A caminho do Euro 2016: Suécia

Os suecos estão integrados no grupo E juntamente com a Bélgica, Irlanda e Itália. O primeiro jogo será contra a Irlanda.

A caminho do Euro 2016: Suécia
Ibrahimovic lidera a Suécia (Foto: globmedia.com)

A Suécia, única seleção da casa que disputou e perdeu a final do Campeonato do Mundo, não mais repetiu o feito de 1958, mas chegou às meias-finais da prova que voltou a organizar, o EURO 92, na primeira vez em que competiu na fase final da prova continental. Dois anos mais tarde ficou no terceiro lugar do Mundial 1994 e, apesar de ter falhado o apuramento para as duas últimas fases finais do Campeonato do Mundo, marcou presença nos derradeiros quatro torneios, muito por culpa do talento da sua estrela, Zlatan Ibrahimovic. A Suécia chegou às meias-finais da competição que organizou, em 1992, ao vencer a Inglaterra e a futura campeã Dinamarca, depois de um empate, na estreia, com a França. No entanto, com Stefan Schwarz suspenso e Jonas Thern a jogar lesionado, foi eliminada pela Alemanha ao perder por 3-2 nos instantes finais.

Somente em 2000 os nórdicos chegaram novamente a uma fase final e, desde então, têm sido presença constante. A Suécia saiu do EURO 2004 sem sofrer qualquer derrota, eliminada nos quartos-de-final pela Holanda, ao perder no desempate por grandes penalidades por 5-4, após empate sem golos. Nas duas últimas campanhas, os suecos nunca passaram da fase de grupos e registaram uma vitória e duas derrotas em cada ocasião. Em 2012 estiveram a vencer a Ucrânia e a Inglaterra nas segundas partes dos jogos, mas acabaram por perder e chegaram ao último encontro sem hipóteses de qualificação. Ainda assim, a despedida deu-se em beleza graças a brilhante golo de Zlatan Ibrahimovic no triunfo de 2-0 sobre a França.

O selecionador Erik Hamrén colocou um ponto final na carreira de jogador antes de completar 20 anos e começou a treinar escalões de formação, antes dos primeiros cargos como técnico de seniores em clubes da segunda divisão da Suécia, no Väsby, Brommapojkarna e Vasalund. Ingressou no Degerfors, do escalão principal, em 1994 e no ano seguinte assinou pelo AIK, levando o clube de Estocolmo a disputar três finais consecutivas da Taça da Suécia. Perdeu a primeira, em 1995, mas venceu as outras duas. Conquistou a Taça da Suécia pela terceira vez em 2000, já no comando do Orgryte, ao bater precisamente o AIK numa final disputada a duas mãos.

Esteve ao serviço do clube durante seis épocas, até Janeiro de 2004, altura em que emigrou para treinar os dinamarqueses do Aalborg. Venceu a Liga dinamarquesa de 2007/08 pelo Aalborg e deu ao clube o terceiro título da sua história, mas a meio da campanha anunciou que, no final da época, iria mudar-se para o Rosenborg. Na primeira temporada completa, na Noruega, conduziu o Rosenborg ao título norueguês, mas em Novembro de 2009 aceitou o convite para substituir Lars Lagerback no comando da seleção da Suécia, continuando ao serviço do Rosenborg até Setembro de 2010, quando teve início a fase de qualificação para o EURO 2012. Teve sucesso imediato, ao levar os suecos à fase final da prova com uma vitória sobre a Holanda na última jornada da fase de qualificação, não tendo ido além da fase de grupos. Falhou o apuramento para o Mundial de 2014, ao ser derrotado no «play-off» frente a Portugal, mas qualificou a Suécia para o EURO 2016 ao bater a Dinamarca na mesma fase.

Futebol Internacional