Clássico: Renato de potencial superior; André mais maduro

Grande parte das expectativas de FC Porto e Benfica residem na capacidade de André André e Renato Sanches, em especial o segundo, pela enorme influência que detém no presente e futuro dos encarnados.

Clássico: Renato de potencial superior; André mais maduro
Renato de potencial superior; André mais maduro

A jornada deste fim-de-semana abrirá desde logo com o seu expoente máximo, um Benfica - FC Porto de contornos decisivos, não para a decisão da Liga NOS, mas para começar a definir a sua conjectura: Em caso de derrota do Benfica, o FC Porto volta a baralhar e dar de novo, relançando uma luta a três pelo título de campeão nacional; em caso de derrota do FC Porto, a batalha ficará muito provavelmente reservada a águias e Sporting, uma vez que 9 pontos parecem uma distância irremediável até ao final deste Campeonato. Dentro deste duelo, o mais interessante será perceber que será uma batalha composta por outros duelos particulares.

Um deles estará reservado a meio-campo e colocará em confronto dois dos maiores talentos portugueses da actualidade: Renato Sanches e André André, que chegam, tal como as suas equipas, a este encontro em momentos de forma completamente diferentes, sendo que André André, uma das maiores esperanças dos dragões, espera recuperar a fase em que se encontrava quando, praticamente em solitário, quase conduziu o FC Porto aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Já sobre o jovem médio benfiquista - poucos se lembrarão já do pormenor de Renato ser ainda júnior - o maior elogio que lhe pode ser dado é a constatação de que qualquer encontro parece ter para si a mesma importância, seja o adversário o Gil Vicente, o Paços de Ferreira, o Rio Ave, o FC Porto ou o Barcelona, e essa seriedade tem-lhe valido o estatuto de uma das estrelas maiores da sua equipa e da própria Liga.

Pela importância actual, Renato será o principal reforço do Benfica… caso continue no clube

Depois da revelação de Bernardo Silva, que teve pouco aproveitamento na equipa principal dos encarnados, poucos acreditariam que pouco tempo depois o Benfica conseguiria apresentar um jovem prodígio como seu titular de uma forma tão clara e, actualmente, Renato Sanches não engana mesmo ninguém, pois com apenas 18 anos é já um valor bem seguro do futebol português. Bernardo já chegou à Selecção Nacional A; quando será a vez de Renato?

Certo será que no espaço de dois, três anos, o Benfica produziu provavelmente duas das mais proeminentes promessas do futebol nacional, senão mesmo aquelas que mais impressionam de momento, em especial Renato, pela forma como conseguiu impor o seu futebol e, acima de tudo, a sua resistência física, que tem permitido às águias provar a sua superioridade técnica e táctica sobre todos os adversários que tem vindo a encontrar.

Foto: GettyImages
Foto: GettyImages

Com vários reforços já assegurados para 2016/2017, com realce para André Carrillo que continua a enfrentar um processo disciplinar no Sporting que lhe custou o seu espaço no plantel dos verde-e-brancos após ter decidido não renovar depois de até ter suscitado uma oferta de 12 milhões de euros por parte do Leicester e terá ainda estado perto de assinar pelo At. Madrid, o centrocampista ameaça tornar-se o ’reforço’ de maior monta caso confirme a sua permanência no plantel. Algo que se comprova pela influência que possui no presente.

O precoce craque benfiquista vai rivalizando neste momento com Jonas como elemento mais indispensável para o funcionamento da equipa. Se ao goleador brasileiro deve assacar-se o mérito de estar a conseguir marcar ainda mais do que na época passada, com a dificuldade de estar a partilhar o ataque com outro goleador implacável ao invés de o dividir com um fiel assistente, certo é que Renato veio trazer equilíbrios como mais nenhum elemento do actual plantel encarnado.

Menor rendimento de André influencia péssimos momentos que o FC Porto tem vivido

No que toca a André, este personifica aquilo que se pede a um símbolo portista, a garra de lutar perante oponentes muitas vezes favoritos. Assim o fez na excelente vitória conquistada perante o Chelsea e assim promete voltar a fazer na próxima 6ª feira na Luz, ainda que a exibição cinzenta que realizou no último Domingo frente ao Arouca não garanta a sua titularidade no Clássico. Abre-se assim a possibilidade de alinharem outras opções como, quem sabe, Silvestre Varela.

André André a festejar o golo frente ao Chelsea
André André a festejar o golo frente ao Chelsea

O momento de menor de André André denota-se também nos resultados menos conseguidos por parte dos azuis-e-brancos, que somam já alguns empates e derrotas perante oponentes de gabarito incomparavelmente inferior, como são disso exemplo o Famalicão e o Feirense, que levaram de vencida o FC Porto numa Taça CTT de pesadelo. Por outro lado, a sua dinâmica ofensiva e movimentação constante fazem a diferença quando o dragão demonstra uma maior capacidade física em relação ao seu rival.

Em suma, Renato Sanches será possuidor de um potencial e argumentos técnicos superiores a André André, e por isso com todo o mérito retirou da equipa um companheiro com a qualidade de Anderson Talisca, que parece estar obrigado a mostrar ainda mais para justificar a sua candidatura ao lugar.

No entanto, em função da experiência e hábitos competitivos, André André é por hoje um jogador mais maduro, e em função disso estará mais próximo de garantir um lugar no Euro 2016 ao serviço da Selecção Nacional. Com tudo isto em linha de conta, que venha o Clássico e este duelo de talentosos médios que tanto promete.

Futebol Português