Euro 2016: O RX dos técnicos - Marcel Koller

Marcel Koller suíço de 55 anos comanda a selecção da Áustria desde 2011, e vai defrontar Portugal na fase de grupos do Euro 2016. Vamos conhecer melhor o seu percurso.

Euro 2016: O RX dos técnicos - Marcel Koller
Marcel Koller lidera a Áustria desde 2011 (Foto: sportingindia.com)

Enquanto jogador Marcel Koller foi um médio, que fez toda a sua carreira no Grasshoppers da Suíça, ao longo de 24 anos num total de 429 jogos com 59 golos apontados. Ganhou sete campeonatos e cinco taças, foi internacional pela selecção helvética em 56 ocasiões, tendo marcado três golos e participado no Europeu de 1996. Terminou a carreira no ano seguinte e começou logo a treinar, no modesto FC Wil que levou com sucesso à primeira divisão.

Em 1999 chegou ao St. Gallen e no ano seguinte conquistou o primeiro campeonato da equipa em mais de 100 anos. Em 2002 foi para o seu clube do coração o Grasshoppers onde seria de novo campeão, agora como técnico em 2003. Rumou depois para a Alemanha onde viveu períodos de altos e baixos, ao serviço do Colónia não foi capaz de evitar a despromoção do emblema germânico e como tal acabou por ser despedido no final da temporada.

No entanto viveria o sentimento oposto quando em 2005 levou o Bochum a regressar à Bundesliga. A experiência foi sempre algo conturbada com o clube a lutar sempre pelos lugares de fuga à segunda divisão. Em 2009 o Bochum arrancou mal o campeonato e nos primeiros seis encontros somou apenas quatro pontos, algo que deixou os adeptos desagradados e pressionaram a direcção a despedir Marcel Koller, algo que se viria a consumar no mês de Setembro.

Koller pegou na Áustria em 2011 (Foto: sportsnet.at)

«Compositor» austríaco

Em Outubro de 2011 Marcel Koller foi o escolhido para orientar a selecção da Áustria. Os resultados não foram os mais famosos, desde logo com o não apuramento para o Europeu de 2012, e depois também com a não qualificação para o Mundial de 2014. As fichas eram todas apostadas em levar o país da música clássica, ao Euro 2016.

Num grupo onde tinha como adversários directos Rússia e Suécia, os austriacos tiveram um percurso imaculável. Em dez jogos venceram nove e apenas cederam um empate frente aos suecos, marcaram 22 golos e sofreram apenas cinco com um total de 28 pontos. Ficava assim garantida a segunda presença numa fase final de um campeonato da Europa, depois de terem estado presentes em 2008 como país organizador, juntamente com a Suíça.

O primeiro adversário vai ser a Hungria, seguindo-se Portugal e por fim a Islândia. Marcel Koller não vai ter uma tarefa fácil pela frente, mas com um grupo de jogadores jovens e a experiência de outros, tem possibilidades de poder seguir em frente.