Análise VAVEL ao calendário do FC Porto: Modo voo

À medida que o campeonato se vai aproximando do final, muitas projeções começam a ser feitas. Nesta peça, a VAVEL analisa o calendário do FC Porto

Análise VAVEL ao calendário do FC Porto: Modo voo

Qual o adversário mais difícil dos jogos que faltam? Quais são as deslocações que o FC Porto ainda tem de fazer?

A lenga lenga do jogo a jogo de que os treinadores tanto gostam é a retórica predileta dos dias de hoje do futebol português. O factual é que muitas opiniões já circulam por todo o lado, muitas são já as previsões que apontam este ou aquele como os jogos mais difícil do campeonato.

Campeoanto vai pelos ares

O líder do campeonato português é azul, cospe fogo e mora na invicta. Se o FC Porto vencer os seus próximos 7 jogos é campeão. Com a vitória no Dragão no passado fim de semana, o Dragão feriu um leão que, neste momento, já só olha para o céu onde os voos da águia e do Dragão se difundem no horizonte da glória.

O líder ainda é azul, é certo, mas já ficou claro para todos que só mesmo se crescessem umas asas ao Sporting e o leão virasse quimera é que, três épocas depois, Jorge Jesus voltaria a ser campeão. A águia encarnada, se quer fazer juz ao seu nome e ao do seu treinador, tem de esperar pacientemente por uma turbulência no voo de um dragão invicto que muitos acreditam já ter ligado o cruise control.

Este campeonato descolou do chão e o Benfica já só tem 9 jogos para acompanhar a velocidade clara com que o dragão se vai aproximando das estrelas. Ao leão resta lamber as feridas, ter cuidado com o exército gverreiro que está a chegar e observar o horizonte onde seres voadores prolongam uma corrida que já esteve mais longe de estar decidida.

Findas as metáforas animalescas, vamos ao que interessa.

Já se contam pelos dedos das mãos as jornadas que faltam para o fim do campeonato e, consultando o calendário, esta é a primeira nota que se tira do percurso restante do FC Porto: os dragões jogam 4 vezes em casa e 5 vezes fora. 

Se não cedermos à tentação de dividir os clubes portugueses entre "grandes" e "pequenos", o mais fácil é dizer que o jogo da Luz é, sem dúvida o teste de fogo ao FC Porto mas, parece-nos mais importante dizer que, mais do que nunca, os próximos jogos são mesmo os mais importantes, os próximos quatro mais exatamente.

Seria um rombo anímico enorme para a equipa de Sérgio Conceição ir à Luz com a possibilidade de perder a liderança (partindo do princípio que ainda lá vai chegar líder), depois de quase 75% do campeonato a ver as águias pelo retrovisor (e relativamente longe).

Conseguem imaginar a motivação de um Benfica a depender de uma vitória na Luz frente ao FC Porto para chegar à liderança? Isto, claro, lembrando que os encarnados foram, por muitos, dados como mortos a dada altura do campeonato.

Para o FC Porto, conservar ou aumentar a vantagem de 5 pontos até ao jogo da Luz é crucial nas contas do título. Se essa tal vantagem for, no mínimo, mantida, os dragões passam a pressão toda para o lado dos encarnados que, em caso de derrota nessas circunstâncias, podem enviar por correio azul as faixas de campeão nacional para o Norte. 

Primeiro poker

Assim, as tais decisivas quatro próximas jornadas levam o FC Porto ao Restelo, a Paços de Ferreira e trazem ao Dragão o Boavista e o Desportivo das Aves. Qual o jogo mais difícil destes todos? Essa questão não ganha muita relevância. Todos os jogos terão a sua história, todas as equipas estarão em momentos diferentes e muita água correrá em qualquer das pontes do Porto.

O senso comum diz que os jogos fora são mais difíceis que os jogos em casa e a classificação diz que o Belenenses está melhor que o Paços de Ferreira. Deve, por isso, assumir-se que o jogo mais difícil antes da ida à Luz é a ida ao Restelo?

Para a VAVEL, esse tipo de análises carateriza-se entre o demagogo e o bacoco. A história diz-nos (ainda que muitos não se inteirem disso) que os pontos se perdem nos jogos mais improváveis: esta época, o FC Porto perdeu pontos em Moreira de Cónegos e na Vila das Aves (equipas que estavam em posição de descida), por exemplo. Como se isso não bastasse para sustentar esta teoria, convém lembrar dois dos jogos em que o FC Porto perdeu o campeoanto no ano passado: em casa com Vitória de Setúbal (quando tinha a possibilidade de se isolar na frente) e, também em casa, com o Feirense.

Perante estes factos, parece evidente que não vale a pena definir quais os jogos "difíceis" e o jogos "fáceis", essas contas saem sempre furadas. Ainda assim, parece-nos que pertinente destacar como especialmente importante o jogo em casa contra o Aves. Esta distinção podia dever-se à excelente forma dos avenses, mas o principal critério é o facto de ser o jogo imediatamente anterior ao Benfica-FC Porto.

Em qualquer dos cenários dos próximos três jogos, o FC Porto-Desportivo das Aves estará carregado de emoção porque é a hipótese de o FC Porto garantir que sairá líder da Luz (partindo do princípio que nos três próximos jogos, o Benfica não ganha pontos ao FC Porto). Caso o Benfica ganhe pontos ao FC Porto, o FC Porto-Desportivo das Aves será a última hipótese de o FC Porto garantir que visita a luz líder ou, caso haja uma hecatombe para os lados da Invicta, é a última hipótese de o FC Porto garantir que, em caso de vitória, sairá líder da Luz.

De qualquer das maneiras, a VAVEL acredita que o FC Porto-Desportivo das Aves será um jogo de casa cheia, muito emotivo e onde a fibra dos comandados de Sérgio Conceição será testada até ao limite. 

Segundo poker

Se são quatro os jogos que antecedem o Benfica-FC Porto, também são quatro os jogos que o precedem. As duas últimas deslocações marcadas no calendário dos azuis e brancos assustam: primeiro Maritimo e depois Guimarães. Conseguem imaginar um cenário em que o FC Porto ainda não é campeão na última jornada e tem de ir jogar a Guimarães (contra um Vitória que ainda pode precisar do jogo para alimentar o sonho europeu)?

É um cenário magnífico para o futebol português mas, certamente, não desejado por Sérgio Conceição que, nesta altura, sonhará ir a Guimarães com a questão do título resolvida. O Marítimo - FC Porto está rodeado por condimentos parecidos mas, parece-nos, que a carga emocional de um eventual jogo decisivo em Guimarães será muito maior, ou não fosse a última jornada.

Nestes quatro jogos finais, estão ainda incuídas as receções ao... Vitória de Setúbal e Feirense (acho que não é preciso dizer muito mais). Quis o destino que os "carrascos improváveis" da época passada voltassem a visitar o Dragão numa fase decisiva do campeonato. É provável que quer Vitória, quer Feirense precisem de pontos como do pão para a boca nessa altura do campeonato e, por isso, não há jogos fáceis.

Não está reservado

Por mais paradoxal que seja fazer-se uma análise em que se diz que todos os jogos são difíceis, está mais que provado que o relaxamento tem maus resultados. À medida que o tempo for passando, a tensão vai aumentar e, se é verdade que nos últimos quatro anos o FC Porto nunca subiu tão alto, também é verdade que esta pode ser a maior queda de todas. Ainda nada está ganho, Sérgio Conceição sabe disso e, por isso, os portistas não reservam os Aliados.