Rússia 2018: Inglaterra

A formação de Gareth Southgate defronta a Bélgica, a Tunísia e o Panamá no Grupo G. Harry Kane é a principal arma da Inglaterra, renovada após a saída de Roy Hodgson do comando técnico, em 2016.

Rússia 2018: Inglaterra
Rússia 2018: Inglaterra

Nas últimas décadas, a seleção britânica tem-se qualificado com facilidade para as grandes competições. No entanto, acaba sempre por cair aos pés dos adversários, como aconteceu no Euro 2016 frente à Islândia.

Em 2017, a Inglaterra triunfou nos campeonatos do mundo sub-17 e sub-20. Por isso, os ingleses acreditam que a seleção sénior do seu país consegue realizar uma boa performance no Mundial da Rússia 2018.

Gareth Southgate assumiu o cargo de treinador da seleção britânica em 2016 e renovou-a com a convocação de Ruben Loftus-Cheek e Harry Winks, futebolistas que atuam no Crystal Palace e no Tottenham, respetivamente. Por outro lado, deixou de lado o guarda-redes Joe Hart e o médio Jack Wilshere, habitualmente convocados por Roy Hodgson, antigo selecionador inglês. Alex Oxlade-Chamberlain falha o Mundial devido a lesão.

O avançado Harry Kane é a principal arma desta seleção. Para além da veia goleadora constantemente exibida na Premier League, o jogador do Tottenham é um futebolista que trabalha muito bem em equipa.

A Rússia é o palco do Campeonato do Mundo 2018. A Inglaterra encontra-se no Grupo G, juntamente com a Bélgica, a Tunísia e o Panamá.

Guarda-redes: Jack Butland, Jordan Pickford, Nick Pope;

Defesas: Trent Alexander-Arnold, Gary Cahill, Fabian Delph, Phil Jones, Harry Maguire, Danny Rose, John Stones, Kieran Trippier, Kyle Walker, Ashley Young;

Médios: Dele Alli, Eric Dier, Jordan Henderson, Jesse Lingard, Ruben Loftus-Cheek;

Avançados: Harry Kane, Marcus Rashford, Raheem Sterling, Jamie Vardy, Danny Welbeck.