Benfica: Lindelof - a necessidade aguçou o sueco

Nem mesmo a derrota frente ao FC Porto atemorizou Victor Lindelof e o seu processo de cimentação e integração na equipa titular do Benfica, mostrando qualidade para ficar e representar uma excelente opção de futuro.

Benfica: Lindelof - a necessidade aguçou o sueco
Lindelof - a necessidade aguçou o sueco (Foto: abola.pt)

Costuma dizer-se que a necessidade aguça o engenho. No caso do Benfica, com as ausências de Lisandro Lopez e Luisão, acabou por aguçar-se a qualidade de um internacional jovem pela Suécia, que dá pelo nome de Victor Nilsson Lindelof. Ele não só rendeu esses dois mais experientes companheiros de sector, como tem jogado com o mesmo brilhantismo desses dois internacionais por Argentina e Brasil, respectivamente.

Mais do que um reforço para o momento, Lindelof assume-se como um grande reforço para 2016/2017, na medida em que torna muito possivelmente desnecessária a contratação de mais um central para juntar às já confirmadas incorporações de Franco Cervi e André Carrillo (este um caso mais sensível e cuja situação actual com o Sporting, clube que ainda representa, não está ainda devidamente resolvida, causando ainda algum mal estar junto da SAD verde-e-branca). Contratados um criativo como Cervi e um extremo como Carrillo - ao mesmo tempo uma forte ‘alfinetada’ no rival -, e garantido o futuro do eixo defensivo como Lindelof, podem assim as águias concentrarem-se sobre outros alvos.

Saldo bem positivo para o jovem defesa nas suas participações em jogos ‘a doer’

Passarão a ser outras as preocupações para os centrais encarnados visto que a qualidade exibicional do sueco não tem deixado margem para dúvidas: apesar de entrado por necessidade, conquistou com mérito o seu posto de titular e não sairá do onze para entrar Luisão ou Lisandro por mera cortesia.

Qualquer um dos dois terá de trabalhar imenso e demonstrar a qualidade exibicional que os evidencia na sua plenitude, para eventualmente reconquistar um lugar. Apesar da derrota sofrida perante o FC Porto na Luz, não esteve num possível ‘tremelique’ de Victor Lindelof a justificação para o desaire, com os dois golos sofridos a explicarem-se com um desposicionamento de Pizzi no primeiro tento e uma desconcentração generalizada na defensiva no segundo. Essa ‘desresponsabilização’ ajudou a que esse desfecho negativo não prejudicasse a moral do jogador, ainda mais num encontro em que as águias fizeram o suficiente para conseguir outro resultado.

Foto: Facebook do SL Benfica
Foto: Facebook do SL Benfica

Passado o desaire ante o dragão e a inspirada noite de Iker Casillas, o jovem, que viajou ainda júnior para o Caixa Futebol Campus desde o frio da Suécia, teve apenas quatro dias depois um desafio tão ou ainda mais exigente, defrontando o Zenit pelos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Nada que apoquentasse o defensor encarnado, que continuou a crescer em confiança e ao mesmo tempo continua a dar razão a Luís Filipe Vieira e seus pares.

Resposta positiva de Lindelof pode abrir espaço para mais jovens internacionais num futuro próximo

O presidente encarnado vem desde há algum tempo manifestando a convicção de que, mesmo com um plantel financeiramente inferior, as exigências não têm necessariamente de baixar - uma mensagem que parece ter sido passada com sucesso e que vem revelando jogadores como este defensor, que poderá agora funcionar como uma bandeira para a aposta na formação também nesta posição em concreto.

Depois de Lindelof, a hierarquia e meritocracia benfiquista poderão, na próxima época, abrir espaço para a integração de mais dois defesas centrais descobertos pela prospecção como o russo Vitaly Lystcov, titular absoluto da equipa B, e o sérvio Emir Azemovic, uma das figura da equipa de Juniores até ao momento. Com Lindelof como caso de sucesso, as possibilidades de um ou mesmo ambos os jovens merecerem uma oportunidade cresce exponencialmente.

Lindelof foi um dos autores dos golos frente ao Paços de Ferreira // Foto: Facebook do SL Benfica
Lindelof foi um dos autores dos golos frente ao Paços de Ferreira //
Foto: Facebook do SL Benfica

Ainda na semana passada Lindelof deixou bem evidente que semana a semana a sua condição e produção são maiores, tendo não só marcado um golo, o seu primeiro como integrante da primeira equipa, como foi capaz de suportar praticamente sem mácula um sempre complicado ataque como o do Paços de Ferreira, exímio em situações como o contra-ataque.

Desta forma, haja ou não Luisão e Lisandro em breve, Rui Vitória pode mesmo estar tranquilo quanto à aposta neste campeão europeu de sub-21 pela Suécia, que joga também como lateral direito, médio defensivo, médio interior ou até médio ala direito, mas que já reconheceu ser como central que pretende fazer carreira - e as mais recentes prestações ao serviço das águias comprovam isso mesmo. 

Futebol Português