Raio X ao grupo A: resoluções tardias e estrelas emergentes marcaram o grupo do organizador do Euro

A fase de grupos chegou ao fim e, em breve, a fase de eliminação começa. O grupo A foi o primeiro a fechar as contas, com a organizadora do Euro, França, a passar à próxima fase, seguida de perto pela Suíça. Albânia e Roménia ficaram pelo caminho.

Raio X ao grupo A: resoluções tardias e estrelas emergentes marcaram o grupo do organizador do Euro
França e Suíça apuraram-se no grupo A, Albânia e Roménia ficaram pelo caminho

A contagem decrescente para os oitavos de final do Euro 2016 já começou, e por ele anseiam as seleções francesa e suíça. Primeiro e segundo lugar do grupo A, respetivamente, fizeram por merecer o lugar na próxima fase, superiorizando-se face às outras duas seleções do grupo (Albânia e Roménia). A emoção das fases a eliminar será muita, e é por isso que a VAVEL Portugal olha ao pormenor para a prestação deste grupo de excelência.

Equipas em destaque: França eficaz em contra-relógio, Albânia surpreendente não passa por pouco

Não é surpreendente que a seleção francesa acabe esta fase de grupos como primeira classificada do seu grupo. Forte tanto no coletivo como a nível individual, demonstrou ser uma seleção coesa e com capacidade para resolver, mas nem sempre da forma mais fácil. Para perceber isto torna-se pertinente relembrar como a resolução evidente apareceu sempre em alturas tardias dos jogos, mais concretamente nas duas primeiras partidas, frente à Roménia e à Albânia. 

Na primeira partida os franceses começaram a ganhar, aos 57’, mas bastaram outros 8 para o empate voltar a ser registado no marcador. O jogo já parecia decidido quando Payet teve a perícia de resolver a partida, marcando perto do cair do pano, ao minuto 89. O mesmo se repetiu no jogo seguinte, em que o nó parecia atado e o empate a 0 era o cenário esperado. Foi então que o irrepreensível Griezmann abriu o marcador, mesmo em cima dos 90, para a vantagem ficar segura pelos pés de Payet, mais uma vez, que marcou o 2º tento aos 96 minutos. No derradeiro jogo, frente à Suíça, os 90 minutos já não chegaram, e o empate a 0 acabou mesmo por se verificar.

Apesar da derrota, a Albânia deu luta à seleção francesa, estando perto do golo diversas vezes // Foto: Twitter Euro 2016
Apesar da derrota, a Albânia deu luta à seleção francesa, estando perto do golo em diversas ocasiões // Foto: Twitter UEFA Euro 2016

Também a Albânia é merecedora de destaque. Inexperiente em fases finais teve um percurso muito notável e consistente, não passando para os oitavos de final por pouco. Os 3 pontos conquistados na vitória à Roménia não foram suficientes para fazer frente a outras seleções, mas fica na memória um Campeonato da Europa que, apesar de não ter sido fantástico, esteve perto de fazer História para este país.

Jogador em destaque: Payet, o tira teimas

Não é apenas o jogador em destaque no grupo A, mas também do Europeu todo. Apesar de não ser o melhor marcador do Euro (Bale e Morata têm 3 tentos, Payet 2), Payet emergiu como o jogador que resolve tudo. Sem ele a seleção francesa poderia ter um cenário bem mais negro, uma vez que de muito serviu o espírito goleador que o gaulês demonstrou na fase de grupos. A França parecia destinada a empatar os jogos, e assim teria sido se Payet não os tivesse resolvido, sendo por isso a chave do apuramento e do primeiro lugar no grupo. O jogador tirou da cartola os golos do primeiro e segundo jogo, e se algo houve em comum nestes tentos foi a sua incrível finalização, perto do fim das partidas.

A desilusão: Roménia, o abismo

A desilusão do grupo foi, sem grandes dúvidas, a Roménia. Parecia prometer já antes do Campeonato começar, e logo na partida a inaugurar o Euro dava provas do seu valor - lutou frente à seleção francesa e esteve, inclusivamente, perto de lhe roubar pontos, conseguindo empatar a partida depois de estar a perder. Não fosse Payet e tudo poderia ter sido diferente para esta seleção, que sofreu um duro golpe mesmo no final da partida. No jogo seguinte a esperança na prestação romena reacendeu-se, com um empate importante frente à Suíça, mas quando chegou à altura crucial de provar o seu valor, os romenos Stanciu e companhia não estiveram bem, e perderam pontos que lhes custaram o apuramento, não conseguindo assumir o favoritismo que lhe estava atribuído ainda antes de o árbitro apitar para o início da partida. No fundo, e apesar dos indícios que deu nos dois primeiros jogos, a Roménia não teve cabeça fria e vacilou na Hora H. 

Também a estrela da seleção, Stanciu, não esteve ao nível exigido, não sendo capaz de justificar as esperanças que os romenos depositaram nele. Era a grande figura em que todos os olhos estavam postos, mas não soube destacar-se.

Stanciu não esteve à altura do desafio
Stanciu não esteve à altura do desafio

Os oitavos de final

Para a próxima fase a Suíça pode contar com uma partida difícil frente à Polónia, que tem dado provas do seu valor e ambição ou acabar em 2º lugar do grupo C, com os mesmos pontos que a Alemanha. Por outro lado, França encontra-se com a República da Irlanda, equipa promissora e que promete dar luta, apesar do favoritismo da equipa da casa. No futebol tudo pode acontecer e a palavra de ordem é a imprevisibilidade, mas uma coisa é certa: este Campeonato da Europa promete fazer os corações dos aficcionados saltarem de emoção.