Decisão da Superliga Masculina 2017/18 será disputada em dois jogos

Reunião que definiu a mudança aconteceu na sede da CBV e teve aprovação dos clubes

Decisão da Superliga Masculina 2017/18 será disputada em dois jogos
Foto: Divulgação/Sada Cruzeiro

Enquanto os clubes anunciam dispensas e reforços de atletas, dirigentes da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e representantes das equipes se reuniram na última quinta-feira (27), na sede da entidade, no Rio de Janeiro, e anunciaram uma importante mudança no formato da Superliga Masculina.

A decisão do título da temporada 2017/18 acontecerá em duas partidas e não mais em jogo único. Se cada finalista vencer um duelo, haverá um Golden Set (set de desempate) após o segundo jogo, que terá mando da equipe mais bem colocada na fase classificatória. Os placares das partidas não terão interferência na decisão.

Os clubes já garantidos na competição nacional aprovaram as mudanças, em um encontro marcado pela maturidade na discussão de ideias, como afirma o superintendente da Superliga Renato D’Ávila. “Foi bastante produtivo o nosso encontro, em que as decisões visaram ao fortalecimento da Superliga como um dos pilares fundamentais no desenvolvimento do vôlei brasileiro”, comentou.

As demais fases da Superliga Masculina estão mantidas como nas temporadas anteriores. Os clubes se enfrentam em turno e returno na etapa de classificação. Das 12 equipes, oito avançam à fase quartas de final, que agora será disputada em melhor de três, e não mais em cinco jogos. A semifinal está mantida também com cinco partidas.

Os clubes garantidos na elite do voleibol masculino são: Cruzeiro, Taubaté, Sesi-SP, Campinas, Montes Claros, Minas Tênis Clube, Juiz de Fora, Canoas, Bento Vôlei, Maringá e Sesc-RJ.  O campeão da Taça Ouro ficará com a última vaga. A competição conta com  Caramuru/Castro, Botafogo, Corinthians/Guarulhos e Rádio Clube/AV.

Participaram do encontro o diretor executivo da CBV, Radamés Lattari, o diretor de Marketing, Douglas Jorge, o superintendente da Superliga, Renato D’Ávila, a gerente de competições de quadra, Cilda D’Angelis, além dos representantes dos clubes. 

Vôlei