RX ao Grupo E : o poderio italiano, a juventude belga e a desilusão sueca

Chegamos agora à análise de um dos dois últimos grupos deste Euro 2016. De Buffon a Lukaku muitas foram as surpresas... menos do lado Sueco.

RX ao Grupo E : o poderio italiano, a juventude belga e a desilusão sueca
A Bélgica, a Itália e a Irlanda alcançaram os oitavos de final

Entre italianos, belgas, suecos e irlandeses as contas estavam muito divididas neste Grupo E. Mas no final das contas foi a Squadra de Buffon e Chiellini que acabou por levar a melhor, seguiu-lhe a Bélgica e a Irlanda, a desilusão? Essa esteve do lado da Suécia. Fazemos agora o RX ao Grupo E no Vavel Portugal.

Lukaku: o homem do Euro

O avançado belga de 23 anos está já habituado aos grandes palcos europeus.  Jogador do Everton, Romelu Lukaku tem dado muitas alegrias aos adeptos, só esta tetmporada foram 25 os golos marcados, mas a verdade é que se no Everton todos estavam contentes com a prestação do Belga, o mesmo não se podia dizer no que diz respeito à selecção.

Na fase de qualificação o ponta de lança de serviço desiludiu e a verdade é que os adeptos pediam mais. No primeiro jogo a Bélgica desiludiu perante o poderio italiano, mas a verdade é que na vitória frente à Irlanda a divida de Lukaku ficou saldada com a equipa belga.

Dois dos 3 golos na vitória da Bélgica foram marcados por este homem e foi este mesmo resultado que fez com a selecção pudesse voltar a sonhar com a vitória do Europeu.

Agora vem aí um jogo importante, a Hungria será o alvo a abater e os adeptos belgas estão a contar com Lukaku para os grandes golos.

Itália, o renascer das cinzas

A Itália chegou, jogou, convenceu e ganhou. Muitos eram os que diziam que a Squadra Azzurra estava mais do que acabada, mas a verdade é que a equipa de Antonio Conte provou que o velho ditado que diz “velhos são os trapos” é mais do que verdadeiro.

Buffon é dos jogadores mais velhos deste Euro 2016
Buffon é dos jogadores mais velhos deste Euro 2016

Com um estilo de jogo muito característico, a equipa de Buffon e Chiellini conta a experiência de muitos jogos e muitos titulos nas pernas. E provou que a junção de velhas e novas estrelas na selecção resulta. Prova disso foram as duas vitórias nos jogos com a Suécia e a Bélgica que garantiram a chegada aos oitavos sem precisar de voltar a vencer.

Agora vem a verdadeira prova de fogo, uma reedição da final de 2008... O jogo com a Espanha pode parecer para muitos só o grande jogo destes oitavos, mas a verdade é que a equipa de Conte procura vingança e face a tudo aquilo que se viu na fase de grupos o jogo promete e os adeptos italianos acreditam que este pode mesmo ser o ano em que a Fénix volta a renascer!

Suécia, a desilusão

É certo que o Grupo E não era um Grupo onde a selecção de Zlatan Ibrahimovic pudesse brilhar. Ainda para mais com nomes contrários tão grandes como a Itália e a Bélgica era dificil fazer brilhar a equipa sueca.

De dificil passou a impossível, a Selecção da Suécia terminou a fase de Grupos com dois adeus: um de Zlatan e outro ao próprio Euro. No final das contas? Um ponto apenas, alcançado na primeira jornada com a República da Irlanda com um empate a uma bola.

A Suécia disse adeus ao Euro depois de um empate e duas derrotas
A Suécia disse adeus ao Euro depois de um empate e duas derrotas

Nem Zlatan brilhou, nem a Suécia sonhou e a verdade é que a desilusão esteve mesmo presente para o Euro 2016. Um golo marcado, três sofridos e um adeus daquela que foi a equipa que prometeu lutar até ao fim. 

Futebol Internacional