Regular do início ao fim: confira a trajetória do Sesc RJ na Superliga Feminina

Vice-líder na fase classificatória e invicto nos playoffs, equipe carioca tenta erguer o 13º título do principal torneio do voleibol brasileiro

Regular do início ao fim: confira a trajetória do Sesc RJ na Superliga Feminina
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

A equipe feminina de vôlei do Rio de Janeiro é a maior vencedora da Superliga Feminina, tendo conquistado 12 títulos nos últimos 14 anos. Agora na temporada 2017/18, o time comandado pelo técnico Bernardinho vai disputar mais uma decisãoNesse domingo, às 10h, na Arena Carioca, Sesc Rio e Praia Clube se enfrentam pelo primeiro jogo da final. 

O Sesc RJ fez uma excelente campanha na fase classificatória, conquistando 20 vitórias em 22 partidas, terminando a primeira fase em segundo lugar na tabela. O único time à frente da equipe carioca foi justamente o Praia Clube, adversário na final. A equipe mineira beirou a perfeição na fase inicial, sofrendo apenas uma derrota. 

+ Finalistas, Praia Clube e Sesc RJ protagonizaram grandes jogos na Superliga Feminina

Nas quartas de final, o Rio de Janeiro passou com duas vitórias sobre o Pinheiros. Já nas semifinais, o adversário foi o Camponesa/Minas, seu algoz no Sul-Americano feminino de clubes. Embora se esperasse uma série equilibrada, as comandadas de Bernardinho fizeram 3 a 0 e conquistaram a vaga para final de forma bem tranquila. 

Além de ter sofrido com algumas lesões durante a temporada, perdendo duas  jogadoras que tiveram que passar por cirurgia - a ponteira Gabriela Guimarães e a central Juciely - o Sesc soube se manter firme para buscar seus objetivos no certame nacional. 

A equipe carioca contou com alguns destaques individuais, como Monique Pavão, que além de entrar no time dos sonhos da Superliga, ainda foi a segunda melhor sacadora da competição, conseguindo 29 aces. Já Mayhara Silva foi a quarta melhor bloqueadora, com 78 pontos neste fundamento.

A supremacia carioca parece mesmo não ter fim. O time chega para a sua 14º final seguida e se firma cada vez como a principal potência do voleibol feminino brasileiro. Com fome de títulos, o time comandado por Bernardinho parece não ter limites e chega ainda mais embalado para a grande final, já que não perdeu nenhum jogo dos playoffs e viu suas rivais do Dentil/Praia clube passarem com dificuldades pelo Osasco nas semifinais. 

A final será decidida em dois jogos. Se cada time ganhar um confronto, haverá um set extra logo após a segunda partida. A Arena Carioca 1, localizada no Rio de Janeiro, será o palco do primeiro duelo da final. A segunda partida está marcada para o dia 22 de abril, no ginásio Sabiazinho, em Uberlândia.