Volta a Itália: Van Garderen supreende

Na sua primeira participação no Giro d'Italia, TeJay Van Garderen vence uma etapa de alta montanha e salva a sua prestação. Tom Dumoulin segura a sua camisola.

Volta a Itália: Van Garderen supreende
Norte-Americano vence a sua primeira etapa no Giro // Fonte: Eurosport

Etapa duríssima, tal como se esperava, e mais uma vez foi a fuga a vingar, e mais uma vez Mikel Landa ficou tão perto de ganhar. Desta vez foi Van Garderen a bater o espanhol no ‘mano a mano’ e levantar os braços no final depois de mais de 100km de fuga. Na classificação geral houve alterações, mas não no pódio e Dumoulin agarrou-se com tudo à sua liderança.

Sabia-se que esta etapa ia ser atacada desde cedo, e foi exatamente isso que aconteceu. Nairo Quintana atacou cedo, na subida do Passo Gardena, para tentar surpreender Dumoulin que tinha ficado sem colegas de equipa cedo na etapa. Mas a verdade é que o colombiano ganhou rapidamente um espaço de 20 segundos, e foi aí que o líder ligou o seu ‘motor’ e no topo da subida recolou a Quintana.

De seguida houve uma longa descida até chegar ao início do Ortisei. Movistar a colocar um ritmo forte na frente da corrida, mas os dois líderes, Landa e Van Garderen, também estavam num ritmo muito bom e seguiam firmes na frente da corrida. Tal como se esperava, Nairo Quintana foi o primeiro a atacar e fê-lo sozinho, Dumoulin estava tapado e não conseguiu responder. Quem iniciou a perseguição foi a FDJ e deu resultado, porque apanharam facilmente o vencedor do Giro de 2015. Está a notar-se que os ataques de Quintana não estão a dar o efeito que costumam dar. Será falta de forma ou será que os adversários estão em grande forma? Vou pela segunda opção, porque logo de seguida que atacou foi o líder, a mostrar que está presente e que é o mais forte.

A partir desse momento a corrida acalmou, porque ninguém queria puxar na frente do grupo. Quem beneficiou com isso foram os homens da frente que ganharam ainda mais espaço. Quem também aproveitou foram os homens que não estão no pódio. Pinot, Pozzovivo, Zakarin e Kruijswijk aproveitaram essa apatia e atacaram. Dumoulin não tinha que perseguir, Quintana e Nibali sim, mas estes não fizeram e seguiram num ritmo calmo até à meta. Sem ataques. Já se resignaram ao segundo e terceiro lugar?

No sprint final Mikel Landa foi novamente batido numa curva demasiado larga e Van Garderen deu a segunda vitória à BMC neste Giro. Pinot e Pozzovivo chegaram 8 segundos depois. Os três homens que fazem parte do pódio, chegaram 1:06’ depois e viram os adversários a aproximarem-se do pódio.

Está o top-15 atualizado:

José Gonçalves foi o melhor português do dia, acabando na 44ª posição. Rui Costa e José Mendes acabaram ambos no mesmo grupo, a 32:57' do vencedor, nas posições 57 e 83 respetivamente.

Amanhã é mais um dia de alta montanha, chegada em alto a Piancavallo. Mais uma oportunidade para atacar a camisola rosa de Dumoulin. Já passaram dois dias de montanha, já só faltam mais dois. Dumoulin está cada vez mais perto de garantir a vitória nesta Volta a Itália.