RX ao Grupo F : Bjarnason brilhou , a estrelinha lusa e o azar austríaco.

A análise ao Grupo F tem muito para dizer. Se Portugal passou deve-o à estrelinha da sorte que chegou tarde, mas chegou. Um grupo mais equilibrado do que seria esperado onde a estrela que mais brilhou foi mesmo a da Islândia.

RX ao Grupo F : Bjarnason brilhou , a estrelinha lusa e o azar austríaco.
RX ao Grupo F : Bjarnason brilhou , a estrelinha lusa e oazar austríaco.

Muitas foram as contas que tiveram de ser feitas para chegar a uma conclusão nas chegadas aos oitavos de final deste Euro 2016. Se a Hungria ficou descansada a partir do segundo jogo a verdade é que entre portugueses, islandeses e austríacos muito ficou por se decidir nos últimos segundos dos jogos da última ronda. O RX ao grupo onde esteve a selecção portuguesa está agora no vavel portugal.

Bjarnason o médio que anda na boca de todos

O médio islandês de 28 anos chegou a este Euro 2016 bem conhecedor do futebol europeu. Joga no Basileia e em 44 jogos já conta com 14 golos. No Grupo F decidiu “dar um ar da sua graça” em todos os jogos.

Seja na assistência, seja nos próprios golos podemos dizer que Bjarnason anda mesmo na boca de todos os adeptos que têm assistido a este Euro 2016.

Dono de um estilo de jogo agressivo o suficiente para se fazer notar no meio de 22 homens em campo, o islandês tem sido uma das poderosas armas da equipa de Lagerback. A maior surpresa? O golo a Portugal, logo no primeiro jogo da selecção da Islândia e que garantiu um importante empate para a equipa nórdica.

Islândia o patinho feio que brilhou como cisne

Na teoria, a Islândia era a equipa mais fraca deste Grupo F, a verdade é que nos 3 jogos realizados a equipa provou que o facto de ser intitulada como o “patinho feio” em nada mudou as aspirações.

No jogo com Portugal empatou, seguiu-se a Hungria a quem arrancou também um empate e depois com a Áustria a vitória nos últimos segundos fez com o segundo lugar do Grupo ficasse garantido.

A Islândia surpreendeu tudo e todos neste Grupo F
A Islândia surpreendeu tudo e todos neste Grupo F

Com um estilo de jogo mais fraco do que todas as outras equipas presentes neste Grupo, a Islândia sabia que para continuar a sonhar com a passagem teria de fechar as portas da defesa e aproveitar as desatenções das equipas contrárias. E não é que resultou mesmo?

Agora vem o verdadeiro teste. A Islândia vai ter pela frente a Inglaterra num jogo que muito promete surpreender tudo e todos. Se não passar para os quartos de final por falta de vontade não será concerteza, porque a equipa de Lagerback já provou que o esforço colectivo é capaz de fazer cair os grandes.

Portugal, a estrelinha da sorte que chegou tarde, mas apareceu

Portugal era o favorito deste Grupo e a equipa mais cotada no ranking da UEFA neste Grupo F... mas desiludiu. Não pela falta de esforço, mas pela falta de resultados palpáveis.

O jogo com a Islândia fez com a equipa assentasse os pés no chão e percebesse que se calhar as coisas não iam ser tão simples como inicialmente aparentavam. Seguiu-se o jogo com a Áustria e o empate a zeros obrigou a puxar da calculadora... Já o jogo com a Hungria foi impróprio para cardíacos.

As contas da Selecção só ficaram decididas no jogo com a Hungria
As contas da Selecção só ficaram decididas no jogo com a Hungria

Um empate era suficiente , mas para passar em primeiro Portugal precisava de ganhar. Quando o jogo acabou Portugal ocupava o segundo posto, mas a verdade é que a vitória da Islândia frente à Áustria fez com a selecção das quinas caísse para o terceiro posto. Hoje é tempo de jogar com a Croácia e esperemos todos que a vitória esteja do nosso lado.