Benfica: Que papel para Carrillo?

Até este momento, a contratação de André Carrillo apenas serviu para dar continuidade a uma guerra entre Benfica e Sporting, que já se prolongava com a mudança de Jorge Jesus - faltará ao peruano demonstrar a sua utilidade em campo.

Benfica: Que papel para Carrillo?
Qual será o papel de André Carrillo no Benfica da próxima época?

A excelente forma demonstrada pelo Benfica, tanto na Liga como na Liga dos Campeões, são prova de que o plantel está forte. Por um lado, as águias lideram o campeonato após uma recuperação na qual muitos não acreditavam, e veêm rubricando exibições de alto nível, com as quais foi também possível vencer desafios complicados como a deslocação ao terreno do principal rival Sporting. Por outro lado, tem sido  internacionalmente elogiada a prestação dos encarnados na Liga dos Campeões, na qual discute com o poderoso Bayern a passagem à meia-final.

Em todas as posições a águia mostra estar bem servida, em especial nas alas ofensivas, às quais ainda se juntará mais um reforço na próxima época… e logo 'resgatado' no outro lado da 2ª Circular, o que ainda faz crescer a expectativa sobre o que poderá fazer André Carrillo com a camisola encarnada. Pelo menos no momento da sua contratação, o peruano já fez História, pois tornou-se na primeira aquisição do Benfica a ser anunciada oficialmente pelo Sporting através de comunicado.

É certo que tal situação apenas foi possível por obrigações regulamentares. No entanto, não deixa de constituir uma excelente 'apresentação' para um futebolista que, a menos de três meses de se juntar ao novo clube, protagoniza agora uma dúvida que se impõe, tendo em conta o elevadíssimo rendimento dos seus futuros rivais por um lugar na equipa titular: qual lugar terá Carrillo no Benfica para além do de expoente máximo de um despique extremado em queixas e processos?

A contratação de Carrillo pelo Benfica foi anunciada em comunicado do Sporting
A contratação de Carrillo pelo Benfica foi anunciada em comunicado do Sporting

Carrillo foi a continuidade de uma guerra iniciada com a mudança de Jorge Jesus

Tudo começou, como se sabe, com a saída de Jorge Jesus da Luz, com o surpreendente anúncio de que o técnico iria mesmo para Alvalade num rol de acusações mútuas, que tiveram o seu início ainda na época transacta. Recordem-se os comentários do Sporting direccionados ao rival, apontando benefícios nas arbitragens ou 'jogadas de bastidores' como o impedimento propositado da utilização de jogadores cedidos ao Belenenses.

Iniciada a temporada, passou a discutir-se o enorme investimento que os leões depositaram na contratação de Jesus, que causou estranheza tendo em conta que o Benfica, detentor de um maior fulgor em termos financeiros, terá abdicado do treinador em grande parte pelo grande esforço a que o seu vencimento obriga. Carrillo surgiu depois, já no seio de uma guerra aberta que não parece já ter limites.

Carrillo não joga há meses, mas promete lutar por um lugar no 11
Carrillo não joga há meses, mas promete lutar por um lugar no 11

Para já, é apenas esse o seu lugar para o Benfica - o de um futebolista que correu riscos enormes e que se encontra parado há meses, para apenas a partir de Julho poder apresentar-se no Caixa Futebol Campus, para o que será a mais importante etapa da sua carreira. Até lá, o máximo a que Carrillo poderá aspirar é apresentar-se diariamente na Academia Sporting, em Alcochete, a fim de manter a sua condição física.

Esperanças benfiquistas passam por exponenciar ao máximo o potencial do peruano

Depois disso… ninguém sabe, nem mesmo o próprio jogador, que depende essencialmente da sua capacidade de se mostrar entre os melhores, a fim de garantir o seu lugar num conjunto que vem sucessivamente batendo rivais de qualidade que apresentam as suas melhores e mais fortes armas, sem sucesso prático. Que o diga, por exemplo, o Sp. Braga, que a realizar uma excelente temporada acabou copiosamente goleado na Luz…

Potencial, todos sabem que André Carrillo possui, e qualidade na prática também. Resta saber se o extremo conseguirá render a um nível semelhante e mesmo acima do que realizava em Alvalade, com o desafio de se juntar a promessas como Renato Sanches.

Tal como Renato, uma opção imediata para a Selecção Nacional com apenas 18 anos, Carrillo parece ter sido contratado como mais uma das garantias de continuidade do projecto benfiquista, que aponta para o presente, mas acima de tudo numa perspectiva de longo prazo. Esse sim, parece ser o seu papel.