Jogadores do Minas exaltam aproveitamento de saque e defesa em vitória sobre Sesc-RJ
Minas bateu o Sesc RJ fora de casa por 3 sets a 2 (Foto: Vinicius Lima/Divulgação)

Jogadores do Minas exaltam aproveitamento de saque e defesa em vitória sobre Sesc-RJ

Equipe mineira avançou às semifinais da Copa Brasil e enfrentará Taubaté

juliana
Juliana Cristina

O Minas venceu o Sesc-RJ nesta quarta-feira (16) e se classificou para as semifinais da Copa Brasil. O duelo ocorreu na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro. A vitória veio em 3 sets a 2, com parciais de 25/20, 23/25, 25/22, 18/25 e 11/15.

O ponteiro Honorato ressaltou a importância do coletivo e apontou quais foram os pontos fortes da equipe mineira para sair com a vitória:

"A preparação não mudou. Sempre fazendo o nosso melhor diariamente. E isso é fruto do nosso trabalho, de toda entrega e a gente mostrou para nós mesmos que somos capazes. Quero destacar a força do grupo. O Roque entrou muito bem no jogo. A gente passou muito bem também. As bolas de contra-ataque nós erramos algumas, só que outras a gente conseguiu negociar melhor. Usamos muito o Maringá como referência pra gente nesse jogo. O Maringá ganhou deles e eles não erravam muito as bolas altas, então acho que esse foi o diferencial para sairmos com a vitória aqui hoje.

O central Flávio opinou sobre o que levou ao Minas conseguir a vitória diante dos ex-líderes da Superliga:

"O Sesc era o líder (da Superliga), tínhamos que entrar forte. Foi um jogo bem disputado. Acho que o que fez a diferença no quarto set e no tie-break, que vencemos, foi o nosso saque e a forma que jogamos. A gente não valorizou tanto nossos erros, nossas ações negativas, que isso acaba influenciando até no psicológico, desmotivando um pouco mais. Nós valorizamos nossas ações positivas, que foram muito boas. A gente sacou bem, marcou bem os atletas dele. Então acho que isso foi fundamental para a nossa vitória".

Foto: Vinicius Lima/Divulgação
Foto: Vinicius Lima/Divulgação

O oposto Felipe Roque fez uma avaliação da partida e exaltou o bloqueio, a defesa e o contra-ataque de seu time:

"Olhamos uns cinco jogos deles pra estudar bastante o time. Acho que foi isso que mandou no jogo. A gente fez uma marcação muito boa no bloqueio, nosso sistema defensivo funcionou e o nosso contra-ataque ajudou a gente a manter a frente do placar. Isso foi o mais importante para a vitória de hoje.

O jogador também comentou sobre o que espera da semifinal, contra o Taubaté:

"Com certeza será um grande jogo. Da mesma forma que encaramos o Sesc, vamos estudar o nosso adversário, vamos buscar a melhor forma de anular o sistema deles”.

O levantador Marlon frisou a relação entre saque, defesa e ataque, e afirmou que dessa forma é possível render em quadra:

"Eu acho que, principalmente nesse jogo, a gente jogou mais solto. Uma partida que até certo ponto vale uma briga por um título direto e mais rápido que a Superliga. Mas ao mesmo tempo a gente jogou contra uma equipe que era favorita. Conseguimos construir o jogo. Mesmo na dificuldade a gente foi resiliente. Mantemos a pressão no saque, sistema defensivo funcionou muito bem, que é o ponto forte da nossa equipe. 

Se a gente consegue sacar que nem sacou hoje e o sistema defensivo aparece, o ataque fica mais leve. Então a coisa rendeu por aí. O sistema defensivo fazendo o ataque jogar mais tranquilo.

O capitão do Minas demonstrou empolgação ao projetar a semifinal, que será no dia 26, em Lages:

"Espero super jogos, vai ser Lages, no estado de Santa Catarina, que eu tenho uma história enorme, tenho um projeto social que vai aparecer por lá, vou ter uma torcida muito legal de Florianópolis. Enfim, é mais um jogo único: ganhou está na final, perdeu é 'terceiro e quarto' e a gente vai lá pra brilhar e fazer esse time, quem sabe, conquistar o título mais importante da sua história recente.

VAVEL Logo