Benfica B: Uma equipa capaz do melhor e do pior

O Benfica B, comandado por Hélder Cristovão, é caracterizado por uma incosistência anormal e os 11 golos sofridos nos últimos três jogos é um pequeno exemplo disto

Benfica B: Uma equipa capaz do melhor e do pior
Jovens 'Made in Seixal' são utilizados na equipa B. // Fonte: www.slbenfica.pt

Numa altura em que os clubes portugueses apostam nas equipas B para dar a conhecer ao Mundo jovens jogadores do nosso país (e não só), a equipa B das Águias vive uma época assombrada por uma ‘constante inconsistência’. Exemplo disto são as últimas cinco jornadas da Segunda Liga, onde os encarnados dominaram os dois primeiros adversários (5-0 ao Famalicão e 1-3 ao Varzim), mas dececionaram nos três jogos seguintes, com duas derrotas muito pesadas (1-5 frente ao Académico de Viseu e 5-1 frente ao Real Massamá, último classificado) e com um empate por 1-1, o jogo mais recente, frente ao Cova da Piedade no Caixa Futebol Campus.

Hélder Cristovão aposta muitas vezes num 4-3-3 ou num 4-4-2, não apresentado assim um sistema de jogo fixo. Voltando ao exemplo das últimas cinco jornadas, na vitória por 5-0 frente ao Famalicão, os encarnados apresentaram um 4-4-2 sem um avançado dito ‘de raíz’, pois foi a dupla João Félix e Chris Willock que alinhou na frente de ataque.

É verdade que nesse encontro, a ideia de jogo resultou na perfeição e o resultado não permite discordar, mas vejamos o embate frente ao Académico de Viseu, então 4º classificado da tabela. Neste jogo, o Benfica voltou a apresentar o mesmo 4-4-2, mantendo João Félix na frente de ataque, mas desta vez com a companhia de Heriberto Tavares (autor do único golo encarnado).

Através deste jogo é possível ver que frente a adversários mais fortes e com outros objetivos, o 4-4-2 do Benfica B não tem fundamento e, como tal, o sistema de jogo mais indicado seria o 4-4-3.

Olhando agora para dentro do plantel, temos um Benfica B que apresenta uma das médias de idade mais baixas de toda a Segunda Liga (20,29 anos).

A falta de experiência pode ser um dos principais fatores para toda esta oscilação de resultados quando comparamos esta média de idades com uma das mais altas, a do Santa Clara (28,60 anos), contudo os encarnados ocupam o 12º lugar da tabela classificativa, com 5 pontos acima da ‘linha de água’.

As principais caras de toda esta juventude são Gedson Fernandes, Florentino Luís, Chris Willock, José Gomes, Francisco Ferreira e, talvez os maiores impulsionadores de toda a equipa secundária das Águias, Heriberto Tavares (melhor marcador de sempre do Benfica B) e João Félix, jovem jogador de apenas 18 anos que tanto brilha ao serviço desta equipa como do plantel de Juniores.