Dragão demolidor aplica chapa 5 no arranque do campeonato

O FC Porto começou o campeonato com uma goleada (5-0) sobre o Desportivo de Chaves. Aboubakar (14´e 20´), Brahimi (45´), Corona (71´) e Marius (88´) foram os autores dos golos portistas.

Dragão demolidor aplica chapa 5 no arranque do campeonato
Goleada portista a abrir o campeonato (Foto Fábio Poço/Global Imagens)

  O Estádio do Dragão recebeu nesta noite de sábado o regresso do campeão nacional, com o Porto a receber e a golear (5-0) o Desportivo de Chaves, na primeira jornada da Liga NOS 2018/2019. Foi um Porto verdadeiramente demolidor e que não deu qualquer hipótese à turma flaviense, como o resultado final assim o demonstra. 

  Com a conquista da Supertaça no sábado passado, Sérgio Conceição voltou a apostar no mesmo onze que conquistou o troféu frente ao Aves. Casillas, Maxi Pereira, Felipe, Diogo Leite, Alex Telles, Otávio, Sérgio Oliveira, Herrera, Brahimi, Aboubakar e André Pereira foram os onze titulares no encontro desta noite. Marega voltou a ficar fora dos titulares e do banco de suplentes. 

  Do lado da equipa transmontana, Daniel Ramos, ex-treinador do Marítimo, fez três alterações relativamente ao jogo da 2ª fase da Allianz Cup, quando eliminou o Arouca da prova. O onze titular foi o seguinte:Ricardo, Brigues, Maras, Marcão, Luís Martins, Stephen Eustáquio, Filipe Melo, Bruno Gallo, Avto, William e Ghazaryan,

  Nuno Almeida, da AF Algarve, foi o árbitro principal do encontro com Vasco Santos e Bruno Trindade no videoarbítro.  

  Os dragões entraram bem no jogo, num 4-4-2, com Otávio a jogar sobre o lado direito e Sérgio Oliveira mais adiantado em relação a Herrera no meio-campo portista. O Chaves, num bloco compacto, em 4-3-3, utilizou apenas um trinco, Filipe Melo, seguido de dois médios interiores, Stephen Eustáquio e Bruno Gallo. 

  Logo nos primeiros dez minutos, e graças a uma entrada forte na partida, o Porto levou perigo à baliza transmontana, nas duas vezes por Aboubakar. Aos 4 minutos, o avançado não conseguiu dominar um belo passe de Brahimi e perdeu a chance de ficar isolado na cara de Ricardo. Poucos minutos depois, o camaronês não deu a melhor sequência a um bom cruzamento de Sérgio Oliveira e atirou por cima. 

  O Porto continuou a pressionar e à terceira foi de vez. Aboubakar inaugurou o marcador no Dragão aos 14 minutosOtávio, sobre o lado esquerdo do ataque portista, cruzou rasteiro para André Pereira, que simulou e deixou a bola passar pelo meio das pernas, chegando esta ao camaronês. Desta vez o avançado não falhou e atirou a bola rasteira para o fundo da baliza dos transmontanos. 

  Sem tirar o pé do acelerador e sem deixar o Chaves respirar, os azuis e brancos voltaram a marcar. Novamente Aboubakar depois de mais uma bela jogada ofensiva. Grande passe de rutura de Sérgio Oliveira para Otávio, que aproveitou a profundidade nas costas da defesa do Chaves. A partir dai, tudo fácil, cruzamento rasteiro e atrasado para Aboubakar que com facilidade encostou para a baliza de Ricardo. 2-0 para o Porto aos 20 minutos

  Com o Porto ligado à corrente, sucederam-se várias oportunidades para a formação de Conceição ampliar o marcador. Brahimi, aos 23 minutos, depois de um ressalto para a entrada da área atirou ao lado, com a bola a passar muito perto do poste esquerdo. À passagem do minuto 28, novamente o argelino em destaque, com muito perigo, depois de combinação magistral com Sérgio Oliveira. A bola passou em frente à baliza do Chaves, sem que ninguém a conseguisse empurrar para o fundo das redes. 

  À passagem da meia hora, o domínio portista era evidente com os dragões a controlarem o meio-campo por completo, superando por completo as zonas de pressão que o Chaves ia, sem sucesso, tentando aplicar. A equipa de Daniel Ramos nem um contra-ataque conseguia esboçar, face à forte pressão portista. 

  Com o jogo a perder alguma intensidade e com o Porto a gerir mais a posse de bola, o marcador voltou a mexer ainda antes do intervalo. Ao minuto 45, Brahimi combinou com Aboubakar, recebeu a bola dentro de área e rematou com o pé direito para o fundo da baliza, depois de ter tirado com classe um defesa flaviense do caminho. Estava feito o 3-0, com o Porto a "atropelar" completamente o Chaves e a materializar toda a superioridade demonstrada na primeira parte. A equipa transmontana terminou a primeira metade da partida sem rematar uma única vez à baliza de Casillas. 

  Sem alterações nos onzes, a segunda parte começou novamente com perigo portista. Logo ao minuto 46Marcão tirou de cabeça sobre a linha de golo depois de um cruzamento de Otávio que desviou num defesa do Chaves. Na recarga, Aboubakar cabeceou por cima.

  Num ritmo mais calmo e com o controlo completo do jogo, iam sendo as jogadas individuais, quer de Brahimi ou de Otávio, que agora causavam mais perigo junto da baliza flaviense. Aos 60 minutos, a equipa de Chaves continuava sem um único remate na partida. 

   Com a entrada de Corona para o lugar de André Pereira ao minuto 67, o Porto passou para um 4-3-3, ficando Brahimi e Corona como extremos com Aboubakar agora sozinho na frente de ataque. 

  Tal como na Supertaça frente ao Aves, Corona entrou e marcou. Aos 71 minutos, o mexicano correu com a bola controlada em direção à área do Chaves e disparou com força para o 4-0 portista. Destaque também para a movimentação sem bola de Otávio, que arrastou e confundiu a marcação dos centrais flavienses, permitindo a Corona entrar na área dos transmontanos. 

  Aos 80 minutos, depois de Nuno Almeida consultar o videoarbítro, o juíz da partida expulsou João Teixeira depois de uma entrada muito dura sobre Sérgio Oliveira. A equipa de Daniel Ramos ficou assim reduzida a 10 elementos, com o médio a ficar apenas 5 minutos em campo, depois de ter entrado para o lugar de Bruno Gallo. 

  Tal como no final da primeira parte, antes de acabar a segunda metade ainda houve tempo para mais um golo portista. Desta vez foi Marius, em estreia absoluta pelos azuis e brancos, que fez o 5-0. Bola em Adrián López na direita, recém-entrado, combinou com Maxi que entrou nas suas costas. O uruguaio foi à linha cruzar para o lado oposto onde Sérgio Oliveira tentou um pontapé acrobático, só que a bola levou a direção de Marius que, oportunamente, encostou de cabeça para o quinto golo dos dragões

  Com goleada e um resultado expressivo no marcador, o jogo chegou ao fim após um remate de Diogo Leite. O defesa atirou ligeiramente por cima, num bom gesto técnico à entrada da área. 

  Num jogo de sentido único e com um domínio avassalador, o Porto entrou com o pé direito na nova temporada da Liga NOS. O jogo ficou praticamente decidido em 30 minutos, com o Porto com uma excelente velocidade de circulação de bola, incapaz de ser parada pelo meio-campo flaviense. Sérgio Oliveira e Otávio estiverem em grande nível no capítulo do jogo coletivo e Brahimi em lances individuais de grande qualidade. Lá na frente, Aboubakar esteve com pontaria afinada e assinalou dois golos. O Chaves nunca foi capaz de criar perigo e não fez um verdadeiro remate à baliza, dando a Casillas uma noite muito tranquila. Incapaz de controlar as várias movimentações e combinações no meio-campo portista, a formação flaviense sofreu um pesada goleada

  O Porto soma assim os 3 primeiros pontos da temporada, e desloca-se na próxima jornada ao terreno do Belenenses. Já o Chaves, recebe em casa o Portimonense na seguinte rodada do campeonato nacional.