Superliga 2016/17 começa com promessa de grandes jogos para disputa do título

Competição nacional reúne medalhistas olímpicos da Rio 2016 e destaques estrangeiros do cenário do voleibol em sua 23ª edição

Superliga 2016/17 começa com promessa de grandes jogos para disputa do título
Arte VAVEL Brasil

A competição nacional de voleibol mais aguardada já tem data para começar. A Superliga 2016/17 tem seu primeiro jogo agendado para esta quarta-feira (26). A partida inaugural desta temporada será em Juiz de Fora no Ginásio da UFJF, às 20h (Brasília). Em quadra, o time masculino do JF Vôlei contra o Brasil Kirin.

Grandes times, jogadores de muita qualidade técnica, treinadores experientes, este é o campeonato brasileiro de vôlei. Para agregar mais valor, a Superliga contará com muitos nomes que participaram dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto.

William, Evandro, Mauricio, Bruninho, Lucão, Serginho, Douglas, Lucarelli, Éder, Wallace, Dani Lins, Juciely, Gabi, Fabiana e Leia, são os atletas que representaram a seleção brasileira na Olimpíada e levaram consigo a experiência adquirida, eles poderão disseminar os valores olímpicos por todo território nacional que abrange a Superliga. Ao todo, são 36 atletas olímpicos, 25 deles já conquistaram medalhas.

Conhecimento e aprendizagem são o que os estrangeiros que vieram para esta competição poderão dividir conosco. Os destaques vão para os cubanos Leal (SADA/Cruzeiro), Simón (SADA/Cruzeiro), Yordan (Minas) e Mesa (Taubaté), a holandesa Anne Bujis (Rexona-SESC), as sérvias Ana Bjelica e Tijana Malesevic (Vôlei Nestlé), a argentina Mimi Sosa (Pinheiros), a estadunidense Alix (Praia Clube) e a cubana Daymi Ramirez (Praia Clube).

A Rio 2016 deixa seu legado no vôlei, o sistema adotado para a competição mundial será implementado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) para os jogos locais. Algumas mudanças nas regras prometem jogos mais dinâmicos, como o fim do tempo técnico no oitavo e décimo sexto pontos, e só serão liberados dois pedidos de pausa pela comissão dos times.

Serão mais de 300 jogos de vôlei, primeiramente, as equipes se enfrentam em turno e returno. Na fase seguinte, pelas quartas de final, os oito melhores times se enfrentam em cinco jogos, no masculino e em três jogos pelo feminino. As semifinais serão decididas em melhor de cinco em ambos os naipes e a final permanece em partida única.

São 24 times disputando o título nacional de maior expressão do vôlei nacional. Cada temporada que passa, aumenta a qualidade da competição e a disputa fica mais acirrada. Para maior expansão do voleibol brasileiro, a CBV tem uma iniciativa de realocar alguns jogos do calendário para estados que não possuem ainda representantes. Dos 12 times feminino e masculino, apenas sete estados tem representação, assim, há o interesse de organizar jogos nas regiões Norte e Nordeste para aproximação deste público.

A 23ª edição da Superliga receberá os times campeões da divisão de acesso para competição principal. O time masculino do Caramuru/Castro fará sua estreia, assim como as meninas do Fluminense.

> Confira a tabela completa da competição masculina

Os últimos campeões da Superliga, Rio de Janeiro que conquistou o undecacampeonato na temporada 2015/16 e o Cruzeiro, quatro vezes campeão, são os favoritos da vez. Ambos os times reforçaram seus elencos e participaram do Mundial de Clubes. O time mineiro sagrou-se tricampeão, enquanto o Rexona-SESC ficou na quinta colocação mundial.

> Confira a tabela completa da competição feminina

Contudo, todas as equipes se preparam, seja com a manutenção e consolidação do grupo ou uma montagem de elenco nova. Os destaques iniciais vão para Taubaté, campeão paulista e SESI-SP, com muitos nomes olímpicos. Do lado feminino, o Praia Clube, segundo colocado da temporada passada e o Vôlei Nestlé, campeão paulista.

A esperança é de um belíssimo campeonato, com grande participação e apoio da torcida. Todas as informação e cobertura da Superliga 2016/17, aqui, na VAVEL Brasil.

Times masculinos:

Sada Cruzeiro (MG)

Brasil Kirin (SP)

Funvic Taubaté

Sesi-SP

Montes Claros Vôlei (MG)

Vôlei Canoas (RS)

Maringá Vôlei (PR)

JF Vôlei (MG)

Minas Tênis Clube (MG)

Bento Vôlei (RS)

São Bernardo Vôlei (SP)

Caramuru Castro (PR)

Times femininos:

Rexona-Sesc (RJ)

Dentil/Praia Clube (MG)

Camponesa/Minas (MG)

Vôlei/Nestlé (SP)

Sesi-SP

Rio do Sul (SC)

Esporte Clube Pinheiros (SP)

Terracap/BRB/Brasília Vôlei (DF)

São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP)

Concilig/Finch/Bauru Vôlei (SP)

Fluminense Futebol Clube (RJ)

Renata Valinhos/Country (SP)