Brasil perde para China no tiebreak e dá adeus ao sonho do tri no vôlei feminino

Brasileiras tentaram e lutaram até o fim, mas acabaram eliminadas pelas chinesas nas quartas por três sets a dois e não conseguem aumentar recorde

Brasil perde para China no tiebreak e dá adeus ao sonho do tri no vôlei feminino
(Foto: David Ramos/Getty Images)
Brasil
2 3
China

Gostaria de começar essa matéria dizendo que mais uma vez o Brasil atropelou no vôlei feminino e passou de fase rumo ao tri olímpico, porém não aconteceu. Terça-feira (16), foi uma noite desastrosa para a torcida brasileira. A China venceu o Brasil por três sets a dois, com parciais de 15/25, 25/23, 25/22, 22/25 e 15/13 e se classificou para a semifinal

Apesar da grande primeira fase com cinco vitória em cinco jogos e nenhum set perdido, as brasileiras estão eliminadas e adiam o sonho do Tri para Tóquio em 2020. Já as chinesas que passaram de fase em quarto lugar, estão na semifinal.

Brasil começa passeando em quadra

Com Sheilla começando a comandar as ações, o Brasil abriu 4-1 logo no ínicio do jogo. A China começava a errar a recepção e as brasileiras aproveitavam para abrir vantagem. O Brasil passeava em quadra, defendendo bem e atacando, Fabiana soltava o braço e deixava a vantagem maior, 11-5.

Garay também se destacava no ataque e o abriu abria 19-9. E com Thaisa o Brasil fechou o primeiro set em 25/15 e abriu um a zero no jogo.

Jogo fica equilibrado no segundo

Na segunda parcial o Brasil começou atropelando novamente. Com Fê Garay absoluta no ataque, a seleção abriu 9-4 de cara. O Brasil começou a errar, e a melhor jogadora da ChinaTing Zhu começou a se destacar no jogo e levou as chinesas ao empate, 11-11.

Com ace de Natália as brasileiras voltaram a abrir vantagem, 14-11. O Brasil seguia liderando, até o final do set, depois de igualar em 23-23, a China conseguiu o set point e não perdeu, fechando em 25/23 e empatando o jogo em um a um.

Virada chinesa

No terceiro set, a China que começou comandando. Com  Ting Zhu inspirada, fizeram 8/7. O Brasil começava a se perder no jogo. Cometendo muitos erros, as brasileiras viram a China abrir 21/18. Com a vantagem, foi só adminitrar e fechar o set em 25/22 e virar o jogo.

Brasil renasce no jogo

Quarta parcial era de vida ou morte para o Brasil. As brasileiras pareciam sentir o baque de estarem atrás no placar e viram a China sair na frente denovo. As chinesas aproveitaram o bom momento e abriram 12/9.

Com Fabiana no saque e Natália no ataque, o Brasil conseguiu reagir e virar o set. Com o Maracanãzinho inflamado denovo, Sheilla botou na quadra empatando o jogo e fechando a parcial em 25/22, levando a decisão ao tie break.

Derrota no set decisivo

No tie break a tensão era nítida entre jogadores e torcida. Disputado ponto a ponto. Na China era bola para Ting Zhu colocar na quadra. Essa tática surtiu efeitos e as chinesas abriram 8/6 calando o maracanãzinho. O Brasil esboçava reação com Fê Garay empatando o set, 10/10.

Mas as brasileiras viram a classificação ir embora depois de dois saques mal executados, por Juciely mandando para fora, e Sheilla ficando na rede. A China tinha o match point. Fabiana marcava e dava sobrevida ao Brasil, 14-13. A torcida tentou apoiar mas não deu, China fechou em 15/13 e selou sua classificação para a semifinal.

Agora as chinesas irão enfrentar a Holanda por uma vaga na grande final. Mais cedo as holandesas venceram a Coreia do Sul por três sets a um, com parciais de  25/19, 25/14, 23/25 e 25/20.