Consistente, Rio de Janeiro bate Praia Clube e constrói vantagem na final da Superliga

Time carioca demonstrou volume de jogo e paciência para derrotar adversário mineiro na primeira partida da final

Consistente, Rio de Janeiro bate Praia Clube e constrói vantagem na final da Superliga
Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

A final da Superliga Feminina de Vôlei desta temporada será decidida em duas partidas. Neste domingo (15), no ginásio Arena carioca 1, Rio de Janeiro Praia Clube iniciaram o duelo para coroar o vencedor com o título do torneio nacional. Jogando com muita consistência, a equipe da casa derrotou o adversário mineiro pelo placar de 3 sets a 1 (26/24, 25/19, 22/25 e 25/17) e construiu vantagem confortável para o jogo da volta, em Uberlândia.

Dono da segunda melhor campanha da fase classificatória, o Rio de Janeiro eliminou a equipe do Pinheiros antecipadamente na série em três partidas das quartas de final. Com duas vitórias, a primeira por 3 sets a 2 (19/25 25/21 18/25 25/22 18/25) e a segunda pelo placar de 3 sets a 0 (25/22 25/22 25/13), a equipe garantiu a vaga na fase seguinte da competição.

Para a semifinal, uma série mais longa, dessa vez em cinco jogos. Encarando o Minas, novamente o time carioca demonstrou sua força. Com três vitórias - 3 sets a 2 (26/24 25/23 21/25 25/27 7/15), 3 sets a 0 (25/16 25/21 25/14) e 3 sets a 1 (25/11 21/25 25/17 25/18), o time de Bernardinho conquistou lugar na 14º final seguida de Superliga.

Líder da primeira fase, o Praia Clube ganhou a vantagem de jogar o confronto final em seus domínios em todas as fases conseguintes do torneio. A campanha do time mineiro nas eliminatórias começou com duas vitórias sobre o adversário da vez, o Vôlei Bauru.

No primeiro triunfo, 3 sets a 1 (25/27 25/21 15/25 20/25) fora de casa. Pela partida da volta, placar de 3 sets a 0 (25/20 25/16 25/19) e vaga garantida para a semifinal, onde aconteceria o confronto mais disputado da temporada. Com três vitórias jogando dentro de sua casa - 3 sets a 2 (23/25 25/19 25/23 25/27 15/13), 3 sets a 1 (25/23 22/25 25/23 25/20) e 3 sets a 1 (18/25 25/16 25/19 25/21), o time de Paulo Coco conquistou a classificação para a final na base da raça, com os cinco jogos em disputa, eliminando o forte time do Osasco.

Resumo da partida

O início de partida deu a entender que o Praia Clube iria dificultar o jogo do Rio de Janeiro em solo carioca. Com o fundamento de bloqueio em destaque, as mineiras abriram vantagem no marcador, mas assim permaneceu por pouco tempo. Após a primeira parada de Bernardinho, o Rio se arrumou dentro de quadra, evoluiu no ataque e logo tomou à frente do placar, parando o adversário também usufruindo do bloqueio com qualidade.

Diante do cenário decisivo, a parcial se equilibrou. No fim, sobressaiu a sobriedade da equipe carioca, que fechou o set em 26 a 24 no bloqueio da ponteira Gabi, saindo na frente do placar da partida.

Embalado pelo triunfo no período anterior, o Rio de Janeiro voltou para a quadra determinado a ampliar o placar do duelo. Demonstrando volume de jogo, as cariocas abriram grande vantagem no marcador contra um Praia Clube que, parecendo assustado com o ímpeto das donas da casa, falhava seguidamente.

Mesmo com as paradas de Paulo Coco e a reação no fim, impedindo que o adversário fechasse o set em quatro ocasiões, nada poderia impedir a vitória do Rio na parcial. Novamente com Gabi, dessa vez no ataque, a equipe fechou o set em 25 a 19

Reunião da equipe do Rio de Janeiro antes do início de partida (Foto: Felipe de Oliveira/VAVEL Brasil).
Reunião da equipe do Rio de Janeiro antes do início de partida (Foto: Felipe de Oliveira/VAVEL Brasil).

O prejuízo era grande, no entanto, a equipe do Praia Clube sabia que tinha chance de buscar o placar e reagiu no quarto set, lembrando o time que iniciou a partida. O time do Rio, por sua vez, caiu de produção com a evolução do adversário. Porém, méritos para as meninas de Uberlândia.

Com a oposta norte-americana Fawcett entrando no jogo e a boa exibição da central Fabiana, as mineiras abriram vantagem no fim e não desperdiçaram a chance de diminuir o marcador do jogo, fechando o set em 25 a 22 com o ace da ponteira Fernanda Garay

A reação do Praia Clube se estendeu para o começo do quarto set, mas não durou muito. Com nova parada de Bernardinho, o Rio de Janeiro acordou, virou o marcador e voltou a demonstrar o grande volume de jogo que emplacou durante as primeiras parciais. Então, o jogo coletivo das cariocas sobressaiu.

Com a oposta Monique, a central Juciely e a ponteira Drussyla, a última escolhida a melhor do jogo, em grande dia, o time do Rio abriu vantagem próximo ao fim  e só precisou administrar para fechar o set em 25 a 17 e sair com vantagem confortável ao vencer a primeira partida da final pelo placar de 3 sets a 1.

Confira o ponto  de Drussyla, que deu números finais a partida