Rússia 2018: Uruguai

Na qualificação sul-americana o Uruguai só ficou atrás do Brasil. Isto prova a qualidade desta seleção que conjuga experiência na defesa, juventude e criatividade no meio campo e dois goleadores na frente de ataque.

Rússia 2018: Uruguai
Rússia 2018: Uruguai

Para os especialistas, o ponto forte da seleção do Uruguay está na defesa. Os centrais do Atlético de Madrid, Godín e Giménez funcionam muito bem juntos e trazem à seleção grande confiança na zona mais recuada do terreno. Na lateral esquerda o titular deve ser Martín Cáceres e no lado direito haverá uma disputa entre Guillermo Varela e o experiente Maxi Pereira, jogador do FC Porto.

No meio campo tem vindo a haver uma “revolução” na forma de jogar. Hoje em dia, o Uruguai já não tem o meio campo agressivo, de forças e de pouca criatividade. A entrada para a seleção de jogadores como Rodrigo Betancur, Matías Vecino e Nahitan Nández mudou a forma de jogar da equipa. Agora há muita mais preocupação de ter a posse de bola, e elaborar processos lentos de criação de jogo. A criatividade e a qualidade destes jogadores alterou a forma de o selecionador Tábarez construir o modelo de jogo da equipa.

No ataque não há duvidas. Luis Suárez e Cavani estão encarregues de marcar os golos da seleção uruguaia. Os goleadores do FC Barcelona e do PSG, respetivamente, são jogadores da elite mundial e será certamente complicado para qualquer defesa anular as suas qualidades.

Os convocados são:

Guarda-redes: Muslera, Martín Silva, Martín Campaña

Defesas: Godín, Sebastián Coates, José Mária Giménez, Maximiliano Pereira, Gastón Silva, Martín Cáceres, Guillermo Varela.

Médios: Nahitan Nandez, Lucas Torreira, Matías Vecino, Rodrigo Bentancur, Carlos Sánchez, Cristian Rodríguez, Diego Laxalt, Arrascaeta, Urretaviscaya

Avançados: Maximiliano Gómez, Cristhan Stuani, Edinson Cavani y Luis Suárez.