Brasil vence Sérvia de virada e chega à decisão do Grand Prix

Seleção verde e amarela corrige erros na recepção, cresce no bloqueio e aguarda o vencedor de China x Itália na decisão do torneio;

Brasil vence Sérvia de virada e chega à decisão do Grand Prix
Foto: Divulgação/ FIVB
Brasil
3 1
Sérvia
Brasil : Carol, Rosamaria, Roberta, Tandara, Natalia, Beatriz. Líbero: Suelen. Entraram: Amanda, Macris, Monique, Adenízia, Drussyla. Técnico: Zé Roberto Guimarães.
Sérvia : Zivkovic, Malesevic, Mihajlovic, Veljkovic, Rasic e Boskovic. Líbero: Blagojevic. Entraram: Busa, Antonijevic, Stevanovic, Milenkovic. Técnico: Zoran Terzic.
Placar: 0-1, 20-25 ||| 1-1, 25-23 ||| 2-1, 25-14 ||| 3-1, 25-23.
ÁRBITRO: JURAJ MOKRY (Eslováquia).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA SEMIFINAL DO GRAND PRIX DE VÔLEI, REALIZADO EM NANJING, NA CHINA.

No terceiro encontro entre Brasil e Sérvia na atual edição do Grand Prix, as sul-americanas novamente levaram a melhor e garantiram vaga na decisão do torneio. Com parciais de  20/25, 25/23, 25/14 e 25/23, o time verde e amarelo derrotou a seleção europeia por 3 sets a 1, neste sábado (5), em Nanjing, na China.

A Seleção Brasileira Feminina é a atual e maior vencedora do Grand Prix, com 11 títulos. Com a classifcação, a equipe comandada por José Roberto Guimarães aguarda o jogo entre China e Itália para conhecer seu oponente na grande decisão que será disputada nesse domingo (6), às 9h (de Brasília).

Boskovic, oposta da Sérvia, foi a maior pontuadora do jogo, com 31 acertos. Pelo lado brasileiro, a oposta Tandara se destacou com 24 pontos, enquanto as ponteiras Drussyla, que inicioou a partida no banco, e Natália, marcaram 11 e 10 pontos, respectivamente. 

Com grande atuação de Boskovic, Sérvia inicia melhor, mas Brasil busca virada 

A boa largada brasileira não se traduziu em resultado positivo. Com o time pouco efetivo no bloqueio, as deficiências ficaram expostas. A Sérvia aproveitou o momento de desequilíbrio e conquistou a vitória na primeira parcial tendo Boskovic como maior pontuadora: 25 a 23.

Adenizia iniciou o segundo set jogando, aumentando a rede brasileira. Além do fator técnico, a vibração da central contribuiu positivamente para o time. O erro maior da equipe verde e amarela continuou sendo a recepção, mas desta vez as meninas brasileiras souberam aproveitar as falhas das européias.

Lideradas por Boskovic, a Sérvia reagiu no jogo e pontuou três vezes seguidas a partir de saques viagem. Como resposta,  Zé Guimarães colocou Amanda em quadra para forçar o saque, e deu resultado. O Brasil viu a Sérvia encostar, desperdiçou dois set points, mas fechou o período com a vitória: 25 a 23.

Foto: Divulgação / FIVB
(Foto: Divulgação / FIVB)

Brasil entende jogo sérvio, explora erros e deslancha no jogo

Assim como nos sets anteriores, as meninas brasileiras foram para o primeiro tempo técnico vencendo. Zé Roberto Guimarães pediu para que o time trabalhasse melhor a bola. Explorando os problemas que a Sérvia apresentava no fundo de quadra, o Brasil teve a tranquilidade para encaixar o seu jogo. Atacando e defendendo bem, a equipe brasileira administrou a vantagem que construiu e venceu de forma categórica: 25 a 14.

Precisando da vitória para seguir vivo na disputa, o técnico Zoran Terzic promoveu mudanças em sua equipe no quarto set. Ana Antonijevic, que tem um saque preciso, começou jogando justamente para tirar vantagem da recepção adversária. O Brasil saiu atrás, mas chegou aos dois tempos técnicos com a vitória parcial.

O triunfo brasileiro parecia bem encaminhado, no entanto, Boskovic voltou a virar bolas que só ela consegue. A Sérvia marcou quatro pontos direitos, empatou e virou. Com dois bloqueios seguidos, melhor fundamento da seleção de Zé Guimarães no Grand Prix, o Brasil retomou a confiança, derrotou a Sérvia, e garantiu presença na final da competição: 25 a 23

(Foto: Divulgação/ FIVB)
(Foto: Divulgação/ FIVB)