Brasil vence Sérvia e encerra primeira rodada do Grand Prix invicto

Os três primeiros jogos da rodada inicial aconteceram em Arena do Parque Olímpico e seleção feminina conquistou a vitória contra a Sérvia neste domingo

Brasil vence Sérvia e encerra primeira rodada do Grand Prix invicto
Natália, maior pontuadora da partida (Foto: Divulgação/CBV)

A semana do Grand Prix no Rio de Janeiro, em um dos palcos dos Jogos Olímpicos chegou ao fim. A Arena Carioca 1 rendeu os 100% de aproveitamento e permitiu que a série de cinco anos invictos nas rodadas iniciais permaneça. O último jogo diante os cariocas foi contra a Sérvia e a seleção feminina de vôlei conquistou uma vitória por 3 a 0, em uma hora e meia de partida.

Um jogo que o Brasil foi conquistando a tranquilidade. A Sérvia vinha sempre atrás do placar e marcava seus pontos com boas jogadas, inclusive, algumas vezes conseguiu abrir pequenas vantagens. A grande jogadora Brakocevic era o destaque do lado adversário e Gabi apareceu mais na partida deste domingo (12), porém Natália foi a maior pontuadora com 14 pontos.

Após as vitórias sobre Itália (3 a 1), Japão (3 a 0) e Sérvia (3 a 0), o Brasil soma nove pontos e segue para a próxima rodada do Grand Prix em Macau, na China, onde vai enfrentar novamente a Sérvia, e China e Bélgica. Antes da fase final em Bangcoc, na Tailândia, no período de 6 a 10 de julho, a última rodada classificatória será na cidade turca de Ankara e a seleção feminina encontra as donas da casa, Bélgica e Itália.

Grande Gabizinha

A ponteira Gabi figurou no banco de reservas nas duas primeiras partidas do Grand Prix, ela era chamada apenas para saques importantes nos jogos. Porém, nesta manhã ela não voltou ao banco, pois apresentou que se recuperou bem da lesão no tornozelo esquerdo que preocupava o técnico Zé Roberto para formação do grupo dos Jogos Olímpicos.

Entrando no lugar da Fê Garay, a jogadora do Rio de Janeiro se mostrou em casa, solta no jogo fazia todas as funções bem executadas sem reclamar de dores na região lesionada e sempre com um sorriso no rosto.

O jogo

O Brasil não perdia para Sérvia a três jogos e começou embalado, abrindo o placar em 3 a 0. As sérvias acordaram para partida, mas a ponteira Natália passava facilmente sobre o bloqueio das adversárias. No decorrer do primeiro set a Sérvia se encaixou e era guiada pela principal jogadora, Brakocevic que fez diminuir a diferença do placar para 10 a 1 e depois virar o para 13 a 12.

O técnico Zé Roberto não gostou de se ver atrás na pontuação parcial e parou o jogo para orientar as meninas. A partir daí a seleção feminina apresentava uma tranquilidade que conduziu ao domínio da partida, que encerrou o primeiro set com erro de saque adversário. Final da primeira parcial: 25 a 20.

Novamente Natália. Nome do jogo foi a responsável por abrir a contagem do segundo set. A seleção brasileira permanecia na frente do placar enquanto a Sérvia vinha atrás em busca do prejuízo. A desenvoltura da dupla do time do Rio de Janeiro, Natália e Gabi, fez a seleção alcançar a vantagem de 16 a 14 no segundo tempo técnico do set. A oposta Sheilla fez dois pontos de saque em sequência, enquanto a Sérvia parecia perder as forças para uma reação. Segundo set terminou 25 a 18.

No intervalo para o terceiro set, as jogadoras que já representaram o Brasil em Jogos Olímpicos foram homenageadas na Arena Carioca 1. Já as novas atletas que compõem a seleção feminina de vôlei vieram para quadra com ritmo de finalizar o jogo. No bloqueio composto pela levantadora Roberta e a central Thaísa, o Brasil fez 3 a 0, com a última parcial de 25 a 18. A seleção brasileira foi superior em todos os quesitos, bateu 45 pontos de ataque enquanto as adversárias somaram apenas 26, foram sete pontos de bloqueio e oito saques brasileiros que agregaram o placar. Já as sérvias marcaram dez pontos nos dois fundamentos somados.