Rexona-SESC supera Minas fora de casa e segue na liderança da Superliga feminina
Foto: Divulgação/Minas/Orlando Bento

O Minas recebeu o Rio de Janeiro na noite desta sexta-feira (16), na Arena Minas, em Belo Horizonte. Pela 10ª rodada da Superliga Feminina de Vôlei, as equipes fizeram uma partida de alto nível, digna de tamanha tradição, além de extremamente competitiva e imprevisível. Apesar do apoio da torcida e do bom desempenho, a equipe minastenista não segurou o time carioca, comandado pelo multicampeão Bernardinho, que venceu por 3 sets a 1. ( 21/25; 25/27; 27/25; 20/25)

Com o resultado, o Rio de Janeiro somou 25 pontos e se manteve na liderança da competição, enquanto o Minas continuou com os mesmos 13 pontos, figurando a sexta posição da tabela de classificação. Ambas equipes voltarão a jogar na próxima quarta-feira (21), data no qual farão o último jogo do primeiro turno da Superliga. O time minastenista receberá o Valhinos, na Arena Minas, em Belo Horizonte. Já o Rio continuará em Minas Gerais, uma vez que enfrentará o Praia Clube, na Arena Presidente Tancredo Neves, em Uberlândia.

Minas começa bem, mas Rio reage

Empurradas pela torcida mineira, as donas da casa fizeram um início de partida avassalador, enquanto a equipe carioca demonstrava-se desligada. Com bela atuação de Rosa Maria, o Minas chegou a abrir cinco a zero, forçando o técnico Bernardinho a fazer o primeiro pedido de tempo. Após a parada, a equipe visitante voltou com uma postura diferente para a quadra e pouco a pouco encontraram no placar.

Apesar do excelente desempenho da versátil Rosa Maria, atleta que atua com autonomia tanto como oposta quanto como ponteira, o Minas cometeu muitos erros na primeira parcial e enfrentou dificuldades para administrar a vantagem no placar. Além disso, encontrou pela frente a líbero Fabi, quem em noite inspirada, parou boa parte dos ataques do time minastenista.

O confronto seguiu disputado, mas o Rio fez pontos importante na segunda metade do set. Com 21 a 20 no placar, Bernardinho voltou a pedir tempo e orientou a equipe de forma que sustentasse o placar até o fim da primeira etapa. Contudo o time carioca fechou o ser inicial em 25 a 21, após erro da oposta Hooker no contra-ataque.

Minas tropeça novamente

Assim como na primeira parcial, o segundo set também começou com o Minas tomando à frente das ações. As donas da casa abriram 4 a 1, mas após erro polêmico da arbitragem, o rendimento da equipe caiu e o Rio empatou o confronto. Paulo Couto, técnico do time minastenista, percebeu rapidamente o problema e parou o duelo.

Após as orientações do comandante, o Minas voltou para o jogo e mesmo com dificuldades, lutou ponto a ponto na tentativa de reverter o placar. E conseguiu, a segunda virada do set veio no 15º ponto da equipe mineira e desta vez, a responsabilidade foi transferida para Bernardinho, que fez o pedido de tempo.

O confronto seguiu disputado, mas as cariocas não deitaram as donas da casa abrir grande vantagem. O principal destaque do Minas continuou sendo a atleta de 22 anos, Rosa Maria, que apresentava um aproveitamento excelente, enquanto do outro lado, Munique correspondia muito bem quando acionada. O Rio novamente reverteu o placar, fez 21 a 20 e Paulo Couto pediu tempo, mas de nada adiantou. Após longa disputa, Juciely chamou a responsabilidade e fechou a parcial no terceiro set point, em 27 a 25.

Rio falha e Minas se mantém vivo

Diferentemente das outras parciais, quem abriu o placar no terceiro set foi o Rio, em bela largadinha de Munique. No entanto, Hooker respondeu rapidamente para o Minas, fazendo com que o confronto continuasse extremamente disputado. Virada de um lado, virada do outro, mas nenhuma equipe conseguia abrir vantagem.

Dedicação e entrega foram características que não deixaram de estar presentes em nenhum momento da partida, proporcionando bons ataques, defesas e rally's a todos que acompanhavam o duelo. Exemplificando, na segunda metade do terceiro set as equipes protagonizaram o melhor rally da partida, se não da Superliga, no qual teve nada menos que 53 segundos de bola em jogo.

O confronto seguiu disputado e nervoso, mas com a equipe mineira destacando-se com os fundamentos de bloqueio - sendo oito pontos na parcial - e saque, enquanto as cariocas pecavam na recepção. Finalmente o Minas abriu vantagem e chegou ao primeiro set point no jogo, mas só fechou a parcial no segundo, com a oposta Hooker, em 27 a 25.

Rio é soberano e vence o duelo

O quarto e último set foi novamente aberto pela equipe minastenista, com a jovem catarinense Rosa Maria. As donas da casa cresceram e ficaram à frente no placar, mas o Rio não se abalou e foi em busca da virada. Recheada de boas jogadas e rally's emocionantes, a parcial seguiu emocionante e intensa.

O Minas abriu 12 a 8 e rapidamente Bernardinho parou o jogo, promoveu mudanças e o panorama mudou. As equipes empataram em 16 a 16 e com o crescimento do time carioca, o desfecho do jogo ficou meramente previsível. O Rio abriu cinco pontos de vantagem e alcançou o match point, mas antes, Rosa Maria evitou o fim da partida em um rally brigado, que durou 48 segundos. No entanto, com as equipes visivelmente desgarradas, a força da equipe visitante prevaleceu e o confronto foi fechado por Juciely, em 25 a 20.

VAVEL Logo