Invicto na Superliga, Rio de Janeiro vence São Caetano e assume a liderança da competição

Com parciais de 25/21, 25/14 e 25/23 e destaque para a holandesa Anne Buijs, cariocas seguem sem perder no torneio

Invicto na Superliga, Rio de Janeiro vence São Caetano e assume a liderança da competição
Foto: Divulgação/CBV
Rexona-Sesc
3 0
São Caetano

O Rio de Janeiro conquistou sua quarta vitória em quatro jogos na Superliga Feminina de Vôlei 2016/2017, desta vez diante do São Caetano, e assumiu a ponta da tabela. O duelo aconteceu no ginásio da Tijuca, nesta sexta-feira (18), onde as cariocas fizeram 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/14 e 25/23.

Ao fim do jogo, um contraste marcou os momentos das duas equipes. Enquanto o Rio de Janeiro tem a melhor campanha, com apenas um set perdido até agora, as paulistas ainda não venceram na competição e amargam a lanterna do torneio. O destaque do jogo foi para a holandesa recém-contratada pela equipe de Bernardinho, Anne Buijs, que ficou com o prêmio Viva Vôlei.

Para se manter o topo da Superliga, o Rio de Janeiro visita o Pinheiros na próxima rodada, no dia 22 de novembro, às 19h30, no Ginásio Henrique Villaboin. Em mesmos dia e horário, o São Caetano recebe o Valinhos, em briga direta contra a última colocação da tabela - confronto de duas equipes que seguem com pontuação zerada na Superliga.

O duelo

As equipes iniciaram o jogo de forma equilibrada, mas com o Rio de Janeiro sempre tomando frente no placar. A força das cariocas despontou antes da primeira metade do set, abrindo 10 a 6, e a partir daí mantiveram uma vantagem de quatro pontos, em que o São Caetano só conseguiu diminuir para no máximo três no decorrer do placar. Com cinco pontos de saque no primeiro set contra nenhum das adversárias, e com Gabi como maior pontuadora da etapa inicial, o Rio de Janeiro fechou o set em 25 a 21.

Embora tenham passado todo o segundo set atrás no placar, o São Caetano não deixava as cariocas se distanciarem muito. Até a marca de 11 a 9 para as donas da casa, a diferença seguia sempre voltando para os dois pontos. Mas o Rio de Janeiro fez valer a força em seus domínios, ampliou para 13 a 9 e complicou a tarefa das visitantes. Chegou a abrir 18 a 10, maior diferença da partida até então, e depois buscou somente controlar a partida. Destaque para o crescimento da holandesa Anne Buijs na reta final, que terminou como maior pontuadora da segunda etapa. O set então se desenhou para uma vitória tranquila das cariocas por 25 a 14.

O set que acabou sendo decisivo no jogo foi o terceiro, e novamente as cariocas se impuseram no placar. Sem deixar as visitantes passarem à frente, o Rio de Janeiro buscou manter uma boa diferença, chegando a 15 a 9. Com a força de Anne Buijs e erros na recepção por parte do São Caetano, que até então é a pior equipe da competição nesse quesito, o time de Bernardinho se manteve tranquilo até o placar registrar 24 a 20. Foi aí que, tentando uma sobrevida no set, as meninas do ABC paulista salvaram três match points e encostaram em 24 a 23, mas o Rio de Janeiro explorou um bloqueio e fechou em 25 a 23.

Renata Valinhos/Country  1 x 3 Genter Vôlei Bauru

Lanterna da competição, o Valinhos recebeu o Bauru às 19h30, no Ginásio Antônio Elias, em São Paulo. A equipe chegou a vencer o set inicial por 28 a 26, mas não conseguiu segurar a força das visitantes, e o Bauru acabou fechando os três sets seguintes em 27/25, 25/14 e 25/19. O Valinhos segue sem pontuar na competição, somando quatro derrotas, e vai encarar o São Caetano fora de casa, no dia 22 de novembro, às 19h30. A equipe só conseguiu vencer dois sets até agora na competição.

Já o Bauru vinha de duas derrotas consecutivas, depois de ter vencido o Minas na estreia, e com a vitória chegou aos seis pontos. Pleiteando uma vaga entre as oito equipes que disputam os playoffs, estando em nono, a equipe recebe o Fluminense também no dia 22 de novembro, às 19h30, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru.

Fluminense 0 x 3 Terracap/Brasília

Quando entraram em quadra, às 20h desta sexta-feira (18), Fluminense e Brasília anotavam campanhas bastante similares na competição até então: duas vitórias por 3 a 0 e uma derrota pelo mesmo placar. Em confronto inédito na história da Superliga, que teve como palco o ginásio da Hebraica, na capital carioca, melhor para as brasilienses, que fizeram 17/25, 22/25 e 15/25.

Para tentar esquecer a derrota em casa, o Fluminense vai ao Ginásio Panela de Pressão enfrentar o Bauru, às 19h30 do dia 22 de novembro, em que as duas equipes somam os mesmos seis pontos. Se quiser embalar na Superliga e encostar na parte mais alta da tabela, o Brasília vai ter que vencer o vice-líder da competição Osasco, em jogo marcado para as 20h do dia 22 de novembro.

Camponesa Minas 3 x 1 Sesi-SP

No mesmo horário de Fluminense e Brasília, o Minas venceu o Sesi por 3 sets a 1 na Arena Minas, em Belo Horizonte, chegando à quinta colocação da tabela. As mineiras vinham de derrota para o Pinheiros e fecharam o confronto desta sexta-feira com parciais de 25/17, 25/13, 22/25 e 25/16. Já o Sesi não saiu da pontuação zerada na Superliga e segue em busca da sua primeira vitória, para escapar da penúltima colocação.

A partida marcou ainda a apresentação da nova jogadora do Minas, a oposta norte-americana Destinee Hooker, que chegou à capital mineira nesta semana para fechar com o clube. O próximo duelo do Minas é contra o Rio do Sul no Ginásio Artenir Werner, fora de casa, às 20h15 do dia 22 de novembro. Um pouco mais tarde, às 21h30, o Sesi busca se reabilitar na Superliga, enfrentando o Praia Clube em Santo André.