RX ao Grupo C do Euro: Neuer e Fabianski, os heróis de luvas de aço levam alemães e polacos aos oitavos

O Grupo C do Euro 2016 contou com 2 guardiões verdadeiramente incríveis. Neuer e Fabianski ainda não sofreram qualquer golo e permitiram à Alemanha e à Polónia somarem 7 pontos, garantindo o passaporte para os oitavos de final, onde a surpreendente Irlanda do Norte também marcará presença. A Ucrânia é a grande desilusão, terminando o grupo na 4ª posição com 0 pontos.

RX ao Grupo C do Euro: Neuer e Fabianski, os heróis de luvas de aço levam alemães e polacos aos oitavos
RX ao Grupo C do Euro: Neuer e Fabiansky, os heróis de luvas de aço levam alemães e polacos aos oitavos

O Grupo C do Euro ficou marcado pela falta de eficácia dos dianteiros das 4 equipas. Dos 6 duelos deste grupo, foram festejados apenas 7 tentos, uma média que dita pouco mais de um golo por jogo. As desilusões goleadoras, Muller e Lewandowski, permanecem longe das redes, e para a VAVEL Portugal o foco vai para os guardiões Neuer e Fabianski. Os donos das luvas alemãs e polacas foram determinantes para o apuramento de ambas as nações, com 7 pontos conquistados. A Irlanda do Norte conseguiu alcançar o 3º lugar, um posto que lhe permitiu, com apenas 3 pontos somados, carimbar o passaporte para a próxima fase. A Ucrânia despede-se de França com 0 pontos registados e 5 golos sofridos. 

As figuras do grupo: Neuer e Fabianski com luvas de ouro

No Grupo C do Euro 2016 a campeã do mundo, Alemanha, e a equilibrada equipa da Polónia assumiram o favoritismo, terminando ambas na 1ª e na 2ª posições, respectivamente, com 7 pontos alcançados (os germânicos terminam na 1º posição por terem registado melhor diferença de golos). No entanto, a eficácia diante as redes esteve longe do esperado: na Alemanha registaram-se várias desilusões, uma vez que nas três partidas não se verificaram quaisquer golos de estrelas como Muller, Ozil ou Draxler. Na Polónia, o inevitável Lewandowski não correspondeu minimamente às expectativas, com as balizas adversárias a não passarem de miragens para o astro polaco. 

Nuer tem demonstrado uma imensa qualidade neste Euro 2016, sendo um dos principais motivos do apuramento da Alemanha
Nuer tem demonstrado uma imensa qualidade neste Euro 2016, sendo um dos principais motivos do apuramento da Alemanha

Neste sentido, a VAVEL Portugal destaca uma campanha sólida, cínica e eficaz de alemães e polacos. As duas equipas não marcaram muitos golos, mas contaram com uma firmeza defensiva extraordinária. Para tal, relevo para Neuer e Fabianski, dois guardiões de altíssima qualidade que estiveram brilhantes nesta primeira fase do Euro. No caso de Neuer recorde-se a exibição soberba frente à Ucrânia, na primeira jornada, onde o guardião evitou por variadíssimas ocasiões os golos ucranianos. Fazendo uma analogia ao país do craque, Neuer é um autêntico muro de Berlim, completamente intransponível. Ao longo das três jornadas, o dono das luvas germânicas mostrou agilidade, rapidez a sair dos postes e uns reflexos incomuns, que permitiram à Alemanha registar 0 golos sofridos até ao momento. 

A nação polaca é, a par da Alemanha, a única equipa que não consentiu qualquer golo na fase de grupos, tendo evidenciado uma consistência defensiva sólida, que faz com que seja encarada como uma das selecções mais surpreendentes de toda a competição até agora. Os três golos marcados na primeira fase revelam que a Polónia é uma formação que aposta no equilíbrio de todos os sectores, atacando apenas de forma estratégica para conquistar os seus objectivos. O guarda-redes, Fabianski, registou exibições muito seguras, tendo estado à altura do seu adversário, Neuer, no empate a 0 frente à Alemanha. O veterano guarda-redes oferece segurança e confiança à sua equipa, tendo travado por completo as investidas da favorita Alemanha, nessa partida da 2ª jornada.

Fabianski esteve em destaque na baliza polaca, deixando-a intransponível
Fabianski esteve em destaque na baliza polaca, deixando-a intransponível

Em suma, neste Grupo C as estrelas que mais brilharam estiveram entre os postes e vestiram luvas de aço, sendo sem dúvida dois dos melhores guarda-redes de toda a competição. 

A revelação: Irlanda do Norte nos oitavos

Os 3 pontos conquistados pela Irlanda do Norte foram suficientes para alcançar um lugar nos oitavos de final do Euro.  O 3º posto no grupo C resultou num apuramento histórico que foi atingido graças ao triunfo de 2-0 diante a Ucrânia. Esta vitória foi também um prémio meritório para os adeptos irlandeses, uma vez que têm dado significado ao fair play, algo raro neste Euro de França. A Ucrânia contou com alguns jogadores acima da média, mas a Irlanda soube aproveitar as lacunas ucranianas para garantir o apuramento de forma justa e com uma postura correcta que tem vindo a valorizar o Europeu. 

A Irlanda do Norte joga como uma verdadeira nação, apresentando sempre um espírito colectivo que disfarçou algumas lacunas individuais. Mesmo nas derrotas frente à Alemanha e à Polónia foi possível observar a garra e a organização da Irlanda do Norte, e é de salientar que não só é a revelação do grupo, como é uma das equipas que nos oitavos pode perfeitamente superar as expectativas. 

Os adeptos irlandeses têm sido o mais autêntico exemplo de fair play
Os adeptos irlandeses têm sido o mais autêntico exemplo de fair play

Ucrânia, a desilusão de valer zero

A Ucrânia era apontada como a principal rival da Polónia na luta por um lugar na próxima fase do Euro, mas rapidamente se percebeu que o número 0 seria o destino desastroso dos ucranianos. No jogo de estreia frente à Alemanha, a Ucrânia esbarrou na fortaleza Neuer, mas a verdade é que as boas indicações do jogo inaugural não mais voltariam ao futebol da nação. As derrotas diante a Irlanda do Norte e a Polónia fizeram soar o alarme 0 e a consequente presença ucraniana no voo de regresso a casa.

Os ucranianos terminaram o grupo C em 4º lugar com 0 pontos, 0 golos marcados e 5 sofridos, números curiosos que permitem analisar que a Ucrânia sofreu 5 dos 7 golos que foram concretizados pelas 3 equipas no conjunto dos 6 jogos. A Ucrânia é hoje em dia um colectivo que estagnou no tempo e apresentou um futebol medíocre e sem qualquer rigor técnico e táctico. O momento adverso que o país atravessa bloqueou o desenvolvimento do futebol ucraniano, mas ainda assim fica a sensação de que a estadia em França poderia ter tido um pouco mais de tempo.