Copa Davis: Sérvia e Grã-Bretanha enfrentam-se sem principais expoentes

Protagonistas, Andy Murray e Novak Djokovic ficarão de fora do confronto na Sérvia

Copa Davis: Sérvia e Grã-Bretanha enfrentam-se sem principais expoentes
(Foto: VAVEL Brasil)
Sérvia
Grã-Bretanha

Copa Davis chega a sua fase de quartas de finais nesta sexta-feira (15), e um dos confrontos mais esperados era o da Sérvia contra a Grã-Bretanha, atual campeã do torneio. Apesar das ausências de Novak Djokovic e Andy Murray, líder e vice do ranking mundial, o embate ainda promete muitas emoções, com jogos equilibrados.

Na primeira fase, a Grã-Bretanha, primeira cabeça de chave do torneio, venceu o Japão com propriedade por 3 a 1, com vitórias significantes de Andy Murray. Em uma partida emocionante contra Kei Nishikori em Birmingham, ele conseguiu vencer em cinco sets para levar a equipe às quartas de finais.

Já a Sérvia sofreu mais, jogando na capital Belgrado. Contra o CazaquistãoNovak Djokovic viu-se jogando um quinto set contra Mikhail Kukushkin quando sua equipe já estava na berlinda, perdendo por 2 a 1. Na decisão, Viktor Troicki decidiu ao bater Aleksandr Nedovyesov em sets diretos.

Para este confronto, as equipes não terão Andy Murray, que está em Belgrado para apoiar o time, e Novak Djokovic, que nem viajou com a delegação. Janko Tipsarevic Dusan Lajovic foram escolhidos por Bogdan Obradovic para jogar as simples, e Filip Krajonovic Nenad Zimonjic para as duplas. 

Do lado britânico, o capitão Lion Smith escalou o jovem Kyle Edmund para jogar as simples, juntamente com James Ward. Nas duplas, o ex-número um do mundo e parceiro do brasileiro Bruno SoaresJamie Murray, terá como parceiro Dan Evans.

Retrospecto

O único confronto entre as duas equipes foi em 2006, quando os sérvios viajaram até Glasgow, na Escócia. Com um placar de 3 a 2, os visitantes conseguiram triunfar, com duas vitórias do então jovem Novak Djokovic. Desta vez, nenhum dos tenistas que estarão em quadra se enfrentaram na história do circuito profissional, algo quase inédito na história da Copa Davis.