Rumo à Olimpíada: seleção feminina de vôlei da Itália

Itália busca primeira medalha olímpica do voleibol com as mulheres e aposta na experiência

Rumo à Olimpíada: seleção feminina de vôlei da Itália
(Foto: Divulgação / FIVB)

A seleção italiana feminina de vôlei chega aos Jogos Olímpicos Rio 2016 em busca da primeira medalha. O ouro nunca veio ao país na modalidade feminina, mas são três pratas e dois bronzes conquistados pela seleção masculina. A seleção de mulheres da Itália é bastante experiente e aposta na levantadora Lo Bianco na disputa da Olimpíada.

Apesar da maior tradição masculina no país, a seleção feminina da Itália possui medalhas no Grand Prix. São duas medalhas de prata e quatro medalhas de bronze. Na história em olimpíadas, a melhor colocação foi um 4º lugar em Sidney 2000. Em Londres 2012, elas terminaram com a 5ª colocação. A aposta é de encerrar a fase dos "quase" na tentativa de colher medalhas olímpicas.

As italianas garantiram classificação ao Rio 2016 com o torneio pré-olímpico disputado em Tóquio, em maio deste ano. Japão, Holanda e Coreia do Sul foram as demais classificadas na edição.

A seleção para atuar na Olimpíada foi definida no mês de julho pelo técnico Marco Bonitta. A grande destaque é Eleonora Lo Bianco, de 36 anos, cérebro da equipe. Ela disputa sua quinta olimpíada e tem no currículo o título mundial com a Itália em 2002.

As demais jogadoras convocadas são as seguintes: a levantadora reserva Alessia Orro, as opostas Nadia Centoni, Alessia Gennari e Serena Ortolani, as centrais Christina Chirichella, Anna Danesi e Martina Guiggi, as ponteiras Antonella Del CoreMiriam Sylla e Paola Egonu e a líbero Monica De Gennaro.

A maioria das atletas atua no próprio voleibol italiano, que costuma recrutar grandes jogadoras do mundo todo. Monica de Gennaro, Antonella Del Core e Eleonora Lo Bianco são as três que disputaram os Jogos de Londres 2012.

A ponteira Francesca Piccinini se despediu da seleção ao não ser relacionada ao Grand Prix de 2016. Ela esteve presente na última olimpíada e encerra as atribuições com o selecionado italiano aos 37 anos, sendo 21 dedicados ao vôlei profissional.

O técnico Marco Bonitta surpreendeu na listagem com a troca final feita antes da viagem ao Brasil. Sacou a oposta Valentina Diouf e oportunizou a ponteira Alessia Gennari para disputa dos jogos. Segundo o treinador, foi uma decisão técnica, que nada tem a ver com questões disciplinares.

Na Olimpíada, a Itália faz parte do grupo B e concorre com Estados Unidos, China, Sérvia, Holanda e Porto Rico. As italianas estreiam no dia 6 de agosto, contra a Sérvia. Confira a disposição dos dois grupos do torneio em disputa no Rio de Janeiro neste mês de agosto: