Após 14 anos de ausência, elite do voleibol feminino contará com equipes paranaenses
Foto: Josi Schmidt/Federação Paranaense

Com o fim da temporada se aproximando, os campeonatos vão entrando em seus momentos de definição. Na Superliga Feminina, o Rio de Janeiro garantiu vaga na decisão pela 14ª vez seguida. A equipe carioca agora está no aguardo do vencedor do confronto Praia Clube x Osasco.

Já na Superliga B, divisão de acesso, Curitiba Carob House/CMPVôlei Positivo/Londrina decidirão o título. No entanto, as equipes paranaenses já têm muito o que comemorar. Com a classificação à final, ambas garantiram acesso à principal divisão do voleibol brasileiro, encerrando um jejum de 14 anos sem nenhuma equipe paranaense na elite. 

O primeiro time a garantir o acesso foi o Curitiba. Na última quinta-feira (29), a equipe da capital derrotou o São José dos Pinhais (PR) por 3 sets a 0, com parciais de 25/08, 25/23 e 25/09, no ginásio do Círculo Militar do Paraná, em Curitiba. Na partida de ida, a vitória também foi do Curitiba, e pelo mesmo placar: 3 sets 0. Por ter feito a segunda melhor campanha da fase classificatória (quatro vitórias e uma derrota em cinco jogos), o time da capital avançou direto às semifinais. 

“Mais um degrau alcançado. Um grito de alívio. Queremos ir para a decisão com tudo, mas já saber que estamos na primeira divisão é muito bom. Ainda mais que demos este presente à Curitiba, que faz aniversário hoje. Acho que foi maravilhoso. Estamos de parabéns e fomos obedientes taticamente o tempo todo. Sabíamos que não seria fácil, que elas não entregariam o jogo e teríamos que lutar até o fim. Estamos de alma lavado, mas já teremos que pensar na final, pois queremos muito mais”, comemorou a experiente central Valeskinha, campeã olímpica em Pequim 2008. 

A situação foi bastante semelhante com o recém-criado Vôlei Positivo/Londrina. Time de melhor campanha na fase inicial (cinco vitórias em cinco jogos), a equipe londrinense também entrou direto nas semifinais e não encontrou resistências para superar o ADC Bradesco, de São Paulo. Com vitórias por 3 sets a 1 (21/25, 18/25, 27/25 e 22/25) e 3 sets a 0 (25/13, 25/20 e 25/23), o Vôlei Positivo confirmou o favoritismo e chegou à decisão. 

"A equipe está de parabéns, pois alcançou seu objetivo e vocês [torcedores] também contribuíram para esta conquista. Portanto, no dia 9 de abril, teremos a final aqui no Moringão. Tragam as suas famílias e vamos fazer uma grande festa”, disse a medalhista olímpica Elisângela, que é madrinha do projeto.  

A decisão da Superliga B Feminina 2018 será no dia 9 de abril, às 19h30, no ginásio Moringão, do Vôlei Positivo/Londrina, time de melhor campanha. 

VAVEL Logo