunal determinou que (1) a Sra. Sharapova deve ficar inelegível por dois anos; (2) devido à sua rápida admissão de violação, esse período será retroativo, começando em 26 de janeiro de 2016 (data da coleta de amostra) e termina à meia-noite do dia 25 de janeiro de 2018; (3) seu resultado no Aberto da Austrália de 2016 será desqualificado, resultando na perda de pontos no ranking e o prêmio em dinheiro recebido no evento."

Sharapova foi flagrada após a derrota no dia 26 de janeiro, válida pelas quartas de final do Australian Open desse ano, quando perdeu para a norte americana Serena Williams por dois sets a zero, com parciais de 6/4 e 6/1. Esta foi sua última partida desde então. No entanto, a tenista da Rússia anunciou em sua conta de Facebook, que recorrerá à decisão.

Sharapova cumprimenta Serena Williams/ Foto: Quinn Rooney/ Getty Images
Sharapova cumprimenta Serena Williams/ Foto: Quinn Rooney/ Getty Images

No dia sete de março, Maria solicitou uma coletiva de impressa para fazer um anúncio. Ela comunicou que um exame médico na Austrália identificou uma substância ilegal em seu corpo. Surpreendendo a todos a tenista explicou que usa um medicamento contendo Meldonium há dez anos (desde 2006) aconselhada pelo médico da família. A russa explicou que no dia 22 de dezembro recebeu um e-mail da agência mundial anti-dopping (WADA) que haveria uma mudança e que o medicamento entraria para a lista de banidos. A substância chamada Meldonium só se tornou proibida a partir do dia primeiro de janeiro de 2016. 

Meldonium é uma droga produzida na Rússia e proibida nos Estados Unidos. Ela ajuda a combater a isquemia, uma doença que impede a circulação do sangue em alguns tecidos. Pesquisas recentes mostraram que essa substância ajuda a aumentar a capacidade de exercício do corpo quando combinadas com treinamento devido à melhora na circulação sanguínea. 

Sharapova em ação no Australian Open/ Foto: Quinn Rooney/ Getty Images
Sharapova em ação no Australian Open/ Foto: Quinn Rooney/ Getty Images

Confira a carta de Sharapova aos fãs:

"Hoje, com sua decisão de uma suspensão por dois anos, o tribunal da ITF concluiu de forma unânime, que o que eu fiz não foi intencional. O tribunal considerou que eu não procurei tratamento com o meu médico para obter um aumento de desempenho.

A ITF gastou muito tempo e recursos tentando provar que eu violei intencionalmente as regras anti-doping, mas o tribunal concluiu que não. Vocês precisam saber que a ITF pediu uma suspensão por quatro anos - suspensão requerida para uma violação intencional - e o tribunal rejeitou o posicionamento da ITF.

Enquanto o tribunal concluiu corretamente que não violei as regras de antidoping de forma intencional, eu não posso aceitar uma suspensão dura de dois anos. O tribunal, cujos membros foram selecionados pela ITF, concordou que não fiz nada errado intencionalmente, mas eles querem me afastar do tênis por dois anos.

Eu vou apelar imediatamente de parte da suspensão de acordo com as regras da Corte Arbitral do Esporte (CAS). Eu sinto falta de jogar tênis e dos meus fãs incríveis, que são os melhores os mais leais do mundo. Eu li suas mensagens nas redes sociais e seu amor e apoio tem me ajudado a passar por esses dias difíceis. Eu tenho intenção de defender o que acredito que é certo e é por isso que vou lutar para estar de volta à quadra de tênis o mais rápido possível.

Com amor, Maria"

A melhor cobertura do tênis mundial, você acompanha na VAVEL Brasil.