A caminho do Euro: República da Irlanda

A selecção da Irlanda está no grupo E com a Suécia, Itália e Bélgica. O primeiro jogo em França será perante a Suécia.

A caminho do Euro: República da Irlanda
A República da Irlanda está integrada no Grupo E

A República da Irlanda estreou-se numa grande competição em 1988, começando da melhor maneira ao derrotar a Inglaterra, tendo estado a poucos minutos de afastar das meias-finais a futura vencedora, a Holanda. O inglês Jack Charlton foi quem conduziu o país às duas edições seguintes do Campeonato do Mundo, e, na primeira delas, em Itália, a sua participação terminou nos quartos-de-final. Em 2002 foi de novo ao Mundial, mas a Irlanda apenas regressou a uma fase final de um Europeu em 2012, quando a equipa de Giovanni Trapattoni perdeu os três jogos da fase de grupos em que tinha adversários de enorme valia.

A Irlanda apurou-se pela primeira vez para uma fase final de um Campeonato da Europa em 1988, onde começou a sua participação com uma famosa vitória por 1-0 sobre a Inglaterra, graças a um cabeceamento de Ray Houghton, no início da partida. A seguir empatou 1-1 com a União Soviética, e apenas não se apurou para as meias-finais da prova, que decorreu na República Federal da Alemanha, porque a Holanda marcou o golo da vitória no minuto 82 da derradeira partida da fase de grupos.

Esteve perto do apuramento para a fase final em 1992, 1996 e 2000, sendo batida no “play-off” pela Holanda e Turquia nas duas últimas ocasiões. Terminou em terceiro nas qualificações de 2004 e 2008, mas apurou-se em 2012, onde, depois de afastada do apuramento automático pela Rússia, derrotaria a Estónia no “play-off”. Foi uma altura positiva, marcada por um período em que esteve oito jogos (particulares incluídos) sem sofrer golos, números que são recordes nacionais. A equipa de Trapattoni chegou à Polónia e Ucrânia numa série de 14 jogos sem perder, mas rapidamente desceu à terra, pois foi derrotada por 3-1 pela Croácia, 4-0 pela Espanha e 2-0 pela Itália.

Martin O'Neill, um veterano no comando

O selecionador Martin O'Neill foi internacional pela Irlanda do Norte, mas o ponto alto da carreira como jogador foi atingido no Nottingham Forest, sob o comando de Brian Clough, quando foi campeão de Inglaterra em 1977/78 e venceu as Taças dos Clubes Campeões Europeus em 1979 e em 1980 (embora não tivesse jogado na primeira final). Participou também no Campeonato do Mundo de 1982. Após ter terminado a carreira devido a uma lesão, O'Neill começou a trabalhar como treinador dos amadores do Grantham, Shepshed e Wycombe, que levou a participar pela primeira vez na Football League em 1993, voltando a subir de escalão na época seguinte.

O'Neill é seleccionador da Irlanda desde 2013
O'Neill é seleccionador da Irlanda desde 2013

Trocou o Wycombe pelo Norwich em Junho de 1995, mas seis meses depois já estava no Leicester, que fez subir à Premier League, vencendo as Taças da Liga de 1997 e 2000, que valeram duas participações na Taça UEFA. O'Neill foi nomeado treinador do Celtic no Verão de 2000 e em cinco anos ganhou três campeonatos e três Taças da Escócia, completando a tripla em 2000/01 com o triunfo na Taça da Liga escocesa. Levou o clube de Glasgow até à final da Taça UEFA de 2003, mas não evitou o triunfo do FC Porto. Orientou o Aston Villa entre 2006 e 2010 e o Sunderland de 2011 a Março de 2013. Assumiu o cargo de selecionador da República da Irlanda em Novembro desse ano, tendo como adjunto Roy Keane, e conseguiu apurá-la para o EURO 2016 ao vencer a Bósnia e Herzegovina no “play-off”.

Futebol Internacional