Seleção Feminina estreia com vitória na etapa de Cuiabá do Grand Prix

Com um bom aproveitamento no bloqueio, Seleção Brasileira repetiu o placar sobre e Bélgica e conquistou importante vitória em Cuiabá

Seleção Feminina estreia com vitória na etapa de Cuiabá do Grand Prix
Foto: André Romeu/MPIX/CBV
Brasil
3 0
Bélgica
Brasil : NATÁLIA (C), TANDARA, ROBERTA, ROSAMARIA, ADENÍZIA, CAROL. LÍBERO: SUELEN. TÉCNICO: JOSÉ ROBERTO GUIMARÃES.
Bélgica : HERBOTS, LEYS (C), GROBELNA, AELBRECHT, VAN DE VIJVER, LEMMENS. LÍBERO: DE TANT. TÉCNICO: GERT VANDE BROEK.
Placar: 1-0, 28/26 ||| 2-0, 25/19 ||| 3-0, 25/20.
ÁRBITRO: SCOTT MCLEAN (CAN).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA TERCEIRA SEMANA DO GRAND PRIX DE VÔLEI, REALIZADO NO GINÁSIO AECIM TOCANTINS, EM CUIABÁ (MT), BRASIL.

A estreia da Seleção Brasileira Feminina de Vôlei na etapa de Cuiabá do Grand Prix não poderia começar melhor. Na tarde desta quinta-feira (20), no ginásio Aecim Tocantins, as meninas do Brasil superaram a Bélgica, lanterna da competição, por 3 sets a 0, com parciais de 28/26, 25/19 e 25/20.

Vindo de derrotas para Tailândia e Japão, respectivamente, na etapa de Seandai, no Japão, a equipe comandada por Zé Roberto Guimarães se recuperou na competição, visando a classificação para a fase final do torneio, que será disputada na China. Antes, porém, o Brasil tem mais dois jogos em Cuiabá: Holanda e Estados Unidos, e ainda a etapa de Bangcoc, na Tailândia.

Na nona posição antes de entrar em quadra, com o triunfo, o Brasil assumiu o quarto lugar na tabela, com 12 pontos. O time verde e amarelo, no entanto, pode ser superado no complemento da rodada. A seleção feminina volta a jogar nesta sexta-feira (21), contra a Holanda, novamente em Cuiabá, às 15h05 (de Brasília).

Em casa, Seleção Brasileira começa mal, mas cresce e vence set equilibrado

Surpreendentemente, a seleção belga começou melhor o jogo. Aproveitando-se principalmente dos erros de passe do Brasil, as visitantes chegaram ao primeiro tempo técnico com quatro pontos de vantagem: 8 a 4. A conversa de Zé Roberto Guimarães foi fundamental durante a parada para que as meninas brasileiras mudassem a postura. Logo após o tempo técnico, os quatro primeiros pontos foram do Brasil, que empatou a partida.

Com um maior equilíbrio nos fundamentos, a Bélgica, comandada pela oposta Grobelna, continuou dominando a partida. Até que após um pedido de tempo de Zé Guimarães, e algumas alterações na equipe, o Brasil teve o bloqueio como principal arma para passar à frente do placar: 19 a 18.

Foto: André Romeu/MPIX/CBV
Foto: André Romeu/MPIX/CBV

Os rallys intensificaram-se na etapa final do set. Demonstrando muita vontade de vencer, ambas as equipes se revezavam na liderança do placar até o Brasil conseguir o primeiro set point, mas não aproveitou. Depois de muita luta, a vitória brasileira veio numa pancada de Natália: 28 a 26.

Bloqueio faz a diferença, e Brasil vence segundo set com facilidade 

No segundo período, novamente a seleção europeia teve um início melhor, indo para o primeiro tempo técnico com vantagem. Se a recepção brasileira não estava funcionando como o esperado, o mesmo não se podia dizer do bloqueio.

Destaque no final do primeiro set, o setor defensivo foi determinante para a vitória no segundo. Reflexo disso foi a pontuação d Grobelna. Se no primeiro tempo a oposta belga foi a maior pontuadora do jogo, com oito pontos, no segundo, passou apagada.

A trinca formada por Carol, Natália e Adenízia funcionou. O Brasil, no momento certo, abriu a maior vantagem do jogo (24/19), e desta vez não permitiu a recuperação das belgas. Tandara, explorando a rede da equipe visitante, fechou o segundo set para a seleção brasileira: 25 a 19.

Foto: André Romeu/MPIX/CBV
Foto: André Romeu/MPIX/CBV

Fundamento que fez a diferença no segundo período, já que desestabilizou as belgas, o bloqueio brasileiro novamente foi fatal. A central Adenízia, exalando disposição, aparecia como uma muralha intransponível. Com o jogo bem distribuído, todas as jogadoras brasileiras se destacavam.

Tandara, com 17 pontos, terminou a partida como a maior pontuadora. A vantagem aberta no terceiro set permitiu até um certo relaxamento das brasileiras no final do período, mas com um ponto de bloqueio, Carol fechou o placar, garantindo a vitória da seleção verde e amarela em Cuiabá: 25 a 20