Guia VAVEL Superliga Masculina de Vôlei 2018-19:  Sesc-RJ

Enfim começou a  Superliga Masculina. Um dos favoritos para desbancar o hexacampeão Cruzeiro é o Sesc-RJ . Na última temporada, o time carioca terminou em segundo na classificação classificatória e foi eliminado nas semifinais do mata-mata para o Sesi-SP.

Criado em 2016, o Sesc vai em busca do título inédito do torneio nacional. O clube levantou a taça do Campeonato Carioca três vezes, incluindo a deste ano.

A estreia da equipe azul será contra o Maringá , fora de casa, sábado (27), às 18h. Na próxima rodada, será seu primeiro jogo na casa, que será contra o Caramuru , no dia 3 de novembro.

Elenco


Apesar das saídas do ponteiro João Rafael e do oposto Renan, o elenco do Sesc-RJ não parece estar enfraquecido, muito pelo contrário. As chegadas do oposto Wallace , do central Aracaju e do ponteiro Rozalin Penchev reforçaram a equipe, que chega mais uma vez com força para a busca de um inédito título nacional. Outros reforços são os ponteiros Djalma e Felipi Rammé, além do central Victor Hugo.

Penchev é um dos reforços do Sesc RJ
Foto: Reprodução / Facebook / Sesc

A chegada do campeão olímpico Wallace além de dar peso ao grupo, também traz visibilidade para o, ainda novato, time. Além disso, o Sesc RJ contratou seu primeiro estrangeiro, o búlgaro Penchev, vindo do Bolívar, clube da Argentina onde se destacou.

Treinador

Foto:Reprodução/Facebook/Sesc


Giovane Gávio comanda o Sesc desde o início do projeto, em 2016. Foi campeão carioca com a equipe desde então, ganhando três títulos (2016-2017-2018). Além disso, levou a Superliga B. Giovane também é treinador da seleção brasileira sub-23.

Todavia, soma no currículo quatro temporadas no Sesi-SP, forte time paulista, tendo conquistado títulos importantes, como a Superliga Masculina, na edição 2010/2011 e o Campeonato Sul-Americano, em 2011.

Última campanha na Superliga


Vindo da Superliga B, o Sesc subiu rapidamente de patamar, figurando entre os melhores times do Brasil, tendo conquistado o segundo lugar da fase classificatória e chegado até a semifinal da competição.

O forte elenco, que já contava com nomes conhecidos do vôlei, como João Rafael, Tiago Barth e Maurício Borges, levou a equipe carioca a brigar de igual para igual com Sesi-SP e Cruzeiro. Na temporada passada, terminou a fase classificatória da Superliga com 49 pontos, tendo ganhado 17 de 22 jogos disputados.

VAVEL Logo