Rumo à Olimpíada: seleção feminina de Vôlei da Argentina

Após conquistar o pré-olímpico, Argentina estreia em Olimpíada no Rio de Janeiro

Rumo à Olimpíada: seleção feminina de Vôlei da Argentina
Argentina disputará sua primeira Olimpíada (Foto: Divulgação CSV)

Após vencer o pré-olímpico sul americano, a seleção feminina de vôlei da Argentina conquistou pela primeira vez uma vaga olímpica e irá disputar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Atualmente, a seleção argentina mostra-se mais madura e pode dar trabalho às rivais.

Caminho à Olimpíada:

Assim que o Rio de Janeiro foi confirmado como sede dos jogos de 2016, as argentinas viram a possibilidade de disputar pela primeira vez o maior torneio esportivo do planeta. Com as brasileiras automaticamente classificadas, bastava a Argentina conquistar o pré-olímpico sul americano. E foi o que aconteceu.

A Argentina não disperdiçou a chance de conquistar a vaga olímpica, venceu todos os jogos que disputou e chegou à final contra o Peru sagrando-se campeã, garantindo de maneira invicta a vaga olímpica pela primeira vez na história.

"Somos fortes mentalmente como uma pedra que não se pode romper, esse é o segredo da nossa equipe", declarou Letícia Boscacci, jogadora argentina.

Destaque: Yamila Nizetich

Eleita a melhor jogadora do pré-olímpico da América do Sul e líbero da equipe argentina, Yamila Nizetich é vista como o grande destaque do time argentino, A atleta, de 27 anos e 1,83 atua na Turquia pelo Seramiksan SK. A levantadora Yael Castiglione e a central Emilce Sosa também foram destaques da equipe no torneio continental.

Técnico: Guilhermo Orduna

Comandante da equipe que conquistou pela primeira vez a vaga em Olimpíada, o treinador Guilhermo Orduna, antes mesmo de vencer o pré-olímpico, diante da equipe peruana, em entrevista à Agência Efe, garantiu o time argentino nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. 

"A Argentina não vai aos Jogos Olímpicos a passeio, vai competir. Os adversários enfrentarão uma Argentina com determinação, concentração e agressividade. Enfrentarão uma Argentina que joga ponto a ponto e nunca se dá por vencida. Vamos dar tudo de nós e entrar em quadra para vencer", garantiu o técnico.

Segundo Orduna, não foi fácil obter a classificação devido ao alto nível de todas as equipes sul americanas. Após o feito, as jogadoras argentinas correram em direção ao técnico para abraçá-lo, o apontando como o maior responsável pelo marco histórico.

"Como treinador, é uma satisfação muito grande ter o reconhecimento das jogadoras. Aceitaram diariamente o que lhes dizíamos e se comprometeram", disse.

No Rio, a Argentina está no grupo “A” e irá estrear contra a Rússia, no dia 6 de agosto, no Ginásio do Maracanãzinho, às 20h30, horároo de Brasília. Na sequência, as “Panteras” - como são conhecidas - irão enfrentar Brasil, Coreia do Sul, Camarões e Japão.