No tie-break, Sesc RJ derrota Sada Cruzeiro e se mantém na ponta da Superliga Masculina

Grande duelo no Rio de Janeiro terminou com vitória do time carioca, que vai secar mineiros para continuar na liderança

No tie-break, Sesc RJ derrota Sada Cruzeiro e se mantém na ponta da Superliga Masculina
(Foto: Juliana Cristina/VAVEL Brasil)
Sesc RJ
3 2
Sada Cruzeiro

Um clássico do vôlei nacional fechou a segunda rodada do returno da Superliga Masculina na noite deste sábado (13). No Tijuca Tênis Clube, o Sesc RJ venceu o Sada Cruzeiro pelo placar de 3 sets a 2. Em casa, os cariocas construíram o triunfo com as parciais 28/26, 20/25, 25/23, 19/25 e 20/18, mantendo-se por consequência na liderança da competição. O melhor atleta em quadra foi Maurício Borges, do Sesc.

O resultado manteve os cariocas na ponta, agora com 33 pontos, e o Cruzeiro em segundo, com 31. O time celeste, porém, tem um jogo a menos, o que vai cumprir no dia 16 de janeiro, às 20h, contra o Corinthians/Guarulhos. O duelo é válido ainda pela pela primeira rodada do returno e pode dar a liderança aos cruzeirenses em caso de triunfo mineiro. O Sesc RJ enfrentará também o Corinthians, mas pela terceira rodada do torneio, no dia 20 de janeiro, às 20h.

Cruzeiro e Sesc RJ, curiosamente, vão se enfrentar ainda em janeiro. No dia 25, as equipes se enfrentarão pela Copa Brasil, torneio no qual vão jogar a semifinal em busca de uma vaga na decisão. A partida deste sábado registrou inúmeras polêmicas com a arbitragem para ambos os lados, em um duelo que resistiu até o quinto set.

Em jogo de cinco parciais, Sesc RJ anota bela atuação e bate Cruzeiro

Um set estudado, equilibrado e de bom voleibol. Assim foi a primeira parcial do clássico entre Sesc RJ e Sada Cruzeiro. Os cariocas iniciaram com certo domínio, chegando a abrir quatro pontos de diferença em ataque de Renan: 9 a 5. Em desvantagem no marcador, o time mineiro correu atrás para virar o panorama a seu favor e passou à frente, abrindo três em bola de meio de Leal: 18 a 15. Nesse vira-vira, o Rio assumiu a dianteira do placar com ace de Maurício Borges, que fez 20 a 19. As equipes passaram a alternar a frente do marcador, e, com ataque para fora de Evandro, o time da casa fechou a primeira etapa em 28 a 26.

Assim como no set inicial, o Sesc RJ começou a segunda etapa muito bem. Com boa atuação de Renan, os cariocas tomaram a frente do marcador, mas os mineiros logo empataram: 6 a 6 em ataque de Filipe na entrada de rede. Uma sequência de dois pontos de bloqueio dos cubanos Leal e Simon deixou o Cruzeiro com 14 a 10. Os visitantes mantiveram essa vantagem, mas uma reclamação do técnico Marcelo Mendez custou um cartão vermelho e ponto para o Sesc RJ logo em seguida. Apesar da ameaça de aproximação dos mandantes, a Raposa seguiu bem para fechar o segundo set em 25 a 20.

A parcial de desempate do duelo até então começou com muito equilíbrio, mas os donos da casa conseguiram abrir três pontos com dois aces seguidos de Maurício Borges: 10 a 7. Com bastante equilíbrio, o Sesc RJ se manteve à frente, fazendo 23 a 19. O clube celeste tentou uma sobrevida, encostando em 23 a 22, mas a reação mineira não passou de um susto. Após tocar na rede, o central Simon deu o ponto que fechou a terceira parcial para time da casa: 25 a 23.

Ainda no segundo set, o técnico Marcelo Méndez sacou o oposto Alemão do banco cruzeirense, tendo em vista a baixa atuação do titular Evandro. O substituto cresceu ao longo do duelo e foi muito importante para os visitantes no começo da quarta parcial: 5 a 0. A boa vantagem celeste permaneceu, fazendo 13 a 8. Essa diferença foi mantida em ponto de Alemão pela saída de rede, 19 a 14, ampliada logo em seguida pelo time visitante. No set mais tranquilo do duelo até então, os mineiros fecharam a quarta parcial em 25 a 19.

No set decisivo do jogo, o Cruzeiro começou atrás no placar para buscar em seguida uma diferença a favor. O time mineiro chegou a abrir 8 a 5 e viu os donos da casa se aproximarem, mas manteve a concentração e o equilíbrio para tomar frente no marcador: 12 a 9. Jogando em casa, o Sesc buscou uma grande reação para empatar em 13 a 13. Bem no tie-break, os cariocas fecharam a etapa decisiva em 20 a 18, em jogo que durou quase 2 horas e meia.