Djokovic e o dia 23 de junho de 2014: a última vez sem ser número 1 do mundo

Sérvio ultrapassou Nadal e se tornou número 1 do mundo na semana seguinte, posto que defendia até o momento

Djokovic e o dia 23 de junho de 2014: a última vez sem ser número 1 do mundo
Djokovic e o dia 23 de junho de 2014, a última vez sem ser número 1 do mundo

Era 2014, especificamente no dia 23 de junho. Novak Djokovic era o número 2 do mundo, mas passaria o espanhol Rafael Nadal na semana seguinte e se manteria no posto onde defendera até hoje. Foi a última vez que o sérvio não ocupou o lugar mais alto do ranking da ATP, feito mantido até este sábado (5), quando foi desbancado por Andy Murray, o novo líder do mundo do tênis.

De lá pra cá,  dois anos de pura soberania de Novak Djokovic. No total, foram 122 semanas ocupando o posto de número 1 do mundo, acumulando 223 semanas no somatório geral da carreira. Entre idas e vindas, alcançou a liderança três vezes. Agora, para recuperar a posição herdade por Murray, terá que caminhar para a quarta.

A mudança ocorreu após o britânico vencer Milos Raonic, na semifinal do Masters 1000 de Paris, ultrapassando assim a quantidade de pontos do sérvio. Ex-número 1 do mundo, Djokovic parabenizou seu adversário pelo feito conquistado. Segundo ele, tal marca é fruto de sua qualidade e merecimento.

"Murray está em uma posição muito boa para alcançar o número 1 e, se conseguir, será merecido. Tenho muito respeito pelo que ele está fazendo. Lembro que a primeira vez que nos enfrentamos tínhamos 11 anos. O nível que ele alcançou no último ano é extraordinário", disse Djokovic.

 

Na atual temporada, Djokovic e Murray conquistaram sete títulos. O sérvio venceu o Australian Open, Roland Garros, o ATP 250 de Doha e os Masters 1000 de Indian Wells, Miami, Madrid e Toronto. Já o britânico levou Wimbledon, os Masters 1000 de Roma e de Xangai, os ATPs 500 de Queen's, de Pequim e de Viena, além da medalha de ouro olímpica no Rio 2016.