Brasil erra muito e é superado pelo Irã na segunda partida da Liga Mundial
Foto: Divulgação/FIVB

No segundo jogo contra o Irã, o Brasil não conseguiu repetir o resultado do primeiro e acabou superado por 3 sets a 0. Os iranianos jogaram com ritmo forte e, embalados, levaram a melhor com parciais de 25/18, 25/21 e 25/22, em 1h28, neste sábado (7), no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP). Esta foi a terceira semana da Liga Mundial 2014.

Na primeira etapa, em Jaraguá do Sul (SC), a equipe comandada pelo técnico Bernardinho foi superada pela Itália nas duas partidas e, na segunda, em Maringá (PR), venceu uma e perdeu outra para a Polônia.

Nesta sexta, o oposto Wallace foi o maior pontuador do Brasil, com nove acertos, todos em ataque. O ponteiro Lucarelli marcou oito vezes, também sempre no ataque, e Sidão ajudou com sete pontos (seis de ataque e um de bloqueio).

Bernardinho sabe que seu time tem muito a evoluir e que a forma de conseguir isso é treinando cada vez mais.

"Há de se reconhecer o mérito do Irã e, por outro lado, o Brasil jogou muito abaixo. Não estamos conseguindo manter a consistência. Nossa defesa também está abaixo. Na verdade, nosso time está abaixo. Agora vamos trabalhar, assumir a responsabilidade e não tem muito o que fazer, além de trabalhar cada vez mais", disse Bernardinho.

O treinador já programa os próximos dias da seleção: "Vamos para duas semanas fora agora, primeiro no Irã e depois da Polônia, onde vamos encontrar jogos muito duros. Precisamos achar uma consistência perdida. Precisamos de regularidade e sabemos que temos que buscar formas de crescer juntos".

Segundo o levantador Bruninho, a seleção tem lutado: "Não dá para pedir paciência para os torcedores. Temos que mostrar para eles que estamos lutando. Não pode faltar luta. Está faltando confiança. Precisamos dela para recuperarmos nossa agressividade o tempo inteiro, que foi a marca dessa seleção. Tanto da geração passada quanto da atual. A gente vai conseguir isso no dia a dia, treinando cada vez mais".

O central Sidão pensa, agora, no futuro da seleção na Liga Mundial: "Ainda temos chances de avançar. Isso só depende da gente. Sabemos que esse é um momento difícil, mas temos que continuar trabalhando de cabeça erguida. Não podemos desistir. Vamos continuar lutando, treinando muito e temos que, daqui para frente, ficar nos nossos acertos e diminuir cada vez mais nossos erros".

Após a partida, o médico do Brasil, Ney Pecegueiro, falou sobre a entorse do ponteiro Maurício Borges, que deixou a quadra ainda no primeiro set.

"Ele teve uma torção no tornozelo direito, que não foi mais grave pela proteção que usa nos jogos. Foi ao hospital fazer um raio-x para excluir a possibilidade de uma fratura que, aparentemente, ele não tem mesmo, mas vamos aguardar. A recuperação deve levar de duas a três semanas para voltar aos treinamentos. Isso vai depender um pouco da evolução nessas primeiras 48h", explicou Ney Pecegueiro.

Brasil, Irã, Itália e Polônia formam o Grupo A da Liga Mundial. A seleção verde e amarela é a maior vencedora da história da competição, com nove títulos.

A próxima disputa do Brasil na Liga Mundial será no Irã, contra os donos da casa, nos dias 13 e 15 de junho.

Brasil melhora no terceiro set, mas ainda erra muito e perde para o Irã

O confronto começou favorável ao Irã, que abriu 5/3 logo no início. Com ponto de bloqueio, o time visitante fez 8/5 no primeiro tempo técnico. No bloqueio de Sidão, o Brasil chegou ao empate. Os iranianos voltaram a abrir vantagem (14/11), e, com Lucarelli inspirado e pontuando bem, o time brasileiro voltou a encostar em 16/15. Em um jogo de muitas alternâncias, o Irã voltou a imprimir seu ritmo e fez 20/16. Contando com erros do Brasil, o adversário chegou a 22/17 e Bernardinho pediu tempo. No 24/18, o ponteiro Maurício se contundiu e foi substituído por Murilo. O Irã fechou o set em 25/18.

Os iranianos seguiram embalados e se mantiveram no comando do marcador também no começo do segundo set. O time adversário colocou três de vantagem em 16/13. A diferença no marcador se manteve e, quando o Irã vencia por 19/16, Lipe entrou no saque, mas o adversário não permitiu uma reação da equipe brasileira. A seleção iraniana seguiu superior e fechou em 25/21.

O oposto Wallace abriu o terceiro set para o Brasil e, com raça, a equipe da casa seguiu no comando do placar: 6/4. Wallace manteve a disposição no ataque e ajudou a seleção brasileira a seguir em vantagem (11/9). O Irã, então, conseguiu o ponto de empate em 14/14. E, no segundo tempo técnico, o time adversário esteve à frente: 16/15. No erro do Brasil, o Irã fez 18/15 e Bernardinho parou o jogo. A seleção brasileira, então, voltou a encostar no ataque de Sidão: 20/19. Mas o Irã dominou o jogo e fechou, desta vez, em 25/22.

Assessoria/CBV

VAVEL Logo