Liga dos Campeões: Meio campo do Real Madrid à lupa

A luta travada no meio campo, na final de Milão, será determinante para o desfecho da partida. A VAVEL Portugal debruça-se sobre o meio campo do clube 10 vezes campeão Europeu.

Liga dos Campeões: Meio campo do Real Madrid à lupa
Casemiro, Kroos e Modric deverão formar o meio campo frente ao Atlético de Madrid. (Fonte: 442.co.uk)

O meio campo dos comandados de Zinedine Zidane está recheado de estrelas, mas foi, durante larga parte da temporada, uma zona do terreno bastante desequilibrada, onde era dada primazia às qualidades técnicas dos jogadores e se descurava, muitas vezes, a parte táctica. No entanto, com a saída de Rafael Benitéz de cena e a chegada de Zizou, o miolo dos Blancos ganhou mais músuclo e, sobretudo, maior equilíbrio.

Músculo de Casemiro, fundamental para o equilíbrio no meio campo merengue

O ex-FC Porto é um jogador não-galático. O Brasileiro não finta, não faz sprints endiabrados e não vende camisolas. No entanto, é uma das peças que vinha faltando ao Real Madrid nas últimas temporadas. Casemiro é aquilo a que se pode chamar um "tampão" no meio-campo do Real Madrid. Dono de uma condição física acima da média, o jovem jogador que, no ano passado, alinhou por 40 vezes nos Dragões, é um elemento preponderante na manobra defensiva da equipa, nomeadamente quando esta útlima tem que defender contra-ataques dos adversário, pois é sobre ele que recai o ónus de dobrar os seus colegas que partiram em aventuras ofensivas (Carvajal e Marcelo). 

Casemiro tem sido fundamental na caminha do Real em busca da
Casemiro tem sido fundamental no caminho da "undecima". (Fonte: Bleacher Report)

Pese embora que, no início da era Zidane, o Brasileiro tenha sido preterido para dar lugar a mágicos como Isco ou James, a verdade é que em jogos de maior exigência física e mental (clássicos, Champions, etc...), Casemiro tem sido sempre chamado e correspondido com exibições de gala.

Kroos, um relógio Suíço... só que Alemão

O Campeão do Mundo pela Alemanha, Toni Kroos é outro membro fundamental do trio centro-campista do Real Madrid. 

O internacional alemão é dono e senhor da bola em Madrid e tem como responsabilidade "fazer a bola rolar". O seu papel é determinante, principalmente contra equipas que jogam mais fechadas no seu meio-campo, como é o caso do adversário da final de Milão. A qualidade de passe do germânico é o seu grande cartão de visita e as suas mudanças de flanco com um só passe são determinantes para apanhar a equipa adversária em contrapé e tirar maior partido de eventuais desorganizações defensivas dos oponentes. Ademais, os seus lançamentos longos, a explorar as costas dos adversários e a velocidade de companheiros como Cristiano Ronaldo, Gareth Bale ou Karim Benzema, assentam que nem uma luva no estilo de jogo do Real Madrid.

Toni Kroos é um maestro no meio-campo do Real Madrid e, apesar de não ter na sua velocidade um activo, é frequente vê-lo no topo dos jogadores que mais correm na equipa, o que mostra bem a sua preponderância em todo o jogo Madridista.

Às ordens de Zidane, Kroos reencontrou o seu melhor futebol. (Fonte: Bleacher Report)

Modric, o motor do meio campo

O Croata Luka Módric é visto como sendo um dos jogadores mais importantes do Real Madrid e a estatística não mente. As fases menos boas das épocas recentes do Real Madrid coincidem muitas vezes com quebras de forma/lesões do astro Croata.

O número 19 do Real Madrid é o elemento mais criativo do tridente, com uma visão de jogo aprimorada e uma excelente qualidade de passe, com ambos os pés. Igualmente, Modric é um elemento diferente de todos os outros centro-campistas que moram no Santiago Bernabéu, pois conjuga os atributos acima mencionados com uma invulgar capacidade de galgar terreno, driblando adversários e fazendo a bola chegar ao último terço do campo.

Luka Modric é o elemento mais preponderante do meio campo Merengue. (Fonte: Sports Keeda)

Para além das suas virtudes ofensivas, Modric é conhecido por ser um guerreiro dentro de campo. Apesar de não ser fisicamente possante, o Croata é dono de um pulmão imenso e será certamente uma peça fundamental na ajuda defensiva durante a final do próximo Sábado.

Isco, James e Kovacic, suplentes de luxo

Pese embora os três jogadores acima mencionados façam regularmente parte dos 11 iniciais de Zinedine Zidane, a verdade é que o banco Merengue também conta com opções de luxo, que seriam titulares na grande maioria das equipas Europeias.

Enquanto Kovacic brilhou no Inter e foi contratado como sendo uma aposta de futuro, Isco e James são já jogadores consolidados na Europa do futebol. Duas superestrelas que, devido à forte concorrência que têm no plantel, não têm vindo a jogar com tanta regularidade, mas que têm qualidade para num lance definirem o jogo. Seja Isco com os seus dribles desconcertantes ou o Colombiano num remate de longa distância ou de bola parada, serão certamente opções de qualidade para Zinedine Zidane lançar no decorrer do jogo.

Futebol Internacional