OITAVOS DE FINAL: Bélgica treme mas não cai

Reviravolta no resultado deixa Japão pelo caminho.

OITAVOS DE FINAL: Bélgica treme mas não cai
Os quatro intervenientes do golo que dava a vitória belga.

Num dos melhores jogos do Mundial até ao momento, a Bélgica assegurou esta segunda-feira a passagem aos quartos-de-final depois de uma segunda parte de loucos em que marcou o golo da vitória a 10 segundos do fim do tempo de compensação. 

Ambas as equipas apresentaram o seu onze mais habitual, recuando em relação ao último jogo da fase de grupos. 

A equipa nipónica, para além da cultura tática e qualidade técnica que já vinha mostrando, provou que havia estudado muito bem o seu adversário. Quando a bola chegava aos seus médios mais criativos, Kagawa e Shibasaki, estes procuravam rapidamente mudar o centro do jogo, tendo em vista explorar a deficiente transição defensiva da Bélgica, em que Meunier e em particular Carrasco demoravam a fechar os corredores. 

Depois de uma primeira parte morna, com controle do jogo repartido, é logo no início da segunda parte que o Japão se vai adiantar no marcador, golo de Haraguchi aos 48' após assistência em profundidade de Shibasaki. Quatro minutos depois e o Japão ia chegar novamente ao golo, um excelente remate de Inui de fora da área batia Courtois pela segunda vez. 

Face a esta pesada desvantagem no marcador, o técnico Roberto Martínez processava duas alterações na equipa, com as entradas de Chadli e de Fellaini para os lugares de Carrasco e Mertens. A equipa belga melhorava, passando a uma defesa a quatro, e com um triângulo a meio campo que permitia a De Bruyne ter mais liberdade para transportar a bola até à linha avançada.

Seria no entanto fruto de um cabeceamento livre de intenção de Vertonghen que a Bélgica chegaria ao golo,  passavam 69 minutos de jogo.

A Bélgica forçava e alcançaria o empate ao minuto 74, golo de cabeça de Fellaini que correspondia da melhor forma a um centro para a área de Hazard. 

Perto do final do encontro, decorria o minuto 94, e numa transição rápida a Bélgica chegaria ao golo da vitória. A bola é recuperada e cai nos pés de De Bruyne que ao seu estilo galga metros, liberta em Meunier que de primeira assiste Chadli que empurra para dentro das redes após simulação primorosa de Lukaku. 

A Bélgica vai agora defrontar o Brasil na sexta-feira em Kazan, um duelo que se espera apaixonante dada a qualidade individual presente em ambas as seleções. 

Uma palavra para o Japão que, apesar de continuar sem ultrapassar os oitavos de final em mundiais, mostrou uma seleção bem orientada com um futebol sempre positivo.