Rússia 2018: Argentina

A seleção sul-americana está inserida no grupo D.

Rússia 2018: Argentina
A Argentina vai à procura de novos festejos na Rússia

   Depois de ter terminado a qualificação para o Mundial em terceiro lugar no grupo da América do Sul, a Argentina chega à Rússia como uma das que se enquadra no lote das favoritas à conquista do torneio. Liderada por Jorge Sampaoli, a turma alviceleste vai em busca do troféu que lhe escapa desde o já distante Mundial de 86, no México. 

  Finalista vencida na última edição do Campeonato do Mundo, a Argentina encontra-se no grupo D, juntamente com Croácia, Nigéria e Islândia, que será o primeiro adversário da seleção do continente americano. 

  Com nomes de classe mundial espalhados pelo plantel, é tarefa impossível falar da Argentina sem falar de Lionel Messi. É nele que grande parte dos adeptos argentinos depositam as suas esperanças e todos eles esperam que o astro do Barcelona seja capaz de fazer a diferença neste Mundial e consiga assim levar a sua seleção ao tão desejado ouro. Foi ele mesmo que afirmou recentemente que esta seria a última hipótese para a sua geração conquistar o troféu, sentindo que "deve" este título ao povo argentino depois da amarga derrota no último Mundial frente à Alemanha. 

  No entanto, o talento individual da formação alviceleste não fica só entregue a Messi. Nomes como Ángel Di MaríaSergio Agüero, Paulo Dybala ou Gonzalo Higuaín demonstram bem o poderio ofensivo desta seleção, com jogadores capazes de decidir um jogo de um momento para o outro. A nível ofensivo, a Argentina é, sem qualquer dúvida, uma das seleções com maior poder de fogo e com uma variedade fantástica de opções. 

  Por oposição, do lado contrário do campo surgem as maiores dificuldades da turma de Sampaoli. A defesa argentina tem apresentado incapacidade de manter a sua baliza a salvo e tem demonstrado alguma falta de organização defensiva em vários momentos, aspeto este que o treinador argentino já afirmou ser o "calcanhar de Aquiles" da sua equipa. Ainda assim, o técnico acredita que vai conseguir corrigir esses erros, e que o poderio ofensivo se irá superiorizar às debilidades sentidas na defesa argentina. 

  Manuel Lanzini, médio do West Ham, lesionou-se na passada sexta-feira com gravidade e ficou assim incapaz de ajudar a seleção argentina. Para o seu lugar, foi chamado o médio do River Plate e ex-Benfica, Enzo Pérez. Perante isto, a lista dos 23 argentinos convocados para disputar o Mundial da Rússia é a seguinte: 

  Guarda-redes: Sergio Romero (Manchester United), Franco Armani (River Plate) e Wilfredo Caballero (Chelsea).
 
  Defesas: Gabriel Mercado (Sevilha), Federico Fazio (Roma), Nicolás Otamendi (Manchester City), Cristian Ansaldi (Torino), Nicolás Tagliafico (Ajax) e Marcos Rojo (Manchester United).

  Médios: Ever Banega (Sevilha), Javier Mascherano (Hebei Fortune), Eduardo Salvio (Benfica), Lucas Biglia (Milan), Angel Di María (PSG), Giovani Lo Celso (PSG), Enzo Pérez (River Plate), Maximiliano Meza (Independiente) e Marcos Acuña (Sporting).

Avançados: Lionel Messi (Barcelona), Sergio Agüero (Manchester City), Gonzalo Higuaín (Juventus), Paulo Dybala (Juventus) e Cristian Pavón (Boca).

  O pontapé de saída da Argentina no Mundial é dado no sábado, às 14 horas frente à Islândia