Rússia 2018: Colômbia

Não está presentes no lote dos favoritos para a maioria, mas a seleção colombiana tem vários jogadores de nível mundial que podem fazer a diferença. Deixaram uma boa imagem em 2014 no Brasil e são uma seleção a ter em conta no Mundial da Rússia.

Rússia 2018: Colômbia
Rússia 2018: Colômbia

Ainda são recentes as imagens que a Colômbia nos deixou no Mundial de 2014. Uma seleção repleta de bons jogadores, liderada por um James Rodriguez endiabrado e com grandes finalizadores. Só caíram nos quartos-de-final contra a equipa da casa. No entanto a fase de qualificação não foi fácil. Nas palavras do selecionador, Jose Pekerman: “A nossa campanha para a classificação foi muito complicada, nunca tivemos tantas equipas separadas por tão poucos pontos.” As dificuldades que a seleção tem encontrado são: a falta de juventude na defesa, falta de soluções no ataque e as lesões em jogadores chave. O exemplo de Radamel Falcão. O internacional colombiano tem vindo a sofrer vários lesões nos últimos anos, o que o impede de regressar ao nível que mostrava no FC Porto e no Atlético de Madrid.

A seleção comandada pelo argentino Jose Pekerman tem apostado num jogo defensivo com saídas rápidas para o ataque. Há vários jogadores que podem marcar a diferença nesta seleção. James Rodriguez é o líder da equipa. Depois do primeiro ano como jogador do Bayern de Munique, o camisola 10 da Colômbia é a grande esperança dos adeptos. O rendimento da equipa dependerá muito da eficácia de Radamel Falcão e do rendimento de jogadores como Cuadrado, Bacca, …

Os selecionados são:

Guarda-redes: David Ospina; Camilo Vargas; Fernando Cuadrado

Defesas: Santiago Arias; Yerry Mina; Oscar Murillo; Davinson Sanchez; Cristian Zapata; Johan Mojica; Frank Fabra

Médios: Wilmar Barrios; José Izquierdo; Cuadrado; Lerma; Quintero; James Rodríguez; Carlos Sánchez; Matheus Uribe; Aguilar

Avançados: Carlos Bacca; Miguel Borja; Falcão; Muriel

A Colômbia faz parte do grupo H juntamente com a Polónia, Senegal e Japão.