China é campeã olímpica de vôlei feminino

Seleção que venceu o Brasil nas quartas de final conquista o ouro olímpico; Sérvia fica com a prata e Estados Unidos com o bronze

China é campeã olímpica de vôlei feminino
Foto: Reuters

Neste sábado, a China sagrou-se campeã de vôlei nos Jogos Olímpicos. A seleção venceu a Sérvia por 3 sets a 1 (19/25, 25/17, 25/22 e 25/23) na final realizada no Ginásio do Maracanãzinho, às 22h15 (Brasília). As chinesas comandadas pela técnica Lang Ping alcançou o terceiro título olímpico.

A última conquista da seleção havia sido em Atenas, 2004. Após um período de renovação e transição, as chinesas conseguiram subir ao lugar mais alto do pódio. Com o mesmo objetivo de chegar entre as potências mundiais do vôlei, a Sérvia deve-se se orgulhar pela medalha de prata, a primeira da história do esporte no país.

A China começou melhor o jogo, porém a Sérvia, como nos outros jogos, correu atrás do resultado e conseguiu abrir logo uma vantagem. As europeias passaram por Rússia e Estados Unidos nas fases anteriores e a destaque do time, Brankica Mihajlovic, virava boas bolas. O primeiro set foi fechado com uma bola para fora da chinesa, 25/19.

Com um set na frente, as sérvias estavam confiantes demais e deixaram as chinesas jogarem melhor. As asiáticas tiveram calma para organizar a defesa e linha de passe. As adversárias tentaram correr atrás, mas no segundo set as chinesas haviam encaixado o saque. A final estava empatada, a segunda parcial fechou em 25/17.

O terceiro set parecia mais equilibrado. De um lado Mihajlovic marcava, do outro Ting Zhu, maior pontuadora com 24 pontos, descontava. Em um momento da partida a China conseguiu abrir oito pontos de vantagem. Mas com raça, as sérvias corriam atrás e diminuíram para um ponto. Uma sequência de ataque, ace e bloqueio. Parecia que as forças haviam se esgotado e as chinesas se colocaram a um set do título ao terminarem a contagem da parcial em 25/22.

A Sérvia ainda acreditava. Manteve equilibrado esse último set com o objetivo de levar a decisão para o tie-break. No 20º ponto do quarto tempo, o jogo estava empatado, tendia a ambos os lados. Porém, a tranquilidade e precisão chinesa destacaram-se no final do jogo que fez a China colocar a última bola no chão, 25/23.