Kei Nishikori, em busca de uma boa campanha na grama londrina

Japonês sexto colocado no ranking da ATP nunca passou das quartas de final de Wimbledon

Kei Nishikori, em busca de uma boa campanha na grama londrina
Kei Nishikori, em busca de uma boa campanha na grama londrina/ Foto: Clive Mason/ Getty Images

No próximo dia 27 de junho tem início o terceiro e mais tradicional Grand Slam da temporada, Wimbledon. Disputado no The All England Lawn Tennis Club, em Londres, o torneio celebra sua 130ª edição neste ano de 2016. Número seis do mundo, o japonês Kei Nishikori busca neste ano sua primeira grande campanha na grama londrina. 

Aos 26 anos, Kei Nishikori é o sexto colocado no ranking da ATP. No entanto, em seu currículo ainda é visível a falta de um título na grama e, mais do que isso, um Grand Slam. A melhor campanha feita pela japonês foi a final no US Open de 2014, quando, depois de derrotar Novak Djokovic nas semifinais, perdeu para o croata Marin Cilic por três sets a zero, com parciais de 6/3 6/3 e 6/3. Tirando essa excelente semana em Nova Iorque, o melhor resultado do japonês em qualquer outro Major são as quartas de final. No ano de 2014, na grama Nishikori fez sua melhor campanha da carreira.

Como cabeça de chave número dez da competição, o tenista do Japão começou sua caminhada na capital inglesa com uma ótima vitória contra o francês Kenny de Schepper em sets diretos. Na sequência, atropelou o norte americano Denis Kudla, perdendo apenas seis games. Na terceira rodada, precisou de cinco sets para bater o italiano Simone Bolelli, com parciais de 3/6 6/3 4/6 7/6 e 6/4. Porém, nas quartas caiu para o canadense Milos Raonic ao ser derrotado no quatro set, com parciais de 6/4 1/6 7/6 e 6/3.

Assim se encerrava a melhor aparição de Nishikori em Wimbledon. Neste ano, o tenista do Japão disputou somente um torneio na grama. No ATP 500 de Halle, na Alemanha, ele era o cabeça de chave de número dois. Depois de ganhar na estreia contra o francês Lucas Pouille por dois sets a um, com parciais de 6/7 6/1 e 6/4, ele teve de desistir da competição: “Infelizmente tive de desistir de Halle hoje. No segundo set da minha primeira ronda lesionei uma costela e ela não melhorou desde então. Vou fazer reabilitação nos próximos dias e devo estar bem para Wimbledon” declarou.

A melhor cobertura da 130ª edição do terceiro e mais tradicional Grand Slam do ano, Wimbledon, você acompanha na VAVEL Brasil.