É campeão! Brasil vence Itália e conquista Grand Prix pela 12ª vez

Em jogo de viradas e reviradas dentro dos sets, seleção sul-americana faz tie-break impecável e conquista o torneio pelo segundo ano consecutivo

É campeão! Brasil vence Itália e conquista Grand Prix pela 12ª vez
Foto: Divulgação/FIBV
Brasil
3 2
Itália
Brasil : TANDARA, ROBERTA, ANA BEATRIZ, ADENÍZIA, NATÁLIA (C), DRUSSYLA. LÍBERO: SUELEN. TREINADOR: JOSÉ ROBERTO GUIMARÃES.
Itália : EGONU, CHIRICHELLA (C), C. BOSETTI, FOLIE, L. BOSETTI, MALINOV. LÍBERO: DE GENNARO. TREINADOR: DAVIDE MAZZANTI.
Placar: 1-0, 26/24 ||| 1-1, 17/25 ||| 2-1 ||| 25/22 ||| 2-2, 22/25 ||| 3-2, 15/8.
ÁRBITRO: JIANG LIU (CHN).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA GRANDE FINAL DO GRAND PRIX DE VÔLEI, REALIZADA NO NANJING OLYMPIC SPORTS CENTRE, EM NANJING, NA CHINA.

Na manhã deste domingo (6), Brasil e Itália se enfrentaram, em Nanjing, na China, pela terceira vez em uma decisão do Grand Prix de Vôlei. Em um jogo com muita emoção, decidido apenas no tie-break, o time verde e amarelo se sagrou campeão após a vitória por 3 sets a 2, com parciais de 26/24,17/25, 25/22, 22/25 e 15/8.

Com a conquista, o Brasil chega ao seu 12º título do Grand Prix: 1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013, 2014, 2016 e, agora, 2017. A seleção sul-americana é a maior vencedora do torneio.  Em seguida vem os Estados Unidos, com seis conquistas. Com três medalhas de ouro, a Rússia completa o pódio dos times que mais venceram a competição. 

A jovem italiana Paola Egonu foi a maior pontuadora do jogo, com 29 acertos. Já pelo lado brasileiro, a experiência fez a diferença. Tandara e Natália, ambas com 22 pontos, foram as que mais marcaram pelo Brasil. 

Com novidades, Brasil sai na frente, mas leva empate

Destaques na semifinal, Drussyla e Adenizia iniciaram o jogo final como titulares. O Brasil começou bem a partida, assumindo o protagonismo que dele se espera. A margem de cinco pontos  aberta durante a etapa, porém, foi facilmente revertida pelas italianas. Entretanto, o time europeu também não conseguiu segurar a vantagem e com dois set points fechou o set: 26 a 24.

As italianas aceleraram o jogo, explorando as bolas de segunda de Malinov e o potente arremesso de Egonu. Diferente do primeiro set, foi a Itália quem chegou às paradas técnicas vencendo o jogo, na segunda, com diferença de quatro pontos 1612.

Fundamento de destaque do Brasil, o bloqueio não funcionou, o que fez Zé Roberto Guimarães pedir tempo para ajustar a defesa. Não adiantou. A Itália seguiu na pressão, ampliou a vantagem e venceu com uma boa margem: 25 a 17.

Brasil tira vantagem de seis pontos e consegue virada

O ponto de bloqueio de Adenizia no início da parcial parecia que daria confiança ao time brasileiro no período, mas não se confirmou. Com o saque forçado e os errros de levantamento de Roberta,  a Itália tomou a dianteira no placar e construiu uma boa vantagem 17/11.

Rosamaria, que entrou no lugar de Drussyla, trouxe aos poucos a tranquilidade ao time sul-americano com um bom saque. A Itália sentiu a reação e começou a errar também. O bloqueio brasileiro, até então pouco efetivo, começou a encaixar. A gigante italiana Egonu já não era mais intransponível.

Coube ao time brasileiro aproveitar o momento de instabilidade de das italianas para empatar e virar o jogo. Dos últimos quatro pontos do Brasil, três foram de bloqueio. Adenizia, que abriu o set, também fechou: 25 a 22.

Itália reage, Brasil faz tie-break impecável e vence o jogo

A derrota de virada no set anterior não abalou o time italiano, que marcou três pontos diretos no início do set. Novamente o Brasil voltou a apresentar erros na recepção. Egonu cresceu no jogo e levou o time europeu junto. Roberta, que não fazia uma boa partida, deu lugar a Macris. 

Na segunda parada técnica parada técnica o placar apontava uma folga de seis pontos para as italianas: 16/10. O Brasil se recuperou e os ralis se intensificaram. Mas a vantagem construída pelas italianas não foi superada: 25 a 22.

Embora tivesse perdido o quarto período, o Brasil foi para o tie-break em melhor estado emocional, o que foi fundamental para a vitória no set de desempate. Com equilíbrio em todos os fundamentos, as brasileiras conseguiram desestabilizar o time italiano, que se mostrou inseguro no momento decisivo: 15 a 8.  Brasil Campeão!


Share on Facebook