Arsenal volta a vencer e está nos quartos de final da Liga Europa

O Arsenal recebeu e venceu (3-1) o Milan, marcando assim presença nos quartos de final da Liga Europa. Welbeck com um bis e Xhaka marcaram para os "gunners". Çalhanoğlu foi o autor do único golo dos "rossoneri"

Arsenal volta a vencer e está nos quartos de final da Liga Europa
Welbeck bisou na partida e ajudou o Arsenal a qualificar-se para os quartos de final da Liga Europa

  O Emirates Stadium recebeu esta noite a segunda mão dos oitavos de final entre o Arsenal e o Milan. A equipa londrina trazia de Itália uma vantagem de dois golos e em casa voltou a vencer, desta vez por 3-1.

  Em relação ao jogo da primeira mão, Arsène Wenger fez apenas duas alterações na equipa que disputou o encontro em Milão, colocando os defesas laterais Kolasinac e Chambers no banco de suplentes, lançando para o onze titular Bellerin e Monreal.  

  Na formação de Gattuso, destaque para a titularidade de André Silva, que se juntou a Cutrone na frente de ataque. O técnico italiano foi obrigado a mexer na defesa devido à lesão de Calabria, jogando no seu lugar o italiano Borini. No meio campo, Biglia deu lugar a Montolivo

  O árbitro responsável pela partida foi o sueco Jonas Eriksson.

  O jogo começou e aos 48 segundos já os adeptos italianos suspiravam após uma grande oportunidade falhada pelo internacional português, André Silva. Depois de uma bela jogada do Milan pelo corredor esquerdo, o avançado apareceu completamente sozinho na área e encheu o pé, rematando com força mas sem a direção desejada. A bola acabou por embater nas malhas laterais da baliza do Arsenal e estava dado o primeiro sinal de perigo dos visitantes. 

  A resposta do Arsenal surgiu aos 4 minutos mas de forma quase inofensiva com um cabeceamento do central francês Koscielny a sair muito ao lado. No entanto, 6 minutos depois, o azar bateu à porta do defesa internacional pela França e este foi mesmo obrigado a abandonar o terreno de jogo por lesão, dando lugar à entrada de Chambers

  O jogo ia decorrendo com o Arsenal a dominar e a controlar o jogo, com boas sucessões de passe a nível do meio campo e muito do jogo ofensivo a passar pelos pés de Özil. O Milan ia sentindo dificuldades enquanto tinha a bola, com a equipa londrina a pressionar alto assim que o adversário tentava iniciar a construção de jogo.

   Aos 24 minutos, a formação inglesa quase abria o marcador depois uma contra-ataque perigoso, com Özil a receber a bola no meio campo e depois de a conduzir até à área do Milan fez um bom passe para Welbeck que, depois de bailar sobre Borini, rematou para uma boa intervenção de Donnarumma

  A equipa italiana quando tinha que defender, baixava as suas linhas e a linha do meio-campo ficava próxima da linha dos defesas, tentando evitar assim os passes de rutura dos jogadores mais ofensivos dos gunners.

  À passagem do minuto 35 surgiu o momento da noite em LondresHakan Çalhanoğlu recebeu a bola ainda distante da área do Arsenal e com um remate fantástico e cheio de efeito, bateu Ospina que bem se esticou, mas sem sucesso. Imparável o remate do turco, estava aberto o marcador e o Milan voltava a estar dentro da eliminatória. 

  Se no minuto 35 surgiu o momento da noite, aos 37 minutos surgiu a polémica da noite. Ricardo Rodríguez agarrou Welbeck na área do Milan, perto da linha de fundo, e o árbitro sueco assinalou grande penalidade a favor do Arsenal, perante muitos protestos dos jogadores dos rossoneri, que consideraram que o toque não era suficiente para derrubar o inglês. E foi mesmo o internacional inglês que foi chamado para cobrar a partir da marca dos onze metros. Com classe e confiança, Welbeck não desperdiçou e empatou o jogo

  O jogo ganhou intensidade e os gunners ainda tiverem mais duas boas oportunidades para ampliar o marcador antes do intervalo. Ao minuto 44, depois de um excelente cruzamento de Monreal, Welbeck esticou-se todo para colocar a bola atrasada para Mkhitaryan. O arménio, isolado, atirou ao lado da baliza do jovem guardião italiano. 

  A fechar a primeira parte, Wilshere quase que imitava Çalhanoğlu e do meio da rua disparou um remate potente e colocado ao qual Donnarumma se opôs com categoria, impedindo ali aquele que seria o segundo grande golo da noite. 

  O jogo chegou ao intervalo empatado com o Arsenal em vantagem na eliminatória. O Milan precisava de dois golos para se qualificar para a fase seguinte. 

  A partida recomeçou sem qualquer alterações nas equipas e o Milan foi a primeira equipa a rematar à baliza. Kessié, aos 47 minutos, rematou de fora de área para uma defesa fácil do colombiano Ospina

  Os gunners voltaram a testar Donnarumma, desta vez depois de um bom remate de Mkhitaryan, no lado esquerdo da área do Milan. O guardião italiano defendeu para canto e na sequência da bola parada, Mustafi ganhou nas alturas mas o cabeceamento acabou por sair por cima. 

  Suso, do lado do Milan, quase voltou a colocar os italianos em vantagem depois uma arrancada de Ricardo Rodríguez pelo flanco esquerdo do ataque. O espanhol cruzou atrasado e o médio italiano rematou com a bola a rasar o poste do Arsenal. Aos 58 minutos, André Silva recebeu de costas para a baliza, rodou e levantou a bola num excelente passe para Cutrone, que se encontrava sozinho na área. O avançado rematou em "vólei" e o esférico passou novamente perto da baliza à guarda de Ospina. 

  Gattuso lançou Kalinić aos 67 minutos e no minuto seguinte o croata cabeceou sozinho entre os centrais dos gunners depois de uma arrancada desde a defesa do central Bonucci, para uma defesa segura de Ospina. 

  Os gunners voltaram a colocar-se em vantagem no encontro aos 71 munutos depois um remate ainda fora de área de Xhaka. Desta vez, Donnarumma ficou muito mal na fotografia, tendo sido ele que defendeu a bola para dentro da baliza. O número 99 dos rossoneri manchou boa exibição que vinha a realizar e o Arsenal completou a reviravolta no marcador ficando ainda mais confortável no marcador. 

  O guardião do Arsenal fez aos 77 minutos uma grande defesa evitando o empate do Milan, depois de cruzamento tenso de Borini. O desvio para a baliza até foi feito por Mustafi, que só não fez um auto-golo graças a uma grande parada do camisola 13 dos londrinos

  Com a eliminatória decidida, o jogo foi decorrendo a um ritmo mais lento com o Arsenal a guardar a bola e a ir controlando o que restava do jogo. Mesmo em desvantagem, destaque para a falange de apoio dos adeptos italianos que continuaram a cantar e a apoiar a sua equipa até ao final do jogo. 

  Ainda houve tempo para a equipa de Wenger ampliar a vantagem no marcador depois de uma boa jogada aos 86 minutos. Welbeck veio buscar a bola entre os centrais, jogou na esquerda para Wilshere que cruzou para o interior da área onde Ramsey apareceu sozinho para cabecear. Donnarumma ainda parou o primeiro cabeceamento com uma grande defesa mas foi incapaz de parar o ressalto de cabeça de Welbeck que acabou por bisar na partida

  O jogo chegou ao fim pouco tempo depois sem se registarem mais oportunidades para ambas as equipas e o Arsenal confirmou a passagem aos quartos de final da Liga Europa. O Milan fica fora da competição depois de duas derrotas em dois jogos contra os gunners.