Douglas Cordeiro: um pernambucano a serviço do voleibol mineiro
Pelo Sada Cruzeiro, Douglas Cordeiro disputou mais de 200 partidas somente na Superliga (Foto: Matheus Adler / VAVEL Brasil)

Douglas Cordeiro: um pernambucano a serviço do voleibol mineiro

Central jogou pelo Minas Tênis Clube ainda no início da carreira, sendo tricampeão da Superliga Masculina de Vôlei, título que também conquistou atuando pelo Sada Cruzeiro, clube no qual o jogador anunciou a sua saída nesta semana

matheus-adler
Matheus Adler

Um dos ídolos da atual geração campeã do Sada Cruzeiro se despediu da equipe nesta semana. O central Douglas Cordeiro se reuniu com a diretoria e membros da comissão técnica da equipe para anunciar a decisão de deixar o elenco tricampeão da Superliga Masculina de Vôlei. Com a camisa celeste, Douglas atuou em mais de 300 partidas, contabilizando todos os torneios, e defendeu o time por sete temporadas, superando a marca que tinha conquistado no Minas Tênis Clube, onde atuou por seis anos. O jogador, juntamente com o seu empresário, analista propostas de outras equipes, mas a aposentadoria não é descartada, uma vez que a economia do país anda em baixa, refletindo no voleibol.

Com 36 anos de idade, sendo 21 deles se dedicando apenas ao vôlei, Douglas Cordeiro possui uma larga bagagem no esporte, conquistando títulos importantes desde o início de sua carreira, enfrentando preconceitos por causa de sua origem e seu sotaque, mas o fato é que o central não se abateu com isso e as respostas vinham de dentro das quatro linhas, atingindo números impressionantes. Douglas já marcou, em toda a história da Superliga, 3.418 pontos, sendo 649 de bloqueio, 236 de saque e 2.533 de ataque, e figura a lista dos dez jogadores que mais pontuaram em ataque. Além disso, o jogador participou da acensão das duas principais equipes de Minas Gerais: Minas Tênis Clube e Sada Cruzeiro.

1998: O ano em que a relação vitoriosa entre Douglas Cordeiro e Minas Gerais começou

Aos 19 anos de idade, Douglas Cordeiro chegava ao Telemig/Minas, como a equipe era chamada na época, após atuar pela Seleção Brasileira Juvenil, disputando o Campeonato Sul-Americano, onde conquistou o ouro e foi considerado o melhor bloquador do torneio. Na equipe minas tenista, o central foi campeão mineiro de 1998 e também ganhou o Sul-Americano de Clubes do ano seguinte, na ocasião, disputado na Colômbia.

Na temporada seguinte, Douglas começava a escrever a sua história no voleibol mineiro, por ter conquistado a sua primeira Superliga e também o bicampeonato mineiro. Já na temporada 2000/2001, o central se sagrou bicampeão da Superliga, mas acabou sendo vice-campeão no Campeonato Mineiro. O tricampeonato nacional veio na temporada 2001/2002, acompanhado de mais um título Estadual, mas o sucesso não se repetiu na temporada seguinte, onde o Minas acabou ficando em quinto lugar na Superliga, impedindo a conquista do tetracampeonato. Na sua última temporada pelo Minas, em 2004, Douglas Cordeiro conquistou o bronze na Superliga e o tetracampeonato Mineiro.

2004: O começo de um novo ciclo pelo Brasil

Depois de ser tricampeão da Superliga pelo Minas, Douglas Cordeiro mudou de ares e passou a defender o On Line/Herval em 2004, onde conquistou o Campeonato Gaúcho e a Liga Nacional, além de ter ficado em terceiro ligar naquela edição da Superliga e ter sido vice-campeão da Supercopa Mercosul. Na temporada seguinte, Douglas defendeu a mesma equipe, porém a cidade na ocasião, era São Leopoldo-RS, onde conquistou o bicampeonato Gaúcho, e o título da Copa Mercosul, além de ter sido vice-campeão do Grand Prix.

Em 2006, Douglas Cordeiro migrou para o Santander/Banespa, onde foi vice-campeão paulista daquele ano. Já na temporada 2007/2008, o central vestiu a camisa do Ulbra/Suzano/Uptime onde foi campeão paulista e gaúcho, e ficou em terceiro lugar na Superliga. No individual, Cordeiro se destacou no bloqueio, saque e ataque da competição.

2008: Um retorno para ser multicampeão em Minas Gerais

O Sada Betim (atual Sada Cruzeiro) anunciava em 2008, através de seu presidente, Vitório Mediolli, a contratação de Douglas Cordeiro, como principal reforço daquela temporada. E o jogador já chegou mostrando serviço, sendo campeão Mineiro daquele ano sob o comando do técnico Talmo Oliveira e conquistando também a Copa Bento. A equipe chegou a ter uma participação no Mundial de Clubes, ainda sem reconhecimento da FIVB (Federação Internacional de Vôlei), mas ficou em quarto lugar.  Na temporada seguinte, a equipe ficou em terceiro lugar na Superliga, colocação de suma importância, uma vez que a equipe era nova na competição.

2009/2010: Douglas Cordeiro vê parceria com o Cruzeiro se concretizar e a chegada dos futuros multicampeões

Em 2009, o Sada fechou uma importante parceria com o Cruzeiro Esporte Clube, assim, elevando mais o nome da equipe nas competições, passando a se chamar Sada Cruzeiro. Neste mesmo ano, Douglas Cordeiro viu a equipe anunciar o reforço do oposto Wallace, na época, o melhor sacador da Superliga e a contratação do técnico argentino, Marcelo Méndez. Aos poucos a futura base campeã estava sendo montada. Em 2010, era a vez do líbero Serginho, do levantador Willian e do ponteiro Filipe assinarem contrato com o Sada, se formava ali o grupo que seria multicampeão. Era a terceira temporada de Douglas no Sada Cruzeiro, e naquela época, havia conquistado o Torneio Internacional UC Irvine, disputado nos Estados Unidos, e chegaria também a sua primeira final na Superliga, sendo derrotado pelo Sesi, no Mineirinho, em Belo Horizonte, na mesma competição, o central ficou em sétimo lugar entre os maiores pontuadores de toda edição.

Foto: Divulgação

2011/2012: A primeira Superliga conqusitada pelo Sada Cruzeiro

Uma temporada vitoriosa para o Sada, mas, principalmente, para Douglas Cordeiro. O central naquele ano, havia sido convocado para a Seleção Brasileira Militar, onde conquistou a medalha de ouro nos Jogos Mundiais Militares. Além disso, Douglas conquistou o bicampeonato do Torneio Internacional UC Irvine e o Campeonato Mineiro, mas o Sada foi além, e conquistou também a primeira Superliga, após vencer o Vôlei Futuro por 3 sets a 1, em Araçatuba.

Foto: Divulgação

Sada Cruzeiro chega ao auge e conquista a Tríplice Coroa

O tempo foi passando e o Sada Cruzeiro almejava objetivos cada vez maiores. A conquista do inédito Sul-Americano de Clubes na temporada 2012/2013, credenciou a equipe a participar do Mundial de Clubes, realizado em Doha naquela mesma temporada, mas na ocasião, o Sada acabou ficando em segundo lugar, mesma colocação da Superliga daquele ano.

Mas na temporada seguinte, além do Cruzeiro ter conquistado o bicampeonato da Superliga em cima do Sesi, no Mineirinho, a equipe faturou o tão sonhado Mundial, sendo o primeiro clube brasileiro a conquistar o título. O Sada também conquistou a Copa do Brasil, realizada em Maringá, mais uma vez em cima do Sesi, e o bicampeonato do Sul-Americano, além do pentacampeonato Mineiro, assim conquistando a Tríplice Coroa.

Foto: Renato Araújo / Sada Cruzeiro

O adeus de Douglas Cordeiro do Sada Cruzeiro

No último dia 07 de março, antes da partida contra o Montes Claros, pelo primeiro duelo das quartas de final da Superliga, o central recebeu das mãos de Laura Medioli, representando o presidente da equipe, Vittorio Medioli, uma placa comemorativa, representando as 200 partidas defendendo o Sada Cruzeiro pela Superliga. Na ocasião, sua esposa e seus filhos entraram em quadra para celebrar junto com Douglas, os números conquistados pela equipe celeste.

Foto: Renato Araújo / Sada Cruzeiro

Douglas Cordeiro chegou pela porta da frente na equipe, sendo a principal contratação do antigo Sada Betim em 2008, após sete temporadas, o central sai como chegou, também pela porta da frente. O jogador conquistou junto com o elenco, no dia 12 de abril, o tricampeonato da Superliga, contra o Sesi, no Mineirinho, fazendo a sua última partida com a camisa do Sada. Douglas acompanhou e ajudou no crescimento do maior time de vôlei na atualidade no Brasil, ganhou a confiança do torcedor e constantemente era aplaudido pela torcida. Em sua mensagem de despedida publicada através de uma rede social, o central agradeceu a diretoria da equipe e aos torcedores pelo apoio, além dos companheiros de quadra.

Leia o comunicado na íntegra:

Tudo indica para um momento de tristeza. Realmente, todo o final é triste, principalmente por envolver uma história de tantas alegrias que foi a minha com o Sada Cruzeiro. Mas nao tenham dúvidas que, se hoje ...sou um profissional realizado é pq tive a oportunidade de fazer parte desse projeto desde praticamente seu início, ainda quando era Sada Betim. Quando cheguei ainda nao tínhamos conquistado nem um campeonato mineiro e hoje temos títulos para dar e vender. O peito sente uma dor muito grande pois nao dividirei mais as quadras com pessoas como @arjonaw7 @fernandokreling @filipe18volei @fredericwinters @sheyleal @kadubarreto @serginhovolei @gui_kachel @ederlevi03 @wallaceleandro08 @pv_dasilva @edercarbonera @isac.viana12 e muitos outros que me desculpem por ter esquecido de citar. Queria agradecer muito a toda a família Medioli que acreditou no meu trabalho e confiou em mim expectativas que tenho certeza que foram atendidas. Faço um imenso agradecimento aos torcedores celeste que me apoiaram todos esses anos e fizeram tão prazerosos esses momentos de glória como está estampado na foto acima. Muito obrigado!

Foto: Reprodução / Instagram
VAVEL Logo

Vôlei Notícias