Cruzeiro derrota Taubaté, vence série de virada e se garante na decisão da Superliga

Equipe celeste encerrou série de cinco jogos com três vitórias seguidas e vai enfrentar Sesi-SP em busca do hexacampeonato

Cruzeiro derrota Taubaté, vence série de virada e se garante na decisão da Superliga
Foto: Divulgação/Sada Cruzeiro
Sada Cruzeiro
3 1
Taubaté
Sada Cruzeiro: URIARTE, EVANDRO, ISAC, SIMON, LEAL E FILIPE; LÍBERO: SERGINHO
Taubaté: RAPHAEL, WALLACE, SOLÉ, OTÁVIO, DANTE E IVOVIC; LÍBERO: THALES
Placar: 3 sets a 1 (16/25, 25/20, 25/18 e 25/20)
INCIDENCIAS: Partida válida pela semifinal da Superliga Masculina 2017/18, disputada no ginásio do Riacho, em Belo Horizonte (MG).

Nesta sexta-feira (20), Sada Cruzeiro e Taubaté se enfrentaram pela quinta e decisiva partida, válida pela semifinal da Superliga Masculina 2017/18 e disputada no ginásio do Riacho, em Belo Horizonte. Depois de um confronto nervoso na rodada anterior, as equipes decidiam quem iria garantir a vaga na finalíssima para encarar o Sesi-SP. Venceu a experiência. Derrotando o Taubaté por 3 sets a 1 (16/25, 25/20, 25/18 e 25/20) o Sada Cruzeiro garantiu classificação para defender o hexacampeonato do torneio.

Ainda no começo da semifinal parecia que o Taubaté teria vida fácil no confronto. Após vencer as duas primeiras partidas - placares de 3 sets a 1 e 3 sets a 0 -, o time paulista teria mais três chances para conquistar apenas um triunfo e garantir a vaga na decisão da competição nacional. No entanto, do outro ladro da quadra, havia um dos times mais vitoriosos do voleibol brasileiro.

Mesmo pressionado, o Sada Cruzeiro cumpriu o que precisava fazer para levar a série adiante. Venceu as duas partidas por 3 sets a 0 e deixou a decisão do segundo finalista para o quinto e último jogo.

Resumo do jogo

O jogo começou com o Cruzeiro abrindo boa vantagem no placar e as duas equipes forçando o saque. No fundamento de ataque, o Taubaté igualava o adversário celeste, e foi dessa forma que os paulistas reagiram.

Caindo de produção após o grande início de partida, o Sada Cruzeiro sentiu a pressão e passou a cometer falhas. O time taubateano então se aproveitou do bom momento, encaixou sua forma de jogar e passou a controlar o placar até o fim da etapa. Com o bloqueio funcionando, a equipe paulista fechou em 25 a 16 e saiu na frente do placar da decisão.

Apesar da queda brusca  de rendimento, o time do Sada Cruzeiro sabia que não poderia deixar se abater. Foi o que aconteceu. Com um começo equilibrado de segunda parcial, as equipes se mantiveram iguais em boa parte do período, quando a força do time celeste sobressaiu contra o adversário paulista. Um saque mais efetivo, a defesa mais consistente, confiança retomada. Assim o Cruzeiro fechou o set em 25 a 20 e deixou tudo igual no duelo.

Diferente de seu adversário, o time do Cruzeiro soube aproveitar o bom momento e permaneceu atuando de forma consistente. Com um saque de confiança, os mineiros passaram a complicar ainda mais a recepção e o ataque paulista, o que também favoreceu o bloqueio da equipe da casa, fundamento de destaque na parcial. Ao Taubaté, restava reagir para evitar a virada no jogo. Não deu. O Sada Cruzeiro fechou o set em 25 a 18 e virou a partida, colocando 2 sets a 1 no placar.

A experiência prevaleceu no quarto set. Acostumado com momentos decisivos, o Sada Cruzeiro continuou em cima do Taubaté com objetivo de vencer a partida, fechar a série e conquistar vaga na oitava final seguida de Superliga. O adversário paulista queria forçar o tie-break para ter chance de vencer o duelo e chegar a segunda decisão seguida.

Apesar de dificultar o jogo durante o set, com grande partida do oposto Wallace, o coletivo do time celeste pesou. Fechando o set em 25 a 20, os mineiros venceram o jogo por 3 sets a 0, fecharam a série em 3 sets a 2 e se tornaram finalistas da maior competição do Vôlei nacional.