Portugueses por Barcelona

André Gomes é a mais recente contratação do Barcelona. O português torna-se assim o nono lusitano a actuar nos catalães, numa história que começou em 1967.

Portugueses por Barcelona
André Gomes é o nono português no Barça (Foto: rtp.pt)

Aos 22 anos André Gomes acaba de assinar contracto com o Barcelona, deixando o Valência. O médio vai ser também o nono português a jogar com a camisola dos blaugrana. No entanto a história do emblema catalão e os jogadores lusitanos começa em 1967, quando Mendonça trocou o Atlético Madrid pelo Barça, onde jogou durante dois anos. Jorge Alberto Mendonça, actuou no Sp. Braga, antes de se mudar para a capital espanhola.

Foi na década de 90 que as ligações Portugal > Barcelona ganharam maior dimensão. Em 1995 Luís Figo deixava o Sporting e depois de assinar em simultâneo por Parma e Juventus ficou proíbido de actuar em Itália por dois anos. A solução foi encontrada com a transferência para os catalães. Ali conquistou a já extinta Taça das Taças em 1996 e vários títulos internos, fez 249 jogos e marcou 45 golos. Era idolatrado pelos adeptos culés, até que em 2000 cometeu o «pecado capital», de assinar pelo Real Madrid.

Quem se juntou a Luís Figo no ano de 1996 foram Vitor Baía e Fernando Couto. O guarda-redes vindo do FC Porto, esteve em Barcelona até 1999 e defendeu as redes catalãs em 54 jogos. Já o defesa central estava no auge da carreira, e chegou à Catalunha por intermédio do Parma onde havia conquistado em 1995 a Taça UEFA. Esteve duas temporadas no Barça e alinhou em 60 jogos, marcando dois golos.

Couto, Baía e Figo celebram com Ronaldo a conquista da Taça das Taças (Foto: mylocalpitch.com)

Quem ainda jogou com Luís Figo no Barcelona foi Simão Sabrosa. Em 1999 o extremo era comprado ao Sporting e a sua passagem pela Catalunha parecia promissora ao marcar, um dos dois golos com que o Barça derrotou o Real Madrid no clássico dessa temporada. No entanto o português acabou por não se conseguir afirmar ao melhor nível e em 2001, regressou a Portugal para jogar no Benfica. Mais tarde voltaria a Espanha para actuar no Atlético Madrid.

Sai Quaresma entra Deco

Decorria o ano de 2003 quando Ricardo Quaresma saiu do Sporting para rumar ao Barcelona. Só que as coisas não correram bem ao extremo português, tendo entrado em conflito com o técnico na altura, Frank Rijkaard, chegando mesmo a afirmar que não jogaria mais enquanto o holandês estivesse no banco. Fez apenas 28 jogos e marcou um golo, mas isso não impediu que ficasse de fora dos convocados para o Euro 2004.

Foi precisamente nesse ano de 2004, que o Barça se mostrou interessado em Deco. O luso-brasileiro alinhava no FC Porto e Quaresma acabou por servir de «moeda de troca», entre os dois emblemas. Ao contrário do seu compatriota, Deco acabou por se notabilizar ao serviço do Barcelona, com o ponto alto a ser a conquista da Liga dos Campeões em 2006. Em 2008 as suas exibições começaram porém a piorar, e a paciência dos adeptos blaugrana esgotou-se, acabando por abandonar o clube. Fez 166 jogos e marcou 21 golos.

A história dos portugueses por Barcelona fica concluída com Edgar Ié. Um jovem que saiu da Academia do Sporting em 2012, mas jogou apenas um desafio na equipa principal dos catalães em Dezembro de 2014, frente ao Huesca para a Taça do Rei. Saiu nesse mesmo ano para outro emblema espanhol, o Villarreal.