Brasil bate Estados Unidos no tie break e conquista Grand Prix pela décima primeira vez

Jogo decidido em cinco sets foi equilibrado até o fim, quando seleção brasileira dominou as ações

Brasil bate Estados Unidos no tie break e conquista Grand Prix pela décima primeira vez
Com 18 pontos na partida, Fabiana foi a principal pontuadora do Brasil no título (Foto: Reprodução/FIVB)
Brasil
3 2
Estados Unidos

Jogando em Bangkok, na Tailândia, o Brasil venceu os Estados Unidos por 3 a 2 na final do Grand Prix de 2016 e conquistou o torneio pela décima primeira vez na história. As parciais ficaram em 18/25, 25/17, 25/23, 22/25 e 15/9.

O último jogo do Brasil antes das Olimpíadas marcou o encontro entre as campeãs da última edição do torneio e do campeonato mundial – EUA – e as atuais bicampeãs olímpicas e maiores vencedoras do GP, agora com 11 conquistas: o time brasileiro.

Pelo Brasil, os destaques da decisão foram Fabiana, Sheilla e Fernanda Garay, com 18, 14 e 14 pontos, respectivamente. Do lado americano Akinradewo fez 19 pontos, Kimberlly Hill fez 17 e Rachael Adams, 15.

Brasil erra bastante e time americano larga na frente na decisão

Buscando o décimo primeiro título do Grand Prix, o Brasil começou bem com Fernanda Garay comandando as ações de ataque, mas uma sequência de erros fez as americanas assumirem a liderança no 5 a 4. O time dos EUA foi ao tempo técnico liderando por 8 a 7 e permitiu, na sequência, que as americanas chegassem a abrir 10 a 7, o que fez Zé Roberto Guimarães pedir tempo.

Errando bastante e com problemas na recepção do saque americano, o Brasil perdia o jogo por 16 a 11 após a segunda parada técnica. A conversa do time com Zé Roberto pareceu dar resultado, e, após ataque de Fabiana, o placar marcava 16 a 14.

O time americano conseguiu o set point após ataque de Akinradewo. Aproveitando-se dos erros brasileiros e jogando com sintonia os EUA fecharam o primeiro set em 25 a 18 com 9 pontos a partir de erros do time brasileiro e dois aces.

Seleção brasileira se recupera, pressiona e empata partida

O time americano voltou bem para o segundo set e abriu 4 a 2 após saque de Sheilla na rede. O Brasil equilibrou as coisas: com Dani Lins no saque, a recepção americana ficou complicada e, após ataque de Thaísa pelo meio, o Brasil foi à parada técnica liderando um jogo equilibrado: 8 a 7.

Com a seleção brasileira mais ligada na recepção, errando menos e atacando melhor, o time de Zé Roberto abriu 12 a 10 após ataque de Fabiana pelo meio. A segunda parada técnica do set veio com o primeiro ponto de Sheilla no jogo: o placar mostrava 16 a 13 para o Brasil.

Reagindo na partida, as comandadas de Zé Roberto abriram 20 a 15 e chegaram a reta final do segundo set jogando um bom vôlei, que envolvia todas as jogadoras em quadra. Atrás no placar, os EUA erravam mais: o Brasil venceu o segundo set por 25 a 17 ajudado por uma invasão de Murphy. O jogo estava empatado.

Terceiro set marca equilíbrio, mas Brasil vira o jogo

Com o jogo disputado ponto a ponto, as seleções chegaram empatadas em quatro pontos no terceiro set. Após grande rally ganho pelo time brasileiro Sheilla marcou 8 a 6 na saída de rede e a primeira parada técnica do set veio. Os rallys aconteciam, e o Brasil conseguia tirar vantagem: mais um ponto de Sheilla.

No ponto seguinte, Fabiana atacou pelo meio e o Brasil abriu 14 a 11, o que fez o técnico americano pedir tempo. Imprimindo um bom ritmo, o time brasileiro foi para a segunda parada obrigatória do set com o placar mostrando 16 a 12.

Tentando a virada na terceira parcial, Hill sacou na rede. Com o erro, o Brasil se aproximou da vitória no terceiro set: 21 a 17 no placar. Após bloqueio em Gabi as americanas encostaram, e Zé Roberto pediu tempo em 21 a 19. A vitória no set veio após desafio do técnico brasileiro: Thaísa atacou e a bola que marcou 25 a 23 desviou no bloqueio.

Seleção americana consegue vitória no quarto set e leva decisão para tie break

Idêntico aos outros sets, o quarto começou equilibrado e as equipes trocavam pontos: Adams sacou na rede e marcou 7 a 7. No ponto seguinte, Sheilla fez 8 a 7 e o Brasil abriu vantagem antes da parada obrigatória.

O time americano encaixou uma boa sequência de pontos: Hill fez 10 a 8 no contra-ataque e Zé Roberto pediu tempo. Precisando da vitória no set, os EUA chegaram a abrir 12 a 9 após ataque para fora de Fernanda Garay. O Brasil, no entanto, empatou após bloqueio de Dani Lins e Karch Kiraly pediu tempo.

Empolgado, o time brasileiro abriu 15 a 13: Thaísa atacou com vontade pelo meio. A segunda parada obrigatória do set veio com o Brasil na frente: 16 a 15 em jogo bastante disputado. Precisando da vitória, as americanas não desistiam, mas o time brasileiro ia bem: após grande rally, as comandadas de Zé Roberto fizeram 19 a 18.

Na reta final do set, Hill deu esperança às americanas, que abriram 22 a 20 após ace. Com bola de velocidade de Akinradewo as americanas conseguiram o set point. O empate americano veio com jogada pelo meio, o Grand Prix 2016 foi para o tie break.

Brasil começa bem no Tie Break e garante décimo primeiro título do Grand Prix

Um erro de ataque do time americano fez o Brasil largar na frente no set decisivo. No ponto seguinte mais um grande rally, dessa vez com vantagem para o time americano, que empatou a partida. Após ataque de Fê Garay – com 13 pontos até então – o Brasil conseguiu 3 a 1.

Mantendo o bom ritmo, o Brasil conseguia sustentar a vantagem de dois pontos: após bloqueio em ataque de Hill o placar marcava 8 a 5, o que fez Kiraly pedir tempo e as seleções trocarem de lado na quadra.

Aproveitando o moral alto, o Brasil bloqueou mais uma vez e fez 10 a 5 para encaminhar a vitória. O time de Zé Roberto administrou o placar, jogou com tranquilidade e conseguiu fechar após cravada de Fabiana pelo meio.