Cruzeiro bate Zenit em jogo emocionante e fatura bi do Mundial de Clubes de Vôlei
(Foto: Douglas Magno / DM Press / SADA Cruzeiro)

O Cruzeiro conquistou neste sábado (31), o bicampeonato do Mundial de Clubes de Vôlei, em cima dos russos do Zenit Kazan, em partida emocionante, disputada em Betim/MG. Os anfitriões venceram por 3 sets a 1, relembrando o feito de 2013, quando a Raposa venceu outra equipe russa, o Lokomotiv Novosibirks, conquistando o primeiro caneco do torneio.

O técnico multicampeão pela equipe mineira, Marcelo Mendez, classificou o time como "espetacular". Ainda rasgando elogios ao elenco, o argentino destacou o compromisso de todo o plantel com a diretoria e comissão técnica, compromisso este, que deu resultado.

"Acho que o time merece ser qualificado como espetacular. Ganhamos de um candidato que é um dos melhores times do mundo, meia seleção russa, o oposto da seleção americana, e Leon, um ponteiro incrível. Acho que foi nosso jogo coletivo, trabalho tático e acho que o coração dos jogadores, que têm um compromisso muito grande para com o time, para com a diretoria, comissão técnica e isso deu resultado. Vencemos um time muito forte, que, se vai para a Olimpíada, tem muitas chances de ser campeão. É um time fantástico e nós o vencemos aqui em casa. Estamos felizes demais com essa conquista”, afirmou.

Panorama do jogo

O equilíbrio marcou a disputa entre as duas equipes. Prova disso, é que no começo do primeiro set, a partida estava empatada em 5/5, tendo o cubano Leal como destaque, pelo lado do Cruzeiro. A equipe do técnico Marcelo Mendez contou com um ace de Éder para manter a igualdade no placar, assim, a Raposa só abriu vantagem, quando Alan explorou o bloqueio russo, fazendo 20/19 para os anfitriões. Filipe foi o responsável por fechar o set para o Cruzeiro, fazendo 25/20, agitando o Ginásio Divino Braga.

Os russos voltaram para a quadra no segundo set, em busca da reação, e logo abriram 6/2 no placar, aproveitando dos erros celestes. Apesar do Cruzeiro ter conseguido diminuir a vantagem russa para um ponto (8/7), os visitantes conseguiram abrir seis de vantagem logo em seguida (16/10), porém, foram em busca do empate, e conseguiram (21/21). Mas não tinha jeito, o Zenit queria o set, e acabaram empatando a partida, fechando a segunda parcial por 25/21.

O terceiro set, foi, sem dúvidas, o mais eletrizante da partida. Com o confronto empatado por 1 set a 1, as duas equipes queriam o desempate. E foi a equipe da casa que começou bem, explorando o bloqueio russo e fazendo 8/7. E assim foi no restante da parcial, cada ponto sendo disputado, os visitantes conseguiram empatar em 24/24, mas Filipe, assim como no primeiro set, fechou a parcial em 27/25, levando a vantagem para o quarto set.

A motivação tomou conta do Cruzeiro, que começou a quarta parcial na vantagem, fazendo 14/11. Os russos ensaiavam uma reação, mas o cubano Leal, mostrava a sua força, e colocava a Raposa na frente. O Zenit até tentou alcançar os mandantes nos pontos finais, mas o título já estava encaminhado pra Minas Gerais, com 24/21, e a partida foi encerrada após os mineiros explorarem o bloqueio russo, garantindo o bi do Mundial.

Medalha de bronze

Mais cedo, o UPCN, da Argentina, em outra partida emocionante, derrotou o Paykan Teheran, por 3 sets a 2, com parciais de 21/25, 22/25, 25/20, 25/23 e 16/14, e garantiram a medalha de bronze, pelo segundo ano consecutivo na competição. Na ocasião, os argentinos venceram o atual campeão Cruzeiro, no Mineirinho, também por 3 sets a 2.

VAVEL Logo